Connect with us

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Após pressão popular Dona Deija recua e não abre mão de UPA

Publicado

em

Acuada pela opinião pública, vereadores e líderes políticos a prefeita, Dona Deija (DEM) se viu forçada a recuar da intenção de abrir mão instalação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24Hs. O Governo do Estado e Federal selecionaram Augustinópolis e Tocantinópolis no Bico do Papagaio para receberem a Unidade de Saúde.

Com a divulgação da informação de interferência política na definição dos municípios selecionados, a opinião pública de Araguatins protestou e cobrou do Governo do Estado a revisão e transferência da UPA de Augustinópolis para Araguatins. O secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos, se comprometeu a tentar junto ao Ministério da Saúde (MS) reverter a situação e afirmou a nossa reportagem que a prefeita, Dona Deija, abriria mão da UPA e aceitaria a transferência para Araguatins, dependendo agora da reversão do processo no MS.

Nossa reportagem procurou a prefeita de Augustinópolis no dia 27 de maio para confirmar a informação de dispensa da UPA. Dona Deija não quis se pronunciar de forma oficial sobre o assunto, mas conformou por meio de sua assessoria que não entraria em polêmica, mas caso o Governo Federal entenda remover a UPA para Araguatins, ela não faria objeção e confirmou as dificuldades em manter a unidade funcionando.

Após a manifestação da prefeita, a comunidade, vereadores e líderes políticos de Augustinópolis se mostraram indignados com a postura de Dona Deija e deram inicio a uma serie de manifestações via imprensa e redes sociais, reprovando a atitude da prefeita. Cinco vereadores de oposição chegaram a se pronunciar cobrando da prefeita atitude de responsabilidade com o município e que defendesse a permanência da unidade de saúde em Augustinópolis.

Agora após a repercussão negativa a prefeita, Dona Deija, se pronunciou por meio de outro veículo de imprensa da região para divulgar uma nota afirmando que não desistira do benefício e que já colocou um terreno a disposição para edificar esta UPA.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
4 Comments

Bico do Papagaio

No dia que Brasil começa vacinação contra Covid-19, Bico acumula mais de 12 mil infectados

Publicado

em

Logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, neste domingo, 17, foi aplicada a primeira dose no país.

A primeira pessoa vacinada fora dos estudos clínicos foi Mônica Calazans, de 54 anos, enfermeira, negra e moradora da zona leste da capital. Ela, que atua na linha de frente contra a Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, foi vacinada no fim da tarde no Instituto Butantan. Até então, as únicas pessoas do país que haviam tomado a vacina faziam parte dos testes clínicos.

A vacina chega, nove meses depois do registro do primeiro caso no Bico do Papagaio. Durante esses noves meses, a região acumula 12.010 casos de pessoas que se infectaram com o vírus Sars-Cov-2. A quantidade configura 12.4% de todos os 96.319 casos identificados no Tocantins.

188 pacientes dos 12.010 infectados morreram na região. Isso representa 1.56%. Em comparação ao número de mortes no Tocantins, os óbitos no Bico, corresponde a 14.3% dos 1.313 registrados em todo o estado.

Tocantinópolis é o município do Bico do Papagaio que mais teve moradores infectados, com 1.374, seguido de Araguatins, com 1.148 e Xambioá com 1.125.

Quanto ao número de mortes, quem lidera é Araguatins, com 31 óbitos, seguido de Tocantinópolis, com 24 e Ananás com 16.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Prefeitura tem novo horário de funcionamento

Publicado

em

Desde o último dia 4, a Prefeitura Municipal de Araguatins, no Bico do Papagaio, adotou um novo horário de atendimento ao público e serviços internos.

O atendimento ao público fico estabelecido como sendo das 7h30 às 11h30 e o serviço interno das 13h30 às 17h.

Deverão funcionar normalmente as unidades das Secretarias ou autarquias que exercem regime de plantão.

OBS: A matéria foi alterada após o Decreto ser corrigido. O anterior havia um erro de digitação do horário.

Continue lendo

Bico do Papagaio

SÃO MIGUEL: MP recomenda que Prefeitura não demita aprovados em concurso como pediu TCE

Publicado

em

O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio da Promotoria de Justiça Itaguatins, expediu nesta quarta-feira, 13, Recomendação Administrativa ao prefeito de São Miguel do Tocantins, Alberto Loiola Gomes Moreira, para que se abstenha de exonerar ou demitir qualquer servidor aprovado no concurso público realizado no ano de 2016, tendo em vista que não foi confirmada a existência das irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE).

A recomendação também orienta que o gestor encaminhe ao TCE informações sobre a regularidade do concurso, especialmente as leis de criação de cargos e o quantitativo de vagas ofertadas no quadro do magistério, nível docência – professor II. 

Para a anulação, o TCE alega que o Município não apresentou as leis de criação de cargos e do quantitativos das vagas ofertas, situação que segundo o promotor de Justiça Elizon de Sousa Medrado, não procedem, já que todos os procedimentos foram adotados pela gestão da época e acompanhados pelo Ministério Público. 

“O concurso foi fruto de um Termo de Ajustamento de Conduta proposto pelo Ministério Público, no qual constavam obrigações como a criação de cargos, encaminhamento do projeto de Lei para aprovação da Câmara Municipal e  o processo licitatório. O concurso foi realizado, as pessoas tomaram posse e não foi verificada nenhuma irregularidade”, salientou o promotor de Justiça.

O não atendimento da recomendação por parte do prefeito de São Miguel do Tocantins poderá ensejar o ajuizamento de ação judicial visando à anulação de eventuais atos de exoneração/demissão dos servidores concursados. (Denise Soares)

Continue lendo
publicidade Bronze