Chateado por não ter sido atendido em suas demandas, entre elas ser o 1ª vice-presidente estadual e indicar os membros do Diretório Municipal de Tocantinópolis, o deputado estadual Jair Farias, não participou da Convenção Estadual da legenda na última sexta-feira, 31.

Para o parlamentar que queria a 1ª vice, lhe sobrou a 3ª, atrás dos deputados Nilton Franco, que ficou na 1ª vice e Elenil da Penha, com a 2ª. Jair também perdeu a queda de braço com Waldemar Júnior, que terá seu grupo predominando o partido em Tocantinópolis.

A rebeldia de Jair, foi bastante criticada nos bastidores, principalmente por emedebistas mais tradicionais do segundo escalão da legenda, como ex-prefeitos do interior. As críticas também sobraram de forma contumaz para a deputada federal, Dulce Miranda, que já vinha sendo criticada desde antes da cassação de Marcelo Miranda, por conta do forte suporte estrutural destinado por ela a Jair Farias.

Desde sexta, Dulce vem sendo cobrada pela postura de Jair Farias e apontada como principal responsável pela rebeldia do parlamentar. As críticas ainda são resquícios do forte investimento financeiro feito pela deputada na campanha de Jair, deixando outros emedebistas históricos que foram também candidatos, mas sem recursos ou pouquíssimos recursos.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.