- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
segunda-feira, 08 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

BNDES custeará projetos de sustentabilidade no Estado

Mais Lidas

O Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai custear o Projeto de Arranjos Produtivos Sustentáveis do Tocantins. O Projeto tem o objetivo de desenvolver técnicas ecologicamente corretas de aumentar a produção agrícola sem degradar o meio ambiente.

O Projeto está na sua fase I, que compreende a adequação do Tocantins às exigências do Banco para receber o dinheiro necessário ao desenvolvimento das iniciativas. Segundo os técnicos envolvidos no Projeto, serão necessários cerca de R$ 20 milhões do BNDES para a implantação dos Arranjos. É uma verba não-reembolsável, ou seja, o Estado não precisará devolver o dinheiro, porém terá que entrar com contrapartida igual ao valor investido pelo BNDES. Para a adequação às exigências do Banco, o Tocantins terá o prazo de dois meses. Só depois disso, será possível estabelecer o tempo necessário para a implantação efetiva dos arranjos.

Técnicos da Seplan – Secretaria de Estado do Planejamento e da Modernização da Gestão se reuniram com a equipe do BNDES na semana passada para discutir os termos de implantação do projeto. Participaram da reunião técnicos das Secretarias do Trabalho e Ação Social; da Agricultura, Meio Ambiente e Ruraltins. Do BNDES participaram Simone Almeida Moraes, Leonardo Pamplona, Dilson Ojeda Pires e André Banhara Barbosa de Oliveira.

Arranjos

As Secretarias do Trabalho e Ação Social; da Agricultura, Meio Ambiente e Ruraltins estão inseridos no projeto que será custeado por uma doação não-reembolsável do BNDES, por meio do Fundo Amazônia.

Desde 2008, o Fundo Amazônia tem por finalidade captar doações para investimentos não-reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, promoção da conservação e do uso sustentável das florestas no Bioma Amazônia. O Fundo pode utilizar até 20% dos seus recursos para apoiar o desenvolvimento de sistemas de monitoramento e controle do desmatamento em outros biomas brasileiros e em outros países tropicais.

Além da redução das emissões de gases de efeito estufa, as áreas temáticas propostas para apoio podem ser coordenadas de forma a contribuir para a obtenção de resultados significativos na implementação de seus objetivos.

O Fundo é gerido pelo BNDES, que também se incumbe da captação de recursos, da contratação e do monitoramento dos projetos e ações apoiados.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias