Connect with us

Tocantins

Com cenário preocupante, Saúde no TO busca apoio para realização de ações para controle do Aedes Aegypti

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) reativou nesta sexta-feira, 04, no Anexo 1 da SES, as atividades da Sala Estadual de Combate ao Aedes Aegypti, com reunião de várias entidades parceiras para a definição de ações e estratégias para o controle do vetor da Dengue, Chikungunya e Zika. A intenção é realizar por meio da sala atividades conjuntas de mobilização entre os diversos setores do governo, devido ao preocupante cenário epidemiológico apresentado este ano, com índices alarmantes das doenças relacionadas ao Aedes.

Em todo o Tocantins, em 2018, foram confirmados até o início do mês de setembro, 1.311 casos de dengue, contra 11.532 casos confirmados em 2019, um aumento de 780%. Oito óbitos foram registrados nos municípios de Gurupi, Itacajá, Miracema do Tocantins, Palmas (02), Paraíso do Tocantins, Pedro Afonso e Tocantínia.

Com relação à Chikungunya este ano, onze municípios (Araguaçu, Araguaína, Araguatins, Colméia, Dianópolis, Gurupi, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Santa Tereza, Sucupira e Tocantinópolis) confirmaram casos da doença. Em 2018 foram registrados 70 casos, contra 47 este ano, uma queda de 32%.

Quando verificados os dados de Zika, até o momento, 24 municípios confirmaram casos (Araguaína, Araguatins, Brejinho de Nazaré, Carrasco Bonito, Colméia, Formoso do Araguaia, Fortaleza do Tabocão, Guaraí, Itaporã, Monte do Carmo, Nazaré, Palmas, Palmeirante, Paraíso, Pedro Afonso, Pequizeiro, Ponte Alta do Bom Jesus, Porto Alegre, Porto Nacional, Riachinho, Santa Tereza, Taguatinga, Tocantínia e Tocantinópolis). No total foram confirmados 168 casos em 2019, aumento de 250% comparado com o mesmo período de 2018, que registrou apenas 48 casos de Zika.

Segundo o gerente de Vigilância Epidemiológica das Arboviroses, o biólogo em Saúde, Evesson Farias de Oliveira, está circulando no Estado o sorotipo DEN 2, um vírus com maior tendência para agravamento dos casos. “Estamos com maior número de casos graves da última década, nunca tivemos números tão alarmante como este, já houve oito óbitos no Estado este ano, quase um por mês. Situação muito preocupante que deixa todos os serviços de saúde em alerta. Mesmo no período de estiagem no Estado houve registro da doença e infestação do mosquito, a tendência é piorar a infestação e aumentar o número de casos com o inicio do período de chuvas”, ressalta.

Sala de Situação

A Sala é composta pelas Secretarias de Saúde, Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas), Secretaria de Educação (Seduc), além da Polícia Militar do Tocantins, Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, Defesa Civil Estadual, Casa Civil, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Tocantins (Cosems-TO), Distrito Sanitário Indígena (DSEI/TO) e Ministério da Saúde. (Laiany Alves)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins tem 62.360 pacientes recuperados de Covid-19 e 11.385 ainda ativos

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quarta-feira, 28 de outubro, foram contabilizados 357 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 112 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 231.878 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 74.837 casos confirmados da doença. Destes 62.360 pacientes estão recuperados e 11.385 estão ainda ativos (em isolamento domiciliar ou hospitalar), além de 1.092 óbitos.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

Menor é apreendido no interior do Tocantins com dinheiro falso comprado pela internet

Publicado

em

Na tarde desta terça feira, 27, um menor de 16 anos de idade foi apreendido pela Polícia Militar durante abordagem em Ponte Alta do Tocantins, por ato infracional (moeda falsa). Ele portava um envelope com conteúdo ilícito e confessou que se tratava de notas falsas compradas na Internet pelo valor de R$ 200,00.

O menor foi apreendido durante abordagem realizada pelos militares de Ponte Alta do Tocantins. No interior do envelope que o infrator portava os policiais encontraram sete notas de R$ 100,00 totalizando R$ 700,00. Para os policiais, o autor informou que havia comprado as moedas pela Internet, no site de  compra e venda OLX e pagou pelas notas falsas o valor de R$ 200,00. A conduta é tipifica como crime pelo art. 289, § 1º, do Código Penal (aquisição de moeda falsa). 

Diante da situação o menor foi autuado em flagrante. O Conselho Tutelar foi acionado por se tratar de um menor de idade e o pai do jovem acompanhou toda a ação policial. Depois de apreendido o infrator foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil em Porto Nacional, para os procedimentos legais cabíveis. 

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Crime de estupro e roubo solucionado com a ajuda de análise de material genético deixado na cena do crime

Publicado

em

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) de Araguaína, com apoio do Laboratório de Genética Forense da Superintendência da Polícia Científica, concluiu o primeiro caso de crimes de Estupro e Roubo apurado pelo exame de DNA de vestígio encontrado na cena do crime.

Conforme o delegado Breno Eduardo Campos Alves, o crime ocorreu no mês de março de 2020, quando a vítima e o namorado foram abordados no momento em que se encontravam no interior de um veículo, no período noturno no Bairro JK, em Araguaína. Na ocasião, as vítimas foram amarradas e roubadas, tendo o autor do crime violentando sexualmente a vítima mulher.

A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos encampou a investigação e, diante do exame de local direto e indireto do crime, foi possível realizar a coleta de vestígios que foram encaminhados ao Laboratório de Genética Forense.

Ainda segundo a autoridade policial, o árduo trabalho de investigação resultou na identificação de um suspeito e seu perfil genético foi colhido, tratado e comparado com amostras coletadas do vestígio recolhido na cena do crime pelo LGF, confirmando cabalmente ser ele o autor do crime.

O Delegado Breno Eduardo ressaltou que “se tratou de investigação complexa que culminou na prisão preventiva do autor do crime, bem como do partícipe, um indivíduo que emprestou ao autor a arma utilizada no crime e a motocicleta com a qual se aproximou e fugiu após o ato”. O autor do crime foi preso no Estado do Piauí e o partícipe preso pelo mesmo crime, no Estado do Pará.

Genética

O Laboratório de Genética Forense informou que esse foi o primeiro caso de apuração de crimes de estupro e roubo que foi elucidado por meio de investigação genética de vestígio coletado na cena do crime, marco pioneiro do processo de investigação moderna que a Polícia Civil vem construindo. 

O Delegado Breno Alves ainda informou que o autor se encontra preso preventivamente e já responde a mais de uma dezena de processos por crimes de estupros, roubo e homicídios nos estados do Pará, Tocantins, Piauí e Maranhão, sendo que na época do crime se encontrava foragido.

Além do trabalho técnico da DRR – Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e do Laboratório de Genética Forense, a investigação teve auxílio da Polícia Civil dos estados do Piauí, Pará e Goiás.

O perito Paulo Henrique Teixeira ressaltou que o isolamento do local do crime e a consequente preservação dos vestígios foram de fundamental importância para a realização da análise contundente do perfil genético do suspeito, o que contribui sobremaneira para a elucidação do crime.

Já o perito Marciley Alves Bastos ressaltou a importância do Banco Nacional de Perfis Genéticos. Segundo ele, com a inserção dos dados e dos vestígios do suspeito nesse banco outros crimes passados ou futuros poderão ser solucionados. O perito também frisou que através da colocação dos dados, bem como dos vestígios do suspeito preso, não somente crimes sexuais, mas também, roubos, homicídios sequestros, enfim, uma série de outros delitos que podem deixar vestígios poder ser desvendados trazendo mais segurança à população. Por fim, Marciley agradeceu o apoio recebido da Polícia Científica do estado de Goiás. (Rogério de Oliveira)

Continue lendo
publicidade Bronze