Após reunião nesta quarta-feira (12) com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), deputados federais do Tocantins e a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) decidiram acionar o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) pelos preços abusivos cobrados pelas passagens aéreas para o estado.

Reclamação constante dos tocantinenses, o preço médio das passagens para o estado (ida ou volta) – que vinha registrando queda desde 2014 – mais que dobrou do ano passado para cá, saltando de R$ 214,00 para R$ 470,04.

A bancada decidiu levar o caso ao CADE porque avaliou que as companhias aéreas fizeram de Palmas uma rota de compensação para o prejuízo ou para o lucro menor que eventualmente estejam tendo em outras rotas.

Kátia Abreu lembrou que, em fevereiro, o governo do Tocantins reduziu o ICMS de querosene de aviação de 14% para até 3%. “Não temos voos suficientes nem preços coerentes em relação aos nossos estados vizinhos que cobram ICMS superior ao nosso. Não há explicação para essa discrepância”, observou a senadora. 

O presidente da ANAC, José Ricardo Botelho, esclareceu que a agência não regula preços de passagens e limita-se a regular as tarifas dos aeroportos, os manuais de segurança aeronáutica e os manuais de treinamento de pilotos – que é um dos mais rigorosos do mundo.

Além de Kátia Abreu, estiveram na reunião com a ANAC o coordenador da bancada, deputado Carlos Gaguim, o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas e os deputados Tiago Dimas, Vicentinho Júnior, Dulce Miranda.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.