Connect with us

Geral

Desenvolvimento sustentável da Amazônia é debatido pelo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, e presidente da CNI

Publicado

em

O vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, general Hamilton Mourão, e o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, vão debater caminhos para o desenvolvimento sustentável da Amazônia em live nesta quarta-feira, 19 de agosto, a partir das 10h. O diálogo on-line, ao vivo e gratuito, é parte do Fórum Mundial Amazônia +21, uma ampla iniciativa para mapear perspectivas e buscar soluções para temas como biociência, tecnologia, meio ambiente, inovação, sustentabilidade, que levem crescimento à região e melhores condições de vida para seus mais de 20 milhões de habitantes. Também participa da conversa o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia e presidente da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Marcelo Thomé de Almeida. As inscrições podem ser feitas aqui.

“A ideia é que a identidade cultural e o desenvolvimento econômico da Amazônia caminhem juntos para que sejam criados novos modelos sustentáveis para a região, com articulação e colaboração entre governo, setor produtivo, academia, sociedade civil e instituições de fomento”, defende o presidente da CNI, Robson Andrade.

A live do dia 19, Visão de Futuro, Oportunidades e Desafios para a Região Amazônica, é um dos eventos preparatórios do Fórum Mundial Amazônia+21. A iniciativa reúne mais de cem instituições nacionais e internacionais, além de empresários, especialistas, pesquisadores, órgãos de fomento, formadores de opinião, autoridades públicas e investidores, na busca de um novo modelo, com geração de riquezas e renda para as comunidades amazônicas e proteção do bioma. “Precisamos sair da falsa dicotomia entre conservação versus desenvolvimento. Ambas caminham juntas e precisam garantir mais qualidade de vida às populações amazônicas”, destaca Thomé.

Até novembro, vários outros debates serão realizados, como preparação para o Fórum, que ocorrerá de 4 a 6 de novembro deste ano. O movimento, permanente, promoverá conversas sobre os desafios e as soluções para a Amazônia em quatro eixos temáticos negócios sustentáveis, cultura, financiamento dos programas (funding) e ciência, tecnologia e inovação.

O Fórum é uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), com apoio da CNI, da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, da Prefeitura Municipal de Porto Velho e da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura de Rondônia.

SERVIÇO

Debate virtual ao vivo sobre o desenvolvimento da Amazônia
Quando: 19 de agosto, às 10h
Inscrições (gratuitas e mediante breve cadastro): https://amazonia21.encontrodigital.com.br/
Para acompanhar o debate ao vivo: https://www.youtube.com/watch?v=bPEySn7ZM_w&feature=youtu.be

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Geral

Região Norte do país tem previsão de chuva, nesta segunda, 23

Publicado

em

No decorrer da semana, a chuva segue ocorrendo em grande parte da região Norte, com mais intensidade entre Roraima, norte do Amazonas e Pará. Nas demais áreas chove de maneira pontual, apesar da chance de temporais. Calor segue presente por toda a região. A temperatura em toda a região deve ter mínima de 18ºC e a máxima pode passar dos 36ºC no Acre e em Rondônia.

Continue lendo

Geral

Covid-19: governo brasileiro se reúne com cinco laboratórios

Publicado

em

30/10/2020 REUTERS/Dado Ruvic/Foto ilustrativa

O governo brasileiro informou neste domingo, 22, que se reuniu, na última semana, com cinco laboratórios que desenvolvem vacinas contra a covid-19. Foram recebidos representantes da Pfizer, Janssen, Bharat Biotech, Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e Moderna. Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que coletou informações sobre os detalhes técnicos das vacinas, bem como sua segurança e eficácia.

A pasta informou ainda que deverá assinar cartas de intenção não-vinculantes com as empresas para permitir uma futura aquisição de doses. Mas qualquer compra de vacina só poderá ocorrer após o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Outros requisitos também precisam ser cumpridos antes da compra de uma vacina: a segurança; a eficácia; a capacidade de produção em escala; a oferta em tempo oportuno para inserir as vacinas no Programa Nacional de Imunizações (PNI); o preço proposto para a incorporação e as condições logísticas oferecidas.

“Os encontros desta semana complementam os acordos contratuais feitos pelo Governo Federal. Até o momento, o Ministério da Saúde tem acordos contratuais para o possível acesso a 142,9 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, que poderão imunizar pelo menos um terço da população brasileira, assim que concluídas as etapas de segurança, eficácia e registro”, afirmou o ministério, em nota.

Segundo a pasta, a previsão é produzir na Fiocruz, de forma autônoma, mais 110 milhões de vacinas em 2021, “se tudo ocorrer da maneira planejada”. O Ministério da Saúde afirmou que acompanha 270 estudos de vacinas em todo o mundo e quer adquirir uma vacina segura “com a maior brevidade”.

Continue lendo

Geral

Ministro acompanha trabalho de restabelecimento de energia no Amapá

Publicado

em

o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, realizou uma visita técnica à subestação de Laranjal do Jari, no interior do Amapá, da empresa Linhas Macapá de Transporte e Energia, a fim de acompanhar as ações de restabelecimento total da energia no estado.

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, viajou hoje (19) para o Amapá para acompanhar os trabalhos de restabelecimento de energia elétrica no estado. 

O fornecimento começou a ser interrompido no dia 3 de novembro. Desde então, as cidades passam por um racionamento de energia. Aos poucos, a energia está voltando, mas em forma de rodízio. A falha inicial ocorreu em um transformador que pegou pego e foi totalmente destruído. 

Segundo o ministro, a partir de sábado (21), o estado passará a receber energia oriunda de uma usina termelétrica. Dessa forma, a carga completa poderá voltar ao normal até 26 de novembro. O governo federal contratou 150 megawatts de energia emergencial para o Amapá.

“Com essa operação da geração termelétrica, o Amapá vai voltar às condições que tinha anteriormente ao desligamento da energia”, disse o ministro. 

De acordo com Bento Albuquerque, há um esforço coletivo para o restabelecimento da energia. É a terceira vez que o ministro vai ao estado para acompanhar os trabalhos. 

“No primeiro final de semana, conseguimos restabelecer cerca de 70% da energia do estado por meio de um transformador que foi recuperado e entrou em operação na subestação Macapá e estamos trabalhando para que o restante da energia necessária para atingirmos 100% ocorra nos próximos dias”, afirmou. 

As causas da queda no fornecimento estão sendo investigadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Na terça-feira (17), a capital, Macapá, e outras cidades do estado registraram mais um blecaute de energia elétrica. 

Continue lendo
publicidade Bronze