Esta segunda, 12, a Câmara Municipal de Augustinópolis retomada pela primeira vez no ano, os trabalhos legislativos com a participação dos parlamentares acusados pela Polícia Civil e pelo Ministério Público (MP), de envolvimento em um suposto esquema de corrupção.

Luizinha (PP), Toinho (PTB), Antônio Barbosa (SD), Antônio Queiroz (PSB), Ozeas (PR), Nildo Lopes (PSDB), Ângela da Rapadura (PSDB), Marcos da Igreja (PRB), Neguin da Civil e Vaguin do Hospital (MDB), ficaram afastados dos cargos por 180 dias. Apenas o vereador Neguin da Civil, teve seu afastamento prorrogado, por tentar obstruir as investigações durante o primeiro afastamento.

A Operação Perfídia, como foi chamada, foi deflagrada no dia 25 de janeiro. Todos os vereadores investigados respondem ao processo em liberdade. Os parlamentares são acusados de receberem mensalinho para votar projetos de interesse da Prefeitura.

Para a Polícia Civil, o esquema movimentava cerca de R$ 40 mil por mês.

A sessão desta segunda, começa às 18h.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.