O bispo da diocese de Tocantinópolis, no Bico do Papagaio, Dom Giovane Pereira de Melo e o bispo de Imperatriz, no sul do Maranhão, Dom Vilson Basso, aproveitaram um intervalo do Sínodo para Amazônia para falar com o papa Francisco, sobre o mártir da terra e das águas, padre Josimo Tavares, que foi assassinado em 1986, por um pistoleiro enquanto subia a escadaria do prédio onde ficava o escritório da Comissão Pastoral da Terra (CPT), em Imperatriz.

Dom Giovane e Dom Vilson pediram ao papa o início do processo de beatificação e canonização de Josimo.

“Na breve conversa com o papa Francisco, apresentamos Josimo e falamos da possibilidade de iniciar o seu processo de beatificação e canonização. A resposta do papa Francisco foi: ‘faça o pedido, comece!'”, relatou Dom Giovane.

O Documento Laboris (instrumento de trabalho) e as falas nas grandes conferências do Sínodo para a Amazônia falam fortemente da agressão aos direitos humanos na Amazônia, dos conflitos agrários, da agressão ao território dos povos originários e também dos mártires da Amazônia. (Com informações da Ascom Diocese de Tocantinópolis)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.