Nesta quinta-feira, 11, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) divulgou a relação das praias tocantinense licenciadas pelo órgão ambiental. Para esta temporada a novidade é o sistema online, que emite automaticamente a Autorização Ambiental para os interessados em montar a estrutura de Praias Temporárias, com a finalidade de lazer e turismo.

O novo atendimento ocorre através da plataforma Simplifica Verde, que agiliza e facilita o processo para os empreendedores. Até o momento 58 praias, entre públicas e privadas, já receberam Autorização Ambiental para o funcionamento. A plataforma é um instrumento que tem comunicação direta com os públicos interno e externo.

Em Araguatins, na região do Bico do Papagaio, as margens do rio Araguaia, em 2018 foram instaladas 16 ilhotas no leito do rio para acampamento de particulares, que neste caso, são formadas pela dragagem da areia. Neste período de praias o número caiu para sete, em razão de Portaria do Naturatins que estabeleceu critérios para o uso adequado das praias temporárias.

A Inspetora de Recursos Naturais, Eva Adriana Gonçalves de Oliveira, que trabalha na unidade do Naturatins de Araguatins explica que no Projeto Ambiental, tem que constar o serviço de dragagem, detalhes da construção dos barracos, instalação de tendas, sanitários, recolhimento do lixo e os cuidados gerais com o meio ambiente.

“No ano passado, a instalação das ilhotas atrapalhou muito a travessia do rio que nesta época fica bem raso. Com a portaria do Naturatins, os critérios ficaram mais rigorosos e os impactos diminuíram”, destacou.

Paralelo aos projetos ambientais, os técnicos daquela Unidade realizam trabalho de educação ambiental orientando banhistas, turistas e campistas para a defensa e preservação do meio ambiente, mantendo a todos o direito ao seu uso sustentável, de maneira ecologicamente equilibrada. “A ação já acontece há cinco anos”, frisou. (Com informações de Carlos Gomes)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.