Connect with us

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Caravana “Brasil e o Tocantins que o Povo Quer” destaca inclusão social

Publicado

em

Pré-candidato ao Governo do Tocantins pelo Partido do Trabalhadores (PT), o deputado estadual Paulo Mourão esteve nesta sexta-feira, dia 1º, em Augustinópolis, extremo norte do Tocantins, dando continuidade à agenda “Brasil e o Tocantins que o Povo Quer”, ocasião em que lembrou dos avanços sociais que o país conquistou nos dois mandatos do ex-presidente Lula, sendo que hoje a população regrediu nesse aspecto. “Precisamos discutir por que as injustiças sociais voltaram a ser tema agravante no Brasil”, ponderou.

Mourão mencionou que só nos quatro primeiros anos do mandato de Lula R$ 40 milhões de brasileiros saíram da linha de pobreza, ascendendo das classes C e D para as classes A e B. “No governo da ex-presidente Dilma o país manteve o crescimento”, destacou ele ao afirmar que só há uma forma de aumentar a renda das pessoas, “é quando se aumenta o Produto Interno Bruto (PIB)”, completou.

Outro dado apresentado pelo pré-candidato a Governador foi o índice de desemprego que “na era Lula/Dilma não passou de 4,5%, sendo que abaixo de 5% é considerado zero, atualmente foi a 13% e agora está em 12,4%, segundo o IBGE, o que equivale a cerca de 12,4 milhões de desempregados”, pontuou Mourão. “De 88,9 milhões de brasileiros com renda, 44% ganham menos de um salário mínimo”, citou. Ainda falando em desigualdade social, o pré-candidato ao Governo do Tocantins citou que de 30 mil jovens assassinados por ano no Brasil, 77% são negros.

“Não tem como falar em conquistas sociais se não falar em educação, senão estarão comprometidos os direitos humanos à saúde, à moradia, à segurança”, afirmou. Partindo para a realidade local, Paulo Mourão incitou os participantes a discutir o que fazer para desenvolver a região do Bico do Papagaio, a partir do desenvolvimento do PIB local. “As políticas colonialistas não desenvolveram o Tocantins nesses 29 anos, as pessoas se amarram em pedir estradas asfaltadas, como se estradas fizessem inclusão social, são elementos estruturantes de desenvolvimento, mas o desenvolvimento passa em primeiro momento por políticas públicas amparadoras e indutoras de desenvolvimento, e a política principal é a educação”, garantiu. “A segunda política pública principal é o ordenamento produtivo, pegar todas as comunidades produtivas dos assentamentos rurais e organizá-las”, apontou.

Paulo Mourão sugeriu que a comunidade local se organize para fortalecer a cultura do babaçu e se posicionou contra o projeto de lei do deputado José Bonifácio (PR), que quer permitir a queima do babaçu in natura. “Se o babaçu está apodrecendo é porque não estão permitindo as quebradeiras de coco ter acesso aos babaçuais para fazer a coleta”, considerou. “E como é que é se vai permitir tocar fogo no coco in natura para vender o carvão, se vai perder o mesocarpo e o fruto, o que é um desrespeito às leis”, pontuou. “Isso pode causar um prejuízo grande à região, temos que fazer o contrário, estimular empresas grandes como a Tobasa para fazer da cultura do babaçu uma cultura economicamente ativa, geradora do equilíbrio econômico da região”, defendeu.

Mourão foi mais além, disse que caso a proposta vigore vai causar um impacto ambiental desmedido. “Isso ocorrendo a soja vai entrar na região e onde a soja entrou estamos tendo problema com a falta d´água, como nos rios Tocantins, Javaés, Formoso, Riozinho, Urubu, Xavante, Pium; temos problema em Miracema, no rio Providência, para abastecer a cidade, problema com abastecimento de águam em Paraíso, em Porto Nacional (Ribeirão São João), já temos problema em Palmas (Taqurarussu Grande) tudo isso pelo desmatamento desordenado”, declarou Mourão. “Eu não sou contra a produção da soja, eu sou a favor é do desenvolvimento sustentável, então nós temos que preservar as nascentes, estimular as matas ciliares a não serem tocadas”, ressaltou.

Paulo Mourão também falou que o desenvolvimento da região do Bico do Papagaio passa pelo incentivo à política da territorialidade, uma vez que há um contínuo fluxo migratório da zona rural para a zona urbana.

Sobre a plataforma “Brasil e o Tocantins que o Povo Quer”, o pré-candidato entende que é preciso estimular a população a repensar o Brasil, bem como a importância de compartilhar com mais pessoas, não só com os militantes do PT, as propostas de Lula. “O Brasil precisa inovar em primeiro momento a fórmula de discutir política e esta fórmula e tem que vir para a base popular”, sustentou.

A reunião em Augustinópolis contou com a participação de militantes de mais dez municípios: Sampaio, Buriti, Araguatins, São Miguel, Esperantina, São Bento, Cachoerinha, Axixá do Tocantins, Ananás e Praia norte. O evento de apresentação da plataforma contou com a presença do presidente do PT, deputado Zé Roberto e do suplente de senador, Donizete Nogueira, além de lideranças municipais, presidentes e secretários da sigla das regionais. Neste sábado, a partir das 16h, foi a vez do evento em Araguaína, na Câmara Municipal; e no domingo, dia 3, será em Guaraí, na Câmara Municipal, a partir das 9h30.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Hospital Regional avança em obras de reforma e ampliação

Publicado

em

O Governo do Tocantins encerra o ano com destaque em investimentos na área da saúde, como por exemplo, no Hospital Regional de Augustinópolis. A unidade hospitalar localizada na região do Bico do Papagaio é referência para 23 cidades, atendendo aproximadamente 203 mil habitantes.

Após a reforma que está sendo realizada na unidade, o hospital passará a contar com 100 leitos e ainda propiciará melhores condições de trabalho para os profissionais da ala administrativa. O setor administrativo já está com 95% das obras executadas; o Centro de Parto Normal (CPN) com 60% e a maternidade já teve a fundação concluída, o que corresponde a 15% dos serviços realizados. A obra, de valor estimado em R$ 23.982.995,17, tem previsão de conclusão em julho de 2021. 

Além da reforma, o hospital recebeu, em agosto deste ano, 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), atualmente utilizados por pacientes acometidos pela Covid-19 e que  passarão a ser leitos convencionais, no término da pandemia.

“A saúde pública de qualidade é uma das preocupações do governador Mauro Carlesse e a região do Bico do Papagaio tem seu destaque neste olhar. Estamos trabalhando para que a região seja autossuficiente em oferta de tratamento para sua população, de forma que dispense transferências para Araguaína ou Palmas, mas isso demanda tempo e recursos”, afirmou o titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES), doutor Edgar Tollini, acrescentando que enquanto a autossuficiência não acontece, os moradores do Bico do Papagaio podem contar com a assistência especializada em outros locais de referência.

Mais recursos

Na quarta-feira, 2, a SES recebeu aproximadamente R$ 8,5 milhões, oriundos de emenda parlamentar da deputada federal Dulce Miranda, para investimento no Hospital Regional de Augustinópolis e benefícios para região do Bico do Papagaio. O valor é destinado à aquisição de equipamento e materiais permanentes para a unidade de atenção especializada em saúde. (Aldenes Lima)

Continue lendo

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Edital para Vestibular de Medicina na Unitins ainda será lançado

Publicado

em

Nesta sexta, 4, ao anunciar o Vestibular 2021/1 Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), o reitor da Unitins, Augusto Rezende, comentou sobre o curso de Medicina, no câmpus de Augustinópolis, no Bico do Papagaio.

O reitor da Unitins, Augusto Rezende, explicou que esse ainda está em fase final de implantação pedagógica e estrutural. “A gente está trabalhando na estruturação dos laboratórios e também nos processos legais de autorização junto ao Conselho Estadual de Educação e demais órgãos”, afirmou.

O reitor disse ainda que posteriormente, será lançado um edital específico de vestibular para esse curso para a primeira turma de 2021. (Com informações de Josiane Mendes)

Continue lendo

Bico do Papagaio

Unitins lança Vestibular 2021/1. Inscrições começam na terça, 8

Publicado

em

A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) lançou nesta sexta-feira, 4, o Edital do Vestibular 2021/1. São oferecidas 640 vagas em 16 cursos de graduação, distribuídos nos câmpus Araguatins, Augustinópolis, Dianópolis, Palmas e Paraíso.  O período de inscrições para o vestibular começa no próximo dia 8 de dezembro, a partir das 9 horas, e segue até o dia 4 de janeiro.  Os cursos da Unitins são gratuitos e presenciais.

A taxa de inscrição é de R$ 120,00 e pode ser paga até o dia 5 de janeiro de 2021. Os interessados em pleitear a isenção da taxa terão de 8 a 10 de dezembro de 2020 para fazer a solicitação. Do total de vagas ofertadas, 50% serão destinadas à ampla concorrência e 50% para egressos da rede pública de ensino.

Uma novidade deste certame é a abertura de vagas para o curso de Pedagogia, no Câmpus Palmas. A criação do novo curso passou pelo rito necessário dentro da Unitins e também pelo Conselho Estadual de Educação (CEE), e ofertará vagas para ingresso já no primeiro semestre de 2021.

No Câmpus Araguatins, a Unitins oferta os cursos de Letras e Pedagogia; em Augustinópolis, Ciências Contábeis, Direito e Enfermagem; em Dianópolis, Administração, Ciências Contábeis e Direito; em Palmas, Direito, Engenharia Agronômica, Serviço Social, Sistemas de Informação e Pedagogia; no Câmpus Paraíso são ofertados os cursos de Ciências Contábeis, Direito e Tecnólogo em Agronegócio.

Provas

As provas da seleção estão marcadas para o dia 27 de janeiro de 2021, com duração de cinco horas, e serão realizadas de forma presencial.

O reitor Augusto Rezende informa que serão cumpridos todos os protocolos de saúde e segurança sanitária durante o vestibular, tanto os definidos pelo Governo do Estado, bem como os exigidos pelo Ministério da Educação para aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – que acontecerão antes das provas presenciais da Unitins. O Vestibular tem como exigências básicas o uso de máscaras para todos os participantes, uso de álcool 70°, distanciamento social, além da aferição de temperatura, entre outros pontos. A sala de aplicação de provas, por exemplo, será utilizada com apenas 50% da capacidade de alocação de pessoas, conforme informa o Protocolo Sanitário de aplicação das provas da Unitins. Os candidatos precisam estar atentos ao Protocolo para assegurar a segurança em saúde de todos.

“Será um momento de esperança para esse aluno que vem da rede pública de ensino, que concluiu o ensino médio no modelo híbrido, e terá a possibilidade de fazer o nosso vestibular. Se aprovado, no dia 18 de fevereiro iniciará as aulas no ensino superior. A Unitins cumpre sua missão social, sua função de agente de desenvolvimento das regiões, da formação de mão de obra qualificada, dando oportunidade para esses estudantes ingressarem numa universidade pública, gratuita e que se preocupa com a formação íntegra dos alunos e, principalmente, que supera essas dificuldades adversas que a pandemia nos trouxe. É um esforço que toda a universidade está fazendo para a realização desse processo seletivo”, conclui o reitor. (Com informações de Josiane Mendes)

Continue lendo
publicidade Bronze