Connect with us

Pará

Derrame mata o empresário José Diamantino, dono do grupo Revemar

Publicado

em

O presidente do Grupo Revemar, José Francisco Diamantino, de 62 anos, morreu por volta de meio dia deste sábado, 7, no Hospital Santa Mônica, em Goiânia (GO), onde estava internado desde ontem, sexta-feira, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) na concessionária Phoenix, em Marabá.

O corpo de Diamantino deverá ser trazido para Marabá ainda hoje, com previsão para chegada ao Aeroporto João Correa da Rocha e de lá seguirá para o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16, onde será velado. O horário do enterro, neste domingo, ainda não foi revelado pela família.

O empresário e pecuarista José Francisco Diamantino estava em coma induzido após procedimento cirúrgico ao qual foi submetido na madrugada desta sexta-feira (6). Ele foi transportado às pressas em UTI aérea da Juta, no início da noite de sexta-feira, após ser acometido de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), também chamado de derrame cerebral. A cirurgia tinha por objetivo retirar coágulos.

A notícia do passamento do fundador do Grupo Revemar rapidamente se espalhou no meio empresarial, entre amigos, admiradores e funcionários, de forma que todos passaram a procurar por mais informações ontem referentes ao estado clínico do paciente.

Diamantino começou a dar mostras do seu problema de saúde ainda na manhã de quinta-feira, quando estava na Fênix Automóveis, uma das concessionárias do seu grupo, ao lado do Hospital Regional, na Nova Marabá. Um dos seus funcionários mais antigos e próximos, Willame de Souza, o Bigode, foi quem percebeu que o patrão realmente precisava de cuidados médicos e o convenceu a procurar ajuda médica. Ele ligou para o médico que o acompanhava, em São Paulo, e este, segundo Bigode, teria lhe aconselhado a viajar urgentemente para Belém, mas Diamantino ponderou que já iria melhorar e que segunda-feira iria para São Paulo.

Quando pirou, nesta sexta-feira, por volta de 11h30, o empresário foi conduzido ao Hospital Climec, aonde já chegou com dificuldades e com o corpo parcialmente paralisado. Os médicos locais entenderam que era caso para transferência a um centro com recursos mais avançados. Foi negociado leito no Hospital Sítio Libanês, em São Paulo e o paciente foi levado ao hangar da Juta, no Aeroporto de Marabá, de onde embarcaria em UTI aérea às 18h15, com destino a Congonhas. O voo era particular.

Foram no mesmo avião, dois pilotos, um médico intensivista, uma auxiliar de enfermagem e o filho mais velho do paciente, Winston Diamantino e a esposa Conceição. Não fosse a aeronave equipada com os recursos necessários, o empresário fatalmente não teria resistido, uma vez que o seu estado piorou durante o voo, inclusive com parada cardiorrespiratória.

Com isso, a equipe optou por pousar na capital mais próxima, Goiânia (GO), aonde chegou ao solo às 21h05. Uma equipe médica, acionada pela sede da Juta em Marabá, já aguardava pelo paciente. A cirurgia aconteceria poucas horas mais tarde. Estavam acompanhando Diamantino na capital goiana os filhos Winston, Patrícia e Priscila, esta última, inclusive, médica. Já a esposa dele, Ivanilda, estava na Croácia e não chegou a tempo de ver o marido com vida.

José Francisco Diamantino era paulista da região de Presidente Prudente e chegou a Marabá em 1981, tendo instalado uma tímida concessionária Volkswagen na Avenida Marechal Deodoro, na Marabá Pioneira. Em três décadas, ele construiu um conglomerado de empresas que inclui dezenas de concessionárias no Pará e em outros estados, fazendas e uma fábrica de cimentos no Nordeste.No agronegócio, é pioneiro no melhoramento genético e um produtor de referência no Brasil, com destaque para a raça Nelore, sendo considerado o maior pecuarista do Norte neste segmento.

Seus negócios empregam mais de 2 mil pessoas em dezenas de cidades e ele era considerado o homem mais rico de Marabá. (Paulo Costa)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

TUCURUÍ: Independente fica no empate com Tuna Luso em Belém

Publicado

em

Tuna Luso e Independente Tucuruí empataram em 2 a 2 na manhã deste sábado, 6. O confronto aconteceu no Estádio do Souza, em Belém, pela segunda rodada do Campeonato Paraense 2021. No primeiro tempo, a Lusa saiu na frente com Pedrinho, aos 34, mas sofreu o empate do Galo Elétrico um minuto depois, através do artilheiro Danrlei. Na volta do intervalo, Railson, aos 14, se aproveitando de uma falha do goleiro Evandro Gigante, virou o resultado a favor do time tucuruiense. Aos 20, entretanto, Neto, em um bonito gol de fora da área, deixou tudo igual. No geral, a Cruz de Malta foi melhor, mas errou demais diante de um Galo eficiente.

A Tuna – que ainda não venceu – somou o primeiro ponto no Grupo B, está na segunda colocação, mas corre o risco de ficar na lanterna ao final da rodada. No Grupo C, o Independente, com quatro pontos, só pode perder a liderança para o Águia de Marabá, que tem três e enfrenta o Tapajós, em Belém, neste domingo – clique e confira a tabela de classificação e os jogos do Parazão.

Na quarta-feira, dia 10, a Tuna mede forças com o Castanhal no Modelão, a partir das 10h. O Independente Tucuruí só volta a campo no dia 14, um domingo, contra o Gavião Kyikatejê, no Zinho Oliveira, às 16h.

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Distrito Industrial prepara terreno para atrair mais empresas

Publicado

em

Com o emprego em alta e um grande plano de investimentos públicos a caminho, Parauapebas tende a registrar, neste ano, uma grande procura de empresários pelo Distrito Industrial do município. “O espaço que temos hoje vai ficar pequeno para tudo o que vai acontecer este ano no distrito”, prevê o secretário municipal de Desenvolvimento, Edmar Milhomem.

Neste ano, sete empresas já manifestaram interesse em se instalar no polo, sendo que um oitavo empreendimento está de “malas e cuias” preparadas para aportar na cidade, depois de receber a concessão do título do terreno. É a Semerc, fábrica de móveis de aço para hospitais – a única do sul e sudeste do Pará.

A empresa vai gerar mais de 130 empregos diretos e indiretos, pois também fabrica outros produtos de metal e trabalha com montagem industrial, serviço de usinagem, tornearia e solda. O proprietário Márcio Viana informa que a Semerc ainda faz montagem de central de distribuição de oxigênio hospitalar e a prestação de serviços de engenharia.

Para tornar o Distrito Industrial mais atraente, desde 2019 a prefeitura conta com o apoio técnico da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), responsável pelo plano de trabalho que começou a ser executado nas áreas de infraestrutura e logística para garantir, inclusive, segurança jurídica às empresas.

“O Distrito Industrial já recebeu várias melhorias da prefeitura, como o asfaltamento da área, instalação de internet, energia, cercamento e agora vamos partir para garantir o pleno fornecimento e abastecimento de água naquela área”, informa Edmar Milhomem.

Além disso, acrescenta o secretário de Desenvolvimento, a frente do distrito será revitalizada, com seguranças na portaria e instalação de portões eletrônicos, para maior controle da entrada e saída de veículos. Outra preocupação é com a manutenção constante da área, a fim de manter o local limpo e organizado.  

Outra providência tomada pela Seden foi conversar com uma rede de combustível para instalação de um posto às proximidades do polo. “Nós precisamos pensar em tudo, do menor ao maior detalhe, para convencer as empresas de que vale a pena se instalar em Parauapebas”, diz Milhomem. (Hanny Amoras)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Idosos com 80 anos começam a ser vacinados

Publicado

em

Com a chegada de mais 890 doses da vacina Covishield, referente à 4ª remessa da 1ª fase de imunização, Parauapebas dá seguimento ao plano de vacinação. 15% deste quantitativo atenderá os profissionais de saúde, entre eles, os que trabalham no presídio.

As demais doses serão destinadas aos idosos. Além das pessoas com mais de 90 anos, o município começou a imunizar esta semana idosos a partir de 80 anos. A secretaria municipal de Saúde (Semsa) reforça que a vacinação segue normalmente, de acordo com disponibilidade das vacinas.

A vacinação pode ocorrer em domicílio, caso o idoso tenha dificuldade de locomoção. Para isso, um familiar e/ou responsável deverá solicitar o atendimento preferencial na secretaria de saúde, localizada na rua E, nº 481 – bairro Cidade Nova, das 7h às 11h e das 13h às 17h.  

“Pedimos a compreensão da população, principalmente para o público prioritário. Conforme Nota Técnica nº 013, emitida pelo Ministério da Saúde, devemos antecipar a imunização dos idosos, paralelamente a vacinação dos profissionais de saúde”, explicou Michele Ferreira, Diretora da Vigilância em Saúde.

“No atual cenário, a quantidade de doses disponibilizada para os estados e municípios ainda não é suficiente para alcançar todo o esquema vacinal da primeira fase. Assim, à medida em que as doses forem chegando, os calendário será devidamente seguido para cada grupo populacional”, conclui Gilberto Laranjeiras, secretário de saúde. (Nívea Lima / Foto: Elienai Araújo)

Continue lendo
publicidade Bronze