Aclamada pelos fiéis, a berlinda com a Imagem Peregrina na Rua Padre Champagnat, nos primeiros metros da grande romaria.

A maior manifestação cristã do Brasil, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, ganhou as ruas de Belém na manhã deste domingo (13). De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), a edição de número 227 da grande romaria reuniu cerca 2 milhões de pessoas, percorrendo 3,6 quilômetros durante 4 horas e meia.

Ainda era madrugada quando romeiros começaram a chegar à Praça Frei Caetano Brandão, no bairro da Cidade Velha, centro histórico da capital paraense, onde começaria mais um Círio de Nazaré. Horas antes da missa, promesseiros que decidiram seguir de joelhos por todo o trajeto da procissão iniciaram o percurso em direção à Praça Santuário, no bairro de Nazaré, com muita fé e esperança. “Eu vim agradecer pela saúde do meu sobrinho, Lorenzo Daniel. Os médicos disseram que ele não iria andar, nem ouvir e enxergar. Hoje, ele está com um ano e quatro meses, sem problemas de audição e nem de visão”, disse a autônoma Cláudia Vilhena.

A missa na Catedral Metropolitana de Belém, de onde parte a grande romaria, começou às 5h30. Desde o ano passado, a missa ganhou um novo horário, iniciando 30 minutos mais tarde que nos anos anteriores. De acordo com a Diretoria da Festa de Nazaré, a mudança foi necessária para dar mais conforto aos romeiros, que costumavam chegar ao local ainda na madrugada.

Momento de graça – Desta vez, a cerimônia religiosa foi presidida pelo núncio apostólico do Brasil, Dom Giovanni D’Aniello, que substituiu o arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, nas principais celebrações da quadra nazarena, devido à participação de Dom Alberto no Sínodo da Amazônia, realizado durante o mês de outubro na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Esta é a primeira vez, desde quando assumiu o Arcebispado, em 2010, que Dom Alberto não está à frente das romarias.

Entre as árvores, o rio de fé segue seu curso, em mais um Círio de Nazaré

“Acolhemos o convite para o Círio com muita alegria. Eu e mais dois colaboradores da Nunciatura, assim como também alguns padres que vieram da Itália para experimentar a beleza do Círio. Este é um momento de graça, no qual sentimos com mais profundidade a presença de Deus, através da Sua Mãe. Também experimentamos o caminhar junto, o estar junto ao redor da coisa mais importante da nossa vida, que é Cristo”, complementou Dom Giovanni D’Aniello durante a cerimônia.

Após uma hora e meia de celebração, a Imagem Peregrima de Nossa Senhora de Nazaré foi apresentada aos fiéis e levada à berlinda, pelo coordenador do Círio 2019, Claudio Acatauassu; o coordenador-geral da Guarda de Nazaré, Guilherme Azevedo, e um guarda-mirim.

A berlinda foi decorada com cravos, hortênsias e orquídeas da Amazônia, na cor vermelha, para simbolizar, de acordo com a Diretoria, o sangue de Jesus derramado na cruz e o momento em que, com Sua crucificação, Maria acolhe todos os seres humanos como seus filhos.

Caminhos da fé – A romaria começou após as 7 h, e seguiu pelo Boulevard Castilhos França, onde foi atrelada a 400 metros de corda, dividida em dois núcleos e cinco estações. O Círio é a 6ª romaria oficial da quadra nazarena.

Vista aérea da chegada do Círio em frente à Basílica Santuário de Nazaré

De acordo com o diretor de Eventos do Círio, Franco Barreto, a organização se prepara todos os anos para que um número maior de romeiros faça parte da procissão. “Estivemos na rua para poder fazer o Círio da melhor forma. Não tivemos contratempos, além do que já era esperado. A cada ano esperamos que mais fiéis venham a Belém para conhecer a procissão”, disse o diretor.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Mauro Campbell, secretários do Estado e autoridades convidadas acompanharam o Círio no palanque do Governo do Estado, montado na Estação das Docas. Foi um momento de emoção para o ministro, que havia participado do Círio, pela última vez, aos 09 anos de idade, e tem parte de sua família oriunda do Pará.

“Hoje, eu tenho 56 anos de idade. Então, tem um tempinho que não acompanhava o Círio. Sou filho de uma paraense, a família da minha mãe é toda daqui. As minhas raízes são mantidas. O Círio e todo esse clima gera uma onda de fraternidade e solidariedade. Desejo a todos um Feliz Círio”, declarou o ministro do STJ. 

Identidade – Estiveram no palanque, também, o secretário de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame, e o senador Jader Barbalho (MDB-PA), que falou sobre a emoção de acompanhar mais um Círio. “O Círio é religião, é  fé e cultura, além de identidade do povo do Pará. Um Natal dos paraenses. Peço que Nossa Senhora de Nazaré derrame bênçãos para todos os paraenses. Estou muito feliz em participar de mais um Círio”, assegurou o senador.

Após o Boulevard Castilhos França, a berlinda seguiu pelas avenidas Presidente Vargas e Nazaré, até a Praça Santuário, aonde chegou por volta das 11h30. No caminho, múltiplas orações, lágrimas e homenagens. “Eu consegui a minha casa, finalmente, depois de oito anos. Eu vinha lutando por isso e fui abençoada, há dois meses. Vim aqui para agradecer”, contou a agricultora Maria Benedita Chaves, que reside no município de Santa Izabel do Pará (Região Metropolitana de Belém).

Dentre as homenagens, uma se destacou: as 182 vozes do Grande Coral da Fundação Cultural do Pará (FCP), que há 18 anos reúne pessoas, na faixa etária de 18 a 80 anos, para louvar a Virgem de Nazaré. Este ano, o grupo esteve posicionado em uma das arquibancadas da Praça da República, entoando cânticos das 7 às 11 h. “É uma forma de agradecer a Ela por nossas vidas, além de ser uma forma de dar motivação aos idosos que participam. Temos esse compromisso social e de fé”, informou a coordenadora do Coral, Fátima Barroso.

Por volta das 09 h, a corda foi cortada em dois pontos, de acordo com a Diretoria da Festa: entre o núcleo da cabeça e a estação 5, e entre as estações 2 e 3.

Segurança – O Centro Integrado de Comando, montado pelo governo até o próximo dia 28, durante a Operação Círio 2019, funciona ao lado da Basílica Santuário e integra todas as agências que compõem o Sistema de Segurança Pública, juntamente com as Secretarias de Saúde, Cruz Vermelha e Defesa Civil. Desde o início do mês, o Centro vem monitorando, por meio de 73 câmeras instaladas na área de influência das procissões e 15 no corredor principal da Trasladação e do Círio. “Aqui, conseguimos dar uma resposta imediata aos acontecimentos e ocorrências que necessitam de ações de segurança e saúde. Estamos todos, de forma integrada, com agências estaduais, municipais e federais, para dar uma reposta rápida à população”, reiterou o secretário adjunto da Segup, Rômulo Rodovalho.

Após chegar à Praça Santuário, a Imagem Peregrina foi recebida pelo presidente da celebração, Dom Gilberto Pastana, Bispo do Crato (CE). Em seguida, foi apresentada aos romeiros pelo coordenador Claudio Acatauassu.

Até a próxima quarta-feira (16), a berlinda ficará em exposição na Estação dos Carros, na Avenida Visconde de Souza Franco (Doca), enquanto a Imagem Peregrina poderá ser visitada na Praça Santuário, em frente à Basílica, pelos próximos 15 dias.(
Barbara Brilhante 
Foto: Marcelo Seabra e
Jader Paes)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.