Connect with us

Pará

Cresce a produção de gado leiteiro no Pará

Publicado

em

O rebanho leiteiro de 45 famílias de oito comunidades de Ipixuna do Pará, no nordeste do estado, está sendo melhorando geneticamente a partir de inseminação artificial nas vacas. A iniciativa faz parte do Programa Municipal de Melhoramento Genético da Bovinocultura, coordenado pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em parceria com a prefeitura, Associação das Indústrias Exportadoras de Madeiras (Aimex) e Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri).

Em julho do ano passado, fertilizou-se o primeiro lote de animais: 534 matrizes, escolhidas pelos próprios produtores como aquelas de maior produtividade natural, receberam sêmen de touros selecionados, da raça gir.

As inseminações são subsidiadas pelo Programa, reduzindo o custo unitário para até R$ 14 reais, quando o preço padrão é de no mínimo R$ 35.

As operações são realizadas por inseminadores profissionais – técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) cedidos para a Emater, que também é responsável pelo transporte deles até as propriedades, via duas motos por ora de uso exclusivo para a ação.

A ideia é que as próximas crias, cujo nascimento está previsto para maio, tenham pré-disposição genética à produção de leite, em termos de quantidade e de qualidade. Hoje, uma matriz comum produz até seis litros por dia; a geneticamente melhorada deve alcançar os dez litros por dia.

Esse grupo de matrizes tem caráter piloto e servirá de vitrine para que outros pequenos pecuaristas se interessem.

“A tradição aqui é cruzar a vaca de qualquer jeito, principalmente com touros nelore, cuja raça tem aptidão para carne, não para leite. O agricultor infelizmente tem dificuldade de acreditar que essa tecnologia fará diferença de verdade. Queremos provar e garantir que o rebanho do agricultor familiar tenha características genéticas favoráveis à produção de leite. Com o manejo certo, que já vem acontecendo pela assistência da Emater, alcançaremos alta produtividade”, esmiuça a bióloga e engenheira agrônoma Lidiane Silva, chefe do escritório local da Emater.

Embora a pecuária de leite seja uma das principais atividades da agricultura familiar no município, com cerca de 400 famílias atuantes, o sistema de produção é falho, com produtividade baixa e conseqüências ambientais desastrosas – já que, para fazer o pasto, o produtor acaba desmatando.

“Historicamente, a mesorregião do nordeste paraense apresenta altos índices de desmatamento, e a pecuária é um dos motivos. Só que, quanto mais produtivo for o animal, menor será a necessidade de ampliação do rebanho; e, quanto menor o rebanho, menor o pasto. Acreditamos que, com o Programa, o desmatamento provocado pela pequena pecuária irá diminuir. Até porque a agricultura familiar não se baseia na expansão desmensurada do próprio negócio: a estrutura da produção familiar é limitada pela mão-de-obra doméstica, por exemplo. O produtor vai se satisfazer com um rebanho reduzido superprodutivo”, explica o engenheiro agrônomo da Emater Valdeides Lima.

Com o aumento da produção e da qualidade do leite em Ipixuna, a tendência é que as indústrias com potencial comprador se associem às comunidades, até instalando resfriadores ali mesmo. Também se pretende acelerar outros aspectos da cadeia produtiva, como o beneficiamento, com a fabricação comercial de derivados lácteos, sob a constituição de agroindústrias.

“É necessário formar uma bacia leiteira em Ipixuna. Há produção; o que falta é organização da produção. Estamos batalhando nesse sentido”, diz Lidiane Souza. (Aline Miranda)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Pará

JACUNDÁ: Jovem faz cachorro inalar fumaça de maconha e caso vai parar na Polícia

Publicado

em

Um vídeo de uma influencer digital de Jacundá, na região de Carajás, Pará, publicado nas redes sociais foi alvo de denúncias por maus tratos à polícia.

Nas imagens, a jovem aparece tragando um cigarro de maconha e expirando na boca de um cachorro, o obrigando a inalar a fumaça.

Ainda no vídeo, uma pessoa que está com a jovem pede para ela parar, avisando que seria maus-tratos, o que é crime por lei: “Não faz isso não, mano. Coitado do animal. Isso aí é maus-tratos”.


A denúncia foi parar na Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, da Polícia Civil (PC), que informou, em nota, ter instaurado um Auto de Investigação (AI) para apurar o caso.

De acordo com a PC, informações preliminares apontam que o vídeo foi gravado há cerca de um mês, quando a investigada ainda era adolescente.

“A investigada e o amigo, dono do animal, compareceram à unidade policial para prestar esclarecimentos e aguardam a conclusão da investigação”, segundo a PC.

O crime de maus-tratos a animais é previsto no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/98 e, com atualização, pode ser punido com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda.

Continue lendo

Pará

Tuna bate Paysandu e se aproxima do título do Parazão 2021

Publicado

em

Deu Tuna Luso nos primeiros 90 minutos da decisão do Campeonato Paraense 2021. Em partida no Estádio do Souza, a Águia Guerreira derrotou o Paysandu por 4 a 2 e chega com boa vantagem para o jogo de volta no próximo domingo, dia 23, na Curuzu. Na primeira etapa, os laterais Léo Rosa e Alexandre Pinho marcaram os dois primeiros para a Lusa. Na volta do intervalo, Lukinha ampliou. O Papão diminuiu com Perema, de cabeça. Paulo Rangel fez valer a lei do ex e marcou o quarto dos donos da casa, mas Gabriel Barbosa diminuiu o prejuízo para os bicolores minutos depois. No segundo jogo, a Tuna pode perder por até um gol de diferença que mesmo assim fica com a taça, feito que não acontece desde 1988.


Antes da partida começar, a Tuna já tinha o melhor ataque da competição e disparou ainda mais nesse quesito hoje. A equipe cruzmaltina tem 29 gols em 13 jogos no Parazão, uma média de 2,2 por partida. Paulo Rangel, com sete gols, é o artilheiro do time, o vice da competição, atrás de Cris Maranhense, com oito. Outro destaque é o lateral-direto Léo Rosa e o meia-atacante Lukinha, que têm cinco e três gols respectivamente.

O Paysandu chegou à final com a melhor defesa do campeonato, tendo sofrido apenas sete gols. A equipe chegou a ficar sete jogos sem ter a defesa vazada. O então ponto forte do Papão não funcionou hoje e levou quatro gols da Tuna, deixando as coisas complicadas para a volta na Curuzu.

O jogo de volta da final do Campeonato Paraense 2021 está marcado para o próximo domingo, dia 23, às 17h, na Curuzu. O Papão precisa vencer por dois gols de diferença, se quiser pelos menos levar a decisão para os pênaltis, ou mais, se quiser o título no tempo normal. Já a Tuna pode perder por até um gol de diferença que mesmo assim conquistará o 11° título estadual.

Continue lendo

Pará

BREU BRANCO: Chamonzinho leva ações do Mais Saúde

Publicado

em

Neste sábado, 15, o deputado Chamonzinho (MDB), levou até Breu Branco, na região de carajás, Pará, ações do Mais Saúde, promovidas pelo Instituto Miguel Chamon, com atendimentos de saúde para fortalecer o combate à pandemia.

Chamonzinho esteve acompanhado de vereadores, vice-prefeito e prefeito da cidade, onde também visitaram a Praça São Cristóvão, que será reformada e revitalizada, através de uma emenda destinada pelo parlamentar.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze