Connect with us

Bico do Papagaio

BURITI: Pai de buritinense assassinada pelo marido no Suriname encontra netos

Publicado

em

O pai da buritinense Romênia Brito pôde finalmente encontrar os netos nesta terça, 1º, na vila onde a filha foi assassinada, no Suriname. As crianças, de cinco e 10 anos, estavam com a vizinha desde que a mãe foi morta a facadas na semana passada. Para a família esse encontro representa um pouco de esperança no meio de uma tragédia que nunca será esquecida.

Este é o primeiro encontro do avô, Francisco Saraiva, com o neto mais novo. Isso porque a última vez que Romênia Brito esteve no Brasil ainda estava grávida do menino. A família informou que a guarda das crianças está encaminhada e deve ser concluída nos próximos dias, quando o avô e as crianças voltarem a Paramaribo, capital do Suriname.

Dona de casa, a buritinense Romenia Brito, de 28 anos, foi morta a facadas em uma vila nas margens do rio Lawa, no resort Tapanahony, distrito de Sipaliwini, no Suriname, que faz fronteira com Maripasoula uma comuna da Guiana Francesa. Segundo autoridades locais, o principal suspeito do crime é Aimar Lopes de Souza, marido da vítima e pai dos meninos, que também é brasileiro e está preso. A defesa dele não foi localizada.

A família também está realizando os trâmites legais para repatriar o corpo da brasileira, que está em um necrotério na capital.

“O atestado de óbito dela já está pronto, mas o pai teve que ir lá na vila para resolver o que tem que resolver. Só então ele vai voltar para a capital, Paramaribo, para mexer com a papelada do corpo porque a partir do momento que receber a liberação já tem que retirar o corpo”, explicou Holanda Brito, irmã da brasileira assassinada. (Com informações do G1)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

Tocantinópolis e Augustinópolis iniciam vacinação contra Covid-19 nesta sexta, 22

Publicado

em

Após a chegada da vacina Coronavac, a Prefeitura de Tocantinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inicia nesta sexta-feira (22), a partir das 9h, no Hospital Municipal José Sabóia, a Campanha de Vacinação contra a Covid-19.

O município recebeu 1.281 doses, que serão distribuídas entre trabalhadores da saúde; idosos com 60 anos ou mais, que vivem em instituições de longa permanência e população indígena.

“Toda a organização já está planejada para o início da primeira fase da campanha”, afirmou a coordenadora Vandecy Ribeiro.

Augustinópolis

Em Augustinópolis, que recebei 203 doses do imunizante, a vacinação também começa nesta sexta, dia 22.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Sindicato da Educação convoca servidores para ato por conta de salários atrasados

Publicado

em

O Sindicato dos Servidores da Educação de Araguatins (SINSEA) convocou manifestação na frente da Prefeitura Municipal, para a próxima segunda, dia 25, às 7h30. O motivo, é o salário do mês de dezembro de 2020 e parte do 13ª, não pagos pela gestão anterior, do prefeito Cláudio Santana (MDB).

Os educadores cobram uma posição do atual prefeito Aquiles da Areia (PP), sobre os pagamentos.

O grupo pretende ser recebido pelo atual gestor e entregar um oficio com reivindicações.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Promotores do Bico discutem estratégias para fiscalizar vacinação contra Covid-19

Publicado

em

Os promotores de Justiça do Bico do Papagaio e de outras regiões do estado, que atuam na área de defesa da saúde nas diversas comarcas do Estado reuniram-se nesta quinta-feira, 21, com o procurador-geral de Justiça, Luciano Cesar Casaroti, e com a coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Saúde (Caosaúde), Araína Cesárea D’Alessandro, para discutir estratégias de atuação referentes à fiscalização dos planos estadual e municipais de imunização contra Covid-19.

A intenção da reunião foi definir métodos quanto à fiscalização do respeito à fila prioritária, para que a atuação do Ministério Público do Tocantins ocorra de forma estratégica e uniforme em todo o Estado do Tocantins. O PGJ considerou que a quantidade de vacinas que chegou ao Estado é escassa e que deve haver uma fiscalização eficaz, para que as doses realmente cheguem ao seu público destinatário.

Sobre essa questão, a coordenadora do Caosaúde acrescentou que o grupo prioritário formado por profissionais da saúde é muito amplo, considerando o quantitativo de doses disponível, e que deve ser trabalhado o entendimento de que a vacinação contemple primeiramente aqueles que se encontram na linha de frente do diagnóstico e tratamento da Covid-19. Os outros grupos prioritários desta primeira fase de imunização são os idosos em instituições de abrigo e a população indígena que vive em aldeias e que possui idade a partir de 18 anos.

Entre os pontos discutidos na reunião, foi pontuada a necessidade de que se verifique se todas as gestões instituíram plano municipal de imunização, já que a execução do trabalho de vacinação é responsabilidade dos municípios. Onde ainda não existe um plano, o promotor de Justiça deve atuar para que seja instituído o planejamento.

Além das diversas estratégias para o acompanhamento da imunização, também foi discutido o andamento, no âmbito do Ministério Público, das possíveis denúncias relacionadas à burla da fila prioritária ou ao extravio das doses. Será estabelecido um trâmite diferenciado, preferencialmente por meio do aplicativo WhatsApp, para que as reclamações feitas à Ouvidoria cheguem de forma imediata aos promotores de Justiça das respectivas comarcas.

Continue lendo
publicidade Bronze