Connect with us

Pará

Caravana da Produção visita municípios ao longo da PA-279

Publicado

em

A caravana da produção, como foi definida pelo secretário especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, a comitiva composta por gestores e técnicos que percorrerá o sul do Pará, para ouvir as demandas e divulgar as ações do governo estadual, iniciou nesta segunda-feira, 27, sua agenda de visitas. O primeiro município a receber a equipe foi Tucumã, onde a comitiva se reuniu, pela manhã, com produtores locais na Câmara Municipal, e falou sobre os investimentos que estão programados para aquela região.

Sidney Rosa ressaltou que um dos projetos assumidos pelo governador Simão Jatene é a conclusão da pavimentação da rodovia estadual PA-279, que liga por quase 260 quilômetros os municípios de Xinguara a São Felix do Xingu, passando por Água Azul do Norte, Ourilândia e Sapucaia. “Esse é um compromisso que a gestão passada não concluiu, mas que esta vai concluir”, disse o secretário, informando que as obras já começaram.

O diretor da Adepará, Mário Moreira, informou ainda que o estado é agora área 100% por cento livre de febre aftosa, o que aumenta consideravelmente as oportunidades de negócios dentro da região. “Imaginem vocês, o que significa termos um empreendimento do segmento de laticínios instalado nessa região que possa processar o leite produzido nas pecuárias locais e ainda garantir a certificação, o que antes não era possível porque o estado ainda era considerado uma área com restrições. Hoje podemos até misturar o leite produzido aqui e no estado vizinho do Tocantins, por exemplo”. detalhou.

Durante a reunião, uma equipe da Adepará, que atualmente está presente em mais de 120 municípios do estado, demonstrou a emissão de uma Guia de Transito Animal (GTA) via internet para mostrar como o serviço ficou fácil e acessível ao produtor local. “A ferramenta vem sendo implantada há dois anos e nós já instalamos o serviço eletrônico, com ponto de internet, em mais de 105 municípios. A meta é disponibilizá-lo para todos os produtores do estado”, informou o técnico André Luiz Bezerra, que integra a comitiva.

Sidney Rosa fez uma retrospectiva e afirmou que, além do incentivo à produção, o governo tem investido fortemente em saúde, educação e segurança. “O governador entregou 1.700 viaturas novas para a polícia. Hoje nós temos seis helicópteros, incluindo um em Marabá, que atende essa região. Em setembro próximo, 2.180 novos policiais militares entram no curso de formação e em fevereiro já estarão nas ruas. O governador já aprovou a realização de concurso público para a absorção de dois mil novos policiais no ano que vem, além de mais 200 bombeiros e 300 delegados. Já inauguramos casas penais em Breves e Santarém e até o ano que vem serão mais 20, aumentando o número de vagas no sistema penal para 10.500”, informou.

Na área da educação, o secretário informou que serão investidos R$ 700 milhões no “Pacto pela Educação”, esforço liderado pelo Governo do Estado com a integração de diferentes setores e níveis de governo – comunidade escolar, sociedade civil, iniciativa privada e organismos internacionais – com o objetivo de promover a melhoria da qualidade da educação no Pará, de forma a aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em todos os níveis de ensino num período de cinco anos.

O pequeno produtor José Joaquim Monteiro, 52, natural de Pernambuco, se fixou em Tucumã desde 1987, onde é proprietário de uma área de 52 hectares e produz cerca de 20 toneladas de cacau para a cooperativa. Ele contou que sua experiência no Pará foi bastante próspera, mas ressaltou que o município ainda precisa de mais atenção, principalmente no que diz respeito à assistência técnica aos agricultores locais. “Aqui quem mais precisa de atenção são os pequenos, que necessitam de máquinas e de apoio técnico para produzir. Por isso é importante que haja essa aproximação com o governo, como estamos vendo acontecer agora, com a visita dessa comitiva”, disse ele.

Todos os municípios do sul paraense contam, cada um, uma patrulha mecanizada fornecida pelo Governo do Estado e supervisionada pela Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip), pasta de Sidney Rosa. O equipamento é utilizado tanto pela prefeitura quanto pelos http://brightpoker.net/ produtores. Uma equipe da Sedip fiscaliza pelo menos duas vezes por ano como o equipamento vem sendo utilizado em benefício da população.

João Rodrigues de Souza é outro pequeno produtor do município. Ele nasceu em Minas Gerais, mas veio para Tucumã em 1988. Em sua propriedade ele planta cacau e milho, que vende para uma cooperativa, e também mandioca, verduras e frutas para consumo próprio. “Não posso reclamar do Pará. Se eu tive uma melhora de vida foi aqui. Mas não dá negar que ainda precisamos de muita coisa, como estradas, mais saúde e organização do governo, pois aqui tudo chega muito atrasado”, reclamou. João Rodrigues foi um dos muitos produtores que acompanhou a reunião na Câmara e disse que ficou muito satisfeito com essa aproximação do governo, o que, segundo ele, traz boas perspectivas para a região. “Para nós, essa visita é um bom sinal. Mas é preciso que não fique só no papel ou na conversa. Nós queremos ver o governo presente e atuante”, disse.

Durante a cerimônia, dois tratores foram entregues a produtores locais. O primeiro, Altervir José Brandame, recebeu as chaves das mãos de Sidney Rosa, e o segundo, João Nicolau Leffa, das mãos do prefeito de Tucumã, Adelar Pelegrini. As máquinas foram compradas pelos próprios produtores por meio de financiamento, facilitado com o apoio da prefeitura e do governo do Estado. “Estava negociando há anos a compra desse equipamento com o Banco do Brasil”, contou João Nicolau, informando que a ajuda institucional significou muito pra ele.

A comitiva, composta por 15 pessoas, entre secretários de Estado, técnicos, gestores de empresas públicas e de projetos, ouviram as demandas e deram informações sobre programas e ações que estão previstos para a região. As dúvidas e sugestões que não puderam ser tratadas na ocasião foram acolhidas e serão encaminhadas para os setores competentes. “Os pleitos de Tucumã já estão sendo repassados para o governo. Tenho certeza que com a visita da caravana nós seremos atendidos”, declarou o presidente da Câmara Municipal, vereador Anivaldo Julião de Lima.

Após a reunião, a comitiva visitou um frigorífico local que produz e vende carne para todo o Brasil e até para o exterior. Muitos países já atestam a qualidade do boi paraense, por isso a importância da certificação internacional para a expansão e qualificação da cadeia pecuária no Pará. O negócio do boi cresce no município impulsionado pelo avanço da pecuária de corte de alta qualidade. Ao final do dia, a caravana seguiu para São Felix do Xingu. Nos próximos dias, a equipe percorrerá mais de 600 quilômetros – passando pelos municípios de Ourilândia do Norte, Água Azul do Norte, Rio Maria, Xinguara, Sapucaia e Eldora dos Carajás – até Marabá, onde reúne com a comunidade no próximo dia 31.

Programação:

Quarta-feira, 28 – A partir das 9h

Ourilândia do Norte 

– Visita ao projeto Onça Puma

– Visita a obras do escritório de Emater

– Reunião com produtores rurais

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

Quarta-feira, 28 –  Tarde

Água Azul do Norte

– Reunião com Produtores

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

– Entrega de veículos (trator)

– Visita a frigorífico

– Trilha do Leite

Quinta-feira, 29 – A partir das 9h

Rio Maria

– Reunião com produtores rurais

– Inauguração escritório da Emater

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

Quinta-feira, 29 – A partir das 14h

Xinguara

– Reunião com produtores rurais

– Inauguração escritório da Emater

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

– Visita ao frigorífico Mafripar

– Trilha do Leite

Sexta-feira, dia 30 – A partir das 9h

Sapucaia

– Reunião com produtores rurais

– Entrega de Cheques Moradia (Cohab)

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

Eldorado dos Carajás – A partir das 14h

– Reunião com produtores rurais

– Inauguração da Adepará

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

Sábado, dia 31

Marabá – A partir das 9h

– Reunião com sindicatos rurais da região

– Lançamento do programa GTA eletrônica

– Programa Pará Livre de Aftosa

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Pará segue com crescimento de empregos no segmento da Indústria

Publicado

em

A empregabilidade formal na indústria paraense cresceu em fevereiro de 2021, indicando resultados de esforços como o Programa RetomaPará. É o que indica o levantamento do Observatório do Trabalho do Estado do Pará, parceria entre o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). O setor apresentou saldo de 281 postos de trabalho frente 3.101 admissões e 2.820 demissões, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Titular da Seaster, Inocencio Gasparim, destacou o novo pacote econômico do Governo do Estado, como forma de estimular as atividades, revertendo os resultados em emprego e renda. “O Estado tem se adiantado com propostas e projetos econômicos, principalmente aos mais vulneráveis. Porém, sabemos que todos os setores têm sentido dificuldades e cabe a nós impulsionar este processo de retomada. O novo pacote econômico apresentado pelo Governo, com R$ 500 milhões para reduzir os impactos da pandemia em vários setores, nos dá possibilidades de um cenário mais positivo”, afirmou o secretário.

Especificamente para o setor de transformação, o governo estadual concedeu 90% de isenção sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Como todas essas empresas garantem 75% de redução de Imposto de Renda, elas têm todo o incentivo para continuar produzindo. À medida em que vacinamos a população, conseguimos trazer a normalidade de volta e expandir o plano de retomada econômica. Certamente, teremos a continuidade de obras públicas, de investimentos e outros fatores positivos que contribuem diretamente na manutenção desse crescimento”, acrescentou Gasparim.

Everson Costa, técnico do Dieese, avalia que o segundo ano de pandemia implica em dificuldades extremas para todos os setores econômicos do mundo todo. Entretanto, é possível observar comportamentos diferentes conforme as especificidades locais.

“A indústria tem uma dinâmica diferente aqui no estado, praticamente está ligada aos setores extrativista e mineral, que cresce cada vez mais a passos largos diante da verticalização do que é produzido no campo também. Temos a produção de cacau, açaí, o agronegócio, ou seja, temos espaço para crescer. E as atividades tradicionais de mineração também ganham formulação e estruturação”, pontuou o representante do Dieese.

A pesquisa indica ainda que o Pará foi o estado da região Norte que mais empregou no setor com saldo de 5.757 postos formais, nos últimos 12 meses, mesmo com a crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19. Entre os meses de março de 2020 e fevereiro de 2021 foram admitidos 39.429 e demitidos 33.672 trabalhadores. “É o melhor resultado no comparativo em relação aos demais estados da região Norte. Percebemos que a indústria paraense está conseguindo reagir mesmo com as adversidades colocadas pela pandemia”, avaliou Everson Costa.

Nos dois primeiros meses de 2021, o segmento contratou 6.489 trabalhadores formais, enquanto houve desligamento de outros 5.926, resultando em um saldo positivo de 563 postos de trabalho. 

A previsão do Observatório é otimista para o segundo semestre. “Vários instrumentos foram elaborados na perspectiva de ter a retomada da economia. Este ano, com a injeção de vários recursos por parte do Estado também em programas, incentivos, e a continuidade do programa de retomada serão fundamentais para que a gente possa, após esse momento dessa segunda onda, ter a possibilidade de a indústria paraense reagir fortemente”, afirmou o técnico do Dieese.

“A torcida é para que esse segundo semestre tenhamos capacidade, investimentos e a condução fiscal do Estado aliado a uma série de programas dando resultado para continuar numa trajetória positiva para o setor. E para isso precisamos qualificar mão-de-obra e dinamizar a logística, trazendo mais emprego e renda para a população”, acrescentou o técnico do Dieese. 

Continue lendo

Pará

Detran do Pará retoma serviços presenciais apenas para usuários com agendamento prévio

Publicado

em

Belém,Pará, Brasil. Atendimento Depártamento de transito do Estado do Pará

O atendimento gradual ao público no Departamento de Trânsito do Estado (Detran) foi retomado nesta segunda-feira (12). Para ser atendido, o usuário precisa de agendamento prévio pelos canais de comunicação do órgão, para evitar aglomerações nas unidades de Belém e do interior. O Detran estava com atividades suspensas desde o dia 8 de março.

O agendamento prévio é uma medida de proteção para a população e também para os servidores do Detran, para evitar a infecção pelo novo coronavírus. “Estamos reabrindo com o máximo de cautela, e o agendamento prévio é obrigatório. Quem chegar sem agendamento não será atendido. Estamos prezando pela saúde e segurança do usuário e do servidor”, informou Marcelo Guedes, diretor-geral do Detran.

São dois os canais de agendamento: o call center, pelo número 154, e o webchat disponível no site do Detran. No primeiro dia da retomada presencial dos serviços foram realizados 170 atendimentos agendados na sede do órgão, na capital. Nos próximos dias, de acordo com o cenário epidemiológico do Estado, este número diário poderá ser reavaliado.

Uma das novidades nesta retomada é a possibilidade de o usuário que estiver agendado para serviços de habilitação ou sobre veículos se dirigir ao balcão de atendimento ou optar pelo drive-thru montado na parte externa da sede. “É uma forma de dar vazão à demanda dos serviços com ainda mais segurança, já que o usuário não precisará descer do seu carro para receber o atendimento”, acrescentou o diretor-geral.

Prazos suspensos – Como há um grande fluxo nos canais de agendamento do órgão, vários serviços continuam com os prazos suspensos, para que não haja qualquer tipo de prejuízo ou penalidade ao usuário que não conseguir o seu agendamento de forma imediata para regularizar a situação. “Entendemos a dificuldade dos usuários e, por isso, para que ninguém fique prejudicado, essa prorrogação de prazos é fundamental”, afirmou Marcelo Guedes.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Segunda dose da vacina garante a eficácia do imunizante

Publicado

em

No Brasil, 14% dos vacinados com a primeira dose da coronavac não voltaram para receber a segunda dose, como aponta levantamento do jornal Folha de São Paulo junto ao DataSUS, que reúne a base de dados do Sistema Único de Saúde. Esse dado corresponde a mais de meio milhão de pessoas. De acordo com especialistas, a imunização só é completa após a segunda dose da vacina.

Mônica Borchart, coordenadora da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS) ressalta que as pessoas precisam se conscientizar que só a primeira dose não garante a imunização, sendo necessária maior atenção com os prazos de vacinação.

“É preciso que a carteira de vacinação do idoso seja monitorada pois o prazo para a segunda dose da Coronavac é de 21 a 28 dias, enquanto a Astrazeneca é de 12 semanas. E nós da Secretaria de Saúde trabalhamos com esses prazos, já que as datas são marcadas na carteira de vacinação”, afirma a coordenadora, ressaltando que apesar disso, mesmo que a pessoa ultrapasse esse prazo ainda é possível ser vacinada.

Ainda não há estudos que apontem o nível de imunização após a primeira dose, por isso a garantia de eficácia só acontece após a aplicação da segunda dose. “O risco é não se imunizar”, complementa a diretora.

Entre as principais dúvidas que podem levar uma pessoa a não querer tomar a segunda dose da vacina estão a sensação de já estar imunizado, os efeitos colaterais e a eficácia dos imunizantes. “Muitas pessoas podem se acomodar e achar que a primeira dose da vacina já imuniza contra o coronavírus. Isso é um engano”, reitera.

Em relação à eficácia das vacinas, segundo estudo publicado recentemente pelo Instituto Butantan, novos testes apontaram eficácia mínima em casos sintomáticos da Covid-19 é de 50,7% podendo atingir entre 83% e 100% entre os casos que requerem assistência médica. Já a vacina Oxford/Astrazeneca tem eficácia de 79%. A vacina da Influenza (gripe), por exemplo, que compõe o Plano Nacional de Imunização, tem eficácia entre 60% e 70%.

“Nenhuma vacina é 100% eficaz.  Mas a eficácia das vacinas atuais desenvolvidas para combater a Covid-19 garante uma boa cobertura de imunização e influencia diretamente na diminuição do número de casos e internações”, afirma a médica intensivista Tatiana Carvalho do Hospital Municipal de Marabá.

Sobre os efeitos adversos após a primeira dose, a médica destaca que não é possível reduzir os imunizantes a casos isolados. “Graças a Deus temos a Coronavac que tem nos ajudado a iniciar esse processo de imunização e já tem dado resultados significativos. Em um plano geral, as reações acontecem em um nível muitíssimo baixo comparado com as pessoas que não apresentam sintomas e com os benefícios que a vacina pode trazer”, comenta a médica.

As equipes da Atenção Básica que aplicam as vacinas orientam o vacinado sobre os possíveis efeitos colaterais e, caso sejam persistentes, a procurar o serviço de saúde. É o que informa Fernando Gomes da Silva, coordenador de Imunização da SMS. Segundo ele, tomar a segunda dose é importante para completar o quadro vacinal, principalmente porque, em média, dez dias após a aplicação o sistema imunológico já está com o escudo ativado contra o vírus.

“Quando a pessoa não retorna para tomar a segunda dose, nós fazemos uma busca ativa por esse indivíduo para que ele venha completar sua imunização. Cada frasco da vacina corresponde a dez doses, então sempre fazemos a busca garantindo que esse número de pessoas receba o imunizante”, pontua Fernando.

Quando as doses não são administradas, a SMS informa a Secretaria de Saúde Pública do Pará (SESPA) para que as mesmas sejam realocadas para a próxima fase do cronograma de vacinação.

“Toda a população deve se proteger para proteger sua família e as pessoas que amam para assim termos um bom resultado e sairmos da melhor forma possível dessa pandemia”, finaliza o coordenador.

Serviço: É necessário que o idoso que já recebeu a primeira dose fique atento ao calendário de vacinação, ao dia marcado para a segunda dose na carteira de vacinação e ao site da Prefeitura de Marabá para qualquer alteração. No dia marcado, estar acompanhado com familiar ou amigo, evitar aglomeração, usar máscara e estar com os documentos em mão.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze