Connect with us

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Parcerias público-privadas têm dado nova cara à Cadeia Pública

Publicado

em

Desde 2002 que Augustinópolis, a terceira maior cidade da região conhecida como Bico do Papagaio, distante 533 quilômetros de Palmas, comporta uma cadeia pública de porte médio, atendendo três comarcas: Augustinópolis, Axixá e Itaguatins. Porém, a história dessa cadeia começou a mudar do mês de junho de 2018. À frente dessa mudança está o agente Antônio Marcos, que com pouco mais de um ano trabalhando no Sistema Penitenciário Prisional (Sispen) do Tocantins já responde pela direção daquela cadeia pública.

Para promover tais mudanças, ele usou conhecimentos pessoais adquiridos nos cursos de Pedagogia e Direito e pós-graduação em Gestão Educacional, o que resultou no equilíbrio do ambiente e em melhores condições de ressocialização dos detentos. Segundo ele, quando assumiu a gestão da unidade prisional, pensou na necessidade de melhorar o ambiente administrativo da unidade e ofertar projetos aos reeducandos. “Foi aí que resolvi procurar parcerias para dar celeridade às ações”, confessou.

Dessa forma, o diretor buscou ajuda de instituições locais, principalmente o Poder Judiciário, mas também do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) e da Prefeitura Municipal. Conseguida a ajuda, fez melhorias no alojamento da unidade, na estética do ambiente administrativo com pintura e também na climatização, adquirindo novos aparelhos de ar condicionado. “Essas melhorias nos revigoram, dão ânimo para trabalhar e ainda tiram um pouco do estresse”, comenta o agente que trabalha na unidade, Sérgio Rodrigo.

Após isso, a unidade voltou-se para implementação de projetos que beneficiam ainda os reeducandos, oferecendo-lhes a possibilidade de trabalhar e de estudar para remir pena. “O trabalho é inicial, não temos ainda um olhar prático para o retorno dessas ações, mas o que a gente espera é que esses atos e as atividades pedagógicas possam trazer perspectivas jurídicas e sociais aos reeducandos”, disse a analista e Pedagoga da unidade, Maria José dos Santos, com relação à implementação dos novos projetos.

Para o reeducando Antônio Luz Martins, o trabalho interno na cadeia gera convívio social. “O trabalho me dá foco, ajuda a aliviar a minha mente e adquirir novos conhecimentos”, aponta. Já sobre a chegada de novos projetos, ele diz a maioria dos detentos é de origem carente, que sempre estiveram à margem da sociedade. “Agora, podendo estudar, acredito que esse conhecimento abre portas para uma visão diferente, para uma vida melhor, para uma realidade melhor”, opinou.

Educação

Após receber doação de livros da Faculdade do Bico do Papagaio (Fabic), a cadeia montou uma biblioteca local e está implementando um sistema de remição de pena por leitura. Já em parceria com Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) está em criando uma escola dentro da própria unidade prisional com capacidade para ofertar ensino fundamental e médio para 60 reeducandos.

A unidade também está em processo de organização de uma oficina de trabalho artesanal com capacidade de acomodar e proporcionar a 20 detentos. Juntamente com IFTO, disponibilizou auxílio técnico agrícola, que está em processo de implantação com o cultivo de hortaliças e verduras em um dos terrenos da unidade para atender com trabalho a até 10 detentos. (Willian Borges)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

BURITI: Lucilene lidera disputa pela Prefeitura com 55,3%. Borjão tem 34,7% aponta iABR

Publicado

em

O Instituto ABR (iABR) divulgou nesta quarta, 28, uma pesquisa de intenção de votos para prefeito de Buriti, município do Bico do Papagaio. O levantamento ouviu 300 eleitores no dia 24 de outubro. Confira os resultados.

Dois candidatos disputam a Prefeitura de Buriti: Américo dos Reis Borges, o Borjão (MDB), que concorre à reeleição; e a servidora pública Lucilene Gomes de Brito (Solidariedade).

Pesquisa estimulada

Lucilene aparece com 55,3% dos votos, enquanto que Borjão foi citado por 34,7%. Outros 10,0% afirmaram que não sabem ou não opinaram.

Pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea, na qual o entrevistador não menciona os nomes dos candidatos, Lucilene é mencionada por 51,0% dos eleitores. Borjão foi lembrado por 35,7%. Não souberam ou não opinaram representam 13,3%.

Rejeição

Ao serem questionados sobre em quem não votariam de jeito nenhum para prefeito, 44,7% dos entrevistados responderam Borjão, enquanto que Lucilene é rejeitada por 24,7%. Os demais 30,6% não rejeitam ninguém ou não responderam.

O Instituto ABR ouviu 300 eleitores em Buriti no dia 24 de outubro. O levantamento tem nível de confiança de 95%, com margem de erro de 5,6 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número TO-08334/2020.

Continue lendo

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Veja os números da Covid-19 desta terça, 27

Publicado

em

Continue lendo

Bico do Papagaio

SÃO BENTO: Lafaete deixa chapa de Ronaldo Parente por conta de inelegibilidade

Publicado

em

Com o pedido de candidatura impugnado pele Justiça Eleitoral, a atual vice-prefeita e candidata a reeleição Lafaete Milhomem (MDB), acabou renunciando da disputa. Ela havia recorrido, mas temendo o fim do prazo para substituição, caso o indeferimento fosse confirmado, ela optou por renunciar e indicar seu marido Jackson da Lafaete (MDB), para a vaga.

A impugnação foi pedida pela Coligação “São Bento Pode Mais”.

Lafaete divulgou nota, comentando o assunto:

Querido povo de São Bento, especialmente à família 45, venho expressar minha gratidão a todos pelas manifestações de carinho e apoio à minha pessoa.

Acredito que muitos acompanharam um pouco da minha trajetória política e sabem da minha força e determinação, e foi munida dessa mesma força que tomei a decisão de renunciar à candidatura ao cargo de vice-prefeita, por amor ao grupo, por entender que essa foi a decisão mais acertada para resguardar nosso grupo político, nosso querido prefeito Ronaldo Parente, o qual aprendi a admirar ainda mais ao longo da caminhada, nossa primeira dama Lumara Parente, nosso ex-prefeito Claudivan Tavares, nossos líderes e candidatos ao cargo de vereador, bem como a todos da família 45, família essa que cresce cada vez mais a cada dia.

Como é de amplo conhecimento, a COLIGAÇÃO SÃO BENTO PODE MAIS, composta pelos partidos PP/PT/REDE/PSC/PSD/SOLIDARIEDADE, cujos presidentes dos são Maria Lucimar Bezerra de Farias, João Alves da Silva Neto, Janiely Magalhães Passos, Claudinez da Silva Tavares Santos, Paulo Wanderson de Sousa Damasceno e Aderson Araújo Rodrigues, respectivamente, impugnaram o registro da minha candidatura, a qual foi julgada procedente pelo Juízo da 10ª Zona Eleitoral de Araguatins/TO que considerou que não houve condenação por ato doloso de improbidade que importe enriquecimento ilícito, estando apta à concorrer às eleições municipais.

No entanto, a COLIGAÇÃO SÃO BENTO PODE MAIS interpôs Recurso Eleitoral em face da sentença que deferiu o meu pedido de registro de candidatura, recurso este que estava pendente de julgamento pelo TRE/TO.

Ocorre que o prazo para substituição de candidatos para os cargos majoritários termina hoje, dia 26/10/2020, e acaso o Recurso Eleitoral fosse provido posteriormente, nossa chapa composta pelo prefeito Ronaldo Rodrigues Parente e vice-prefeita Lubelafaete Bezerra Fonseca poderia ser cassada, o que eu não poderia permitir, pois nosso grupo político é mais importante que qualquer interesse pessoal, mesmo porque não tenho vaidade pelo cargo, tenho amor pela minha cidade e pela família 45.

O interesse da COLIGAÇÃO SÃO BENTO PODE MAIS era cassar a chapa, composta por prefeito e vice-prefeita, e para isso estavam na torcida pelo resultado favorável do recurso interposto, recurso este que não será julgado, devido a perda do objeto, com a substituição da vice-prefeita no prazo legal.

A escolha do novo candidato ao cargo de vice-prefeito partiu de um diálogo sempre amigável com nosso prefeito, o qual sempre acolheu e respeitou o MDB, partido este que compõe nossa Coligação e faz parte da família 45, que acredito não sofrerá rupturas pela substituição do candidato a vice-prefeito, pois meu esposo Jackson Miranda Almeida é um companheiro, com o qual compartilho minha vida há 25 anos e tivemos uma filha maravilhosa que nos dá forças para continuar lutando.

O Jackson luta contra um câncer nos ossos, conhecido como mioloma múltiplo, há 06 anos, e recentemente, no dia 13 de outubro de 2020 fez transplante de medula óssea, e exatamente hoje, dia 26/10/2020, ele recebeu alta médica, para honra e glória do Senhor Jesus!
Quero deixar claro que todos estes acontecimentos só fortaleceram nosso propósito de lutar por São Bento, para que nossa cidade continue crescendo e desenvolvendo, e Jackson irá somar no grupo, agregar valores, como desportista que sempre foi, e eu estarei nessa caminhada juntamente com ele, assim como está escrito em Marcos 10: 8 “e os dois se tornarão uma só carne. Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne.”

Venho aqui expressar meu total apoio ao nosso prefeito e dizer que estou firme e forte, ainda mais determinada e aguerrida, agradecer pelo seu companheirismo, lealdade e respeito com o MDB, dizer que continuo na campanha para fazer o 45 vitorioso no dia 15 de novembro, pois a vitória não será somente nossa, mas de todos, temos plena convicção de que a COLIGAÇÃO PARA SÃO BENTO CONTINUAR CRESCENDO representa o melhor para São Bento do Tocantins.

Vamos nos manter unidos e firmes no mesmo propósito de trazer mais um para a família 45, vamos à luta, continuar fazendo política com seriedade e honradez, sem perseguições, e seremos vitoriosos no dia 15 de novembro!

Minha eterna gratidão ao povo de São Bento!

São Bento do Tocantins – TO, 26 de outubro de 2020.

Lubelafaete Bezerra Fonseca

Continue lendo
publicidade Bronze