Connect with us

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Pequenos produtores recebem assistência para implantação e regularização de agroindústrias em estabelecimentos rurais

Publicado

em

Produtor Mikael Lopes Cavalcante está com tudo certo para em breve fazer a inauguração da Agroindústria Da Roça, na chácara Balde Cheio 

O produtor rural, principalmente o agricultor familiar, por diversas vezes se depara com questionamentos relacionados ao processamento e comercialização de seus produtos. Para apoiar esse produtor a conquistar novos mercados e agregar valor aos seus produtos, o Governo do Tocantins, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) atua na assistência técnica voltada para implantação e regularização de agroindústrias em estabelecimentos rurais.

A produtora Eva Alves Costa Nunes, da Tropical Polpas, e o produtor Mikael Lopes Cavalcante, do empreendimento Da Roça, e; ambos de Augustinópolis, do Projeto de Assentamentos Três Irmãos, recebem orientação e incentivo do órgão para formalização e produção de polpas de frutas.

Na propriedade da dona Eva Alves, ela e o esposo Valdonez de Sousa Aguiar foram motivados pela grande quantidade de pés de acerolas na propriedade. Segundo a produtora, são cerca de 200 pés da fruta plantados na pequena propriedade. Como o negócio pareceu favorável à comercialização, eles buscaram ajuda do Ruraltins para formalização de uma agroindústria de polpas, a Tropical Polpas, que está em fase de finalização da regularização.

Assistidos pelo engenheiro de alimentos do Ruraltins, Reldson Leal, a família conta com todo acompanhamento técnico para a formalização do empreendimento, e ainda orientação voltada às boas práticas na produção. “Acompanhamos a produção na dona Eva desde o início com relação a documentações, manuais, planta baixa e, principalmente, na parte de registro do estabelecimento no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com todas as normas que devem ser cumpridas, e para que em breve eles possam produzir e comercializar as polpas”, afirma.

“A regulamentação das agroindústrias trazem grandes vantagens ao produtor, que além de receber esse acompanhamento de assistência pública, sai da informalidade, agrega valor ao seu produto, inspirando confiança ao consumidor, na qualidade higiênico-sanitária dos artigos, e ainda fortalece a cadeia produtiva”, reforça Reldson Leal.

Sobre as expectativas de produção, o casal está bem otimista. “Nosso foco inicial foi com a acerola, pois já temos plantadas aqui uns 200 pés, mas temos uma área grande e que já está preparada para plantar também outras frutas como a goiaba, o cupuaçu, o maracujá e o açaí. Nosso objetivo inicial é produzir mil quilos de polpas, e plantar as frutas para produzir mais variedade”, relata Valdonez de Sousa Aguiar.

Para a comercialização das polpas, a pretensão dos produtores é atender os programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), bem como levar também para outras regiões do Estado.

O produtor Mikael Lopes Cavalcante está com tudo certo para em breve fazer a inauguração da Agroindústria Da Roça, na chácara Balde Cheio. Na propriedade de 2 hectares destinados ao cultivo de frutíferas, o produtor  buscou o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), para a regularização, e do Ruraltins na assistência técnica direcionada à produção e boas práticas.

Segundo o produtor, que conta com a ajuda de quatro pessoas da família na produção, a expectativa é comercializar 30 toneladas/mês de polpas de frutas. “As polpas serão produzidas com frutas da propriedade e também adquiridas por produtores da região. Vamos comercializar polpas de acerola, maracujá, cajá, graviola”, destaca.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ADAPEC suspende aglomeração de equídeos e restringe cavalgadas e tropeadas no Bico

Publicado

em

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) editou uma nova portaria nº 270, nessa terça-feira, 1º, suspendendo qualquer aglomeração de equídeos (asininos, equinos e muares), no município de Araguatins, no Bico do Papagaio, além de Santa Fé do Araguaia, Muricilândia e  Filadélfia, na região norte do Tocantins. Além disso, restringe cavalgadas e tropeadas em outros municípios circunvizinhos, permitindo somente aqueles eventos autorizados pela Agência. A medida adotada visa controlar o mormo nesta região após o surgimento de focos da doença. 

Os locais considerados limítrofes as regiões acima citadas são: Ananás, São Bento, Axixá, Augustinópolis, Buriti, São Sebastião, Esperantina, Araguaína, Aragominas, Babaçulandia, Barra do Ouro, Goiatins e Palmeirante. Essa é a mais nova atualização, já que a medida que o saneamento das propriedades rurais são cumpridos, os municípios saem do rol restritivo e outros que apresentarem focos entram.

Segundo o gerente de sanidade animal, Sérgio Liocàdio, o objetivo das ações é conter o avanço do mormo no Estado, uma vez que foram registrados focos da doença nestas regiões. “Priorizamos a prevenção, pois se trata de uma enfermidade que pode também ser transmitida ao homem. Assim que as medidas sanitárias forem todas cumpridas e o trabalho de investigação concluído as áreas serão liberadas”, disse.

Prevenção

Não existe vacina ou tratamento para o mormo. O produtor rural deve ficar atento, realizar os exames regularmente nos seus animais, já que a validade é de 60 dias, exigi-los ao comprar um animal, evitar que ele tenha contato direto com outros. Caso o dono do equídeo suspeite que ele esteja infectado deve isolá-lo e comunicar imediatamente a Adapec. No manuseio deve ter cuidado redobrado, luvas e máscaras, e evitar ao máximo que ele tenha contato com outros animais e humanos.

A Adapec está à disposição nas suas unidades em todo o Estado e disponibiliza ainda o 0800 63 11 22, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 14, para que os interessados tirem suas dúvidas e também denunciem o trânsito clandestino de animais. Outra plataforma disponível está no  link a seguir: https://adapec.to.gov.br/animal/notificacao-de-suspeitas-de-doencas-em-animais/ , onde o usuário poderá registrar suspeita da enfermidade.

Mormo

É uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos. Nos equídeos, os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente (assintomática) na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Curso de Letras da Unitins promove roda de conversa com o tema “Literatura para quê?”

Publicado

em

O curso de Letras, da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Câmpus Araguatins, promoveu na quarta-feira, 25, uma roda de conversa com o tema “Literatura para quê?”. O evento contou com a participação da professora Cláudia Lúcia Coelho Lopes, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), docente de Literatura na rede privada de ensino em Araguaína. A roda de conversa foi direcionada para os acadêmicos de Letras do 6º período. Evento aconteceu de forma remota com transmissão via Google Meet.

De acordo com a professora mestranda Rosana Quadros Santos Leite, idealizadora da ação, o objetivo do evento foi proporcionar aos acadêmicos uma reflexão sobre o ensino da literatura “e de como ela pode ser trabalhada em sala de aula com uma função libertadora no processo de ensino aprendizagem”, ressalta.

A acadêmica Nayara Régia avalia que “a roda de conversa proporcionou aos estudantes mais conhecimentos sobre a temática abordada, pois nós, como futuros professores de Língua Portuguesa e Literatura, temos que compreender a importância da Literatura na sociedade, pois em breve estaremos contribuindo para a formação de jovens leitores,” defende. 

A coordenação do curso de Letras entende que cada vez que o acadêmico se aproxima das práticas escolares que a universidade proporciona, ele fortalece seus valores intrínsecos no âmbito da formação pedagógica se percebendo como sujeito professor e o habilitando para prática docente no mercado de trabalho. (Ruy Bucar)

Continue lendo

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Acadêmico e egresso de Direito publicam artigo

Publicado

em

O acadêmico de Direito João Emanuel da Silva e o egresso Tiago Alencar Cruz, sob a orientação do professor Dr. Hewldson Reis Madeira, do Câmpus Augustinópolis, da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), tiveram publicado o artigo “Vedação ao Less Elegibility: Finalidades da pena e marginalização do apenado em análise”, na revista Humanidades & Inovação, da Unitins.

A pesquisa faz parte do Núcleo de Pesquisas em Direito da Universidade Estadual do Tocantins (Nupetins), Câmpus Augustinópolis, “Neoconstitucionalismo, ativismo judicial e direitos fundamentais”.

Para o acadêmico João Emanuel,  é gratificante ver um trabalho dando frutos. Vejo a área de pesquisa científica como ponto fundamental para formação acadêmica e, por isso, me empenho em participar dela. O apoio dos professores e  colegas do grupo de pesquisa do Nupetins foi essencial. Acredito que o fortalecimento dos grupos de pesquisa na Unitins será engrandecedor para toda comunidade acadêmica. Quero também agradecer especialmente ao professor Dr. Heldwson e ao egresso da Unitins e coautor do artigo Tiago Alencar”, disse.

A coordenadora do curso, Sarah Coelho Lima, explica que o núcleo é um ótima oportunidade de desenvolvimento profissional. “O aluno que participa desse tipo de grupo tem condições de adquirir habilidades diferenciais para um processo de seleção de estágio, além de criar um rico networking”, arremata.

Para conferir esse e outros artigos na Revista Humanidades e Inovação, clique aqui.

Continue lendo
publicidade Bronze