Connect with us

Pará

Dia da Artilharia é festivo na Guarnição de Marabá

Publicado

em

A segunda-feira (11) foi festiva no aquartelamento do 1º Grupo de Artilharia de Companhia de Selva (GAC), por conta das comemorações do Dia de Artilharia na Guarnição Federal de Marabá, onde aconteceram entrega de boinas aos soldados incorporados neste exercício, salva de tiros de canhão, desfile da tropa, de búfalos e de viaturas do Grupo. Antecedendo a um lauto almoço, as portas da caserna foram escancaradas para que os visitantes conhecessem o acervo cultural da corporação, criada em 1736 com a então denominação de Corpo de Artilharia do Rio de Janeiro – “Regimento Floriano”.

Na condição de comandante da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, o general-de-brigada Humberto Francisco Madeira Mascarenhas presidiu a festiva cerimônia militar, ladeado pelo tenente-coronel Carlos Alberto Ferreira Lopes Cora e de outros comandantes das unidades do Exército aqui sediadas.

Era 10 horas da manhã quando o subcomandante do GAC, major Glauco, apresentou a tropa pronta ao general Madeira, o qual autorizou o início da solenidade cujo objetivo foi efetivar a entrega de boinas aos recrutas incorporados naquela unidade militar e comemorar o Dia da Artilharia, no âmbito da 23ª Brigada.

Solenidade

Entre as formalidades de praxe e que cultivam o espírito de soldado da Amazônia, foi proferida a Oração do Guerreiro de Selva, professada de entoação da Canção da Artilharia, esta acompanhada por todos, seguida de salva de tiros de canhão. Coube ao general Madeira Mascarenhas a aposição da corbelha de flores junto ao busto do marechal Emílio Luiz Mallet, numa justa homenagem ao patrono da arma de Artilharia do Exército Brasileiro, também conhecido como Barão de Itapevi.
O busto do insigne militar estava posicionado estrategicamente à esquerda do palanque de autoridades, guarnecido por dois soldados trajando o uniforme utilizado em ambiente de selva e nas atividades de garantia da lei e da ordem. A tropa também prestou continência ao marechal Mallet com o “apresentar armas”.

Homenagem

Outro ponto alto da pujante cerimônia militar marcou o encerramento da fase de instrução individual básica, que consiste na entrega de boinas aos soldados que mais se destacaram nessa fase da vida do militar na selva.
Primeiramente, foram agraciados com a boina em momento especial os três soldados que mais se destacaram no estágio e que foram os seguintes: soldado Covre, na 1ª Bateria de Comando; soldado Jocivan, na Bateria de Obuses; e soldado Moitinho, na 2ª Bateria de Morteiros. Eles tiveram as boinas colocadas pelas mães e foram parabenizados em público pelo comandante da corporação.

Na sequência, receberam suas boinas os demais soldados que cumpriram o estágio, também entregues por pais, mães ou padrinhos. A boina rajada, para quem não sabe, é o símbolo de conclusão da fase individual básica, que torna o então combatente especializado no ambiente de selva.

Depois disso, eles ouviram atentamente as palavras do tenente-coronel Lopes Cora e do comandante da 23ª Brigada, general Madeira, o qual discorreu sobre os quase três centenários de história do Grupo de Artilharia e de sua importância enquanto instrumento de combate do Exército Brasileiro. Em especial, ele saudou os soldados que receberam a boina e seus familiares, “que abrilhantam a cerimônia”.

Destaque

Por fim, aconteceu desfile da tropa em continência ao comandante da 23ª Brigada ao som do dobrado “Comandante Lopes Cora”, rompendo a marcha, cantando a canção “Soldado de Artilharia” e, sem seguida, a entoação da canção Fibra de Heróis”. Na sequência, aconteceu salva de tiros, por ocasião da entoação da estrofe “Procuramos fazer do canhão, tiro, escudo da nossa Nação”.

Encerrando a formatura militar, foi realizado desfile da tropa com destaque para a Guarda Bandeiras, a Bateria de Comando, a 1ª Bateria de Obuses, esta uma unidade que tem missão de desencadear os fogos de obuseiros, com rapidez e precisão, proporcionando apoio de fogo e manobra da 23ª Brigada. Tarefa também da 2ª Bateria de Morteiros, uma subunidade com missão de fazer os fogos de morteiro, da mesma forma que a de obuseiros.

Houve também desfile de búfalos, animais que, segundo os militares do EB, reúnem, entre outras características, rusticidade, grande capacidade de carga e de adaptabilidade. No “Regimento Floriano”, por exemplo, os búfalos são utilizados no apoio logístico para transportar gêneros alimentícios, munição e nos tracionamentos dos obuseiros e morteiros através da selva, especialmente em regiões desprovidas de estradas convencionais.

História

À frente do desfile do comboio motorizado, o público teve o privilégio de ver uma viatura Dodge, fabricada para fins militares entre os anos de 1942 e 1945. Ela esteve presente a praticamente todas as operações na Itália, durante a 2ª Guerra Mundial, além de ter servido como transporte do pessoal do Regimento nos diversos combates dos quais a unidade participou como integrante da Força Expedicionária Brasileira.

Como ponto alto da solenidade festiva rememorativa do Dia da Artilharia, ocorreram magnífica apresentação da Banda de Música da Brigada, tendo também em sua composição alguns músicos da comunidade civil de Marabá, e estrondosa Linha de Fogo provinda de uma bateria de canhões, seguida de visitação dos convidados ao acervo Cultural do 1º Grupo de Artilharia de Campanha, unidade secular do Exército Brasileiro, que teve sede transferida do Rio de Janeiro (RJ) para Marabá em julho de 2005. (Mascarenhas Carvalho – Correio do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Fundador do Grupo Frango Americano, Yasuhide Watanabe, morre aos 71 anos

Publicado

em

Faleceu na tarde desta quarta-feira, 26, vítima de câncer, aos 71 anos, Yasuhide Watanabe, fundador do Frango Americano, com sede localizada na cidade de Santa Izabel, considerado o maior grupo empresarial do setor avícola do Norte do Brasil, com unidades instaladas nos Estados do Tocantins, Piauí e Maranhão. Watanabe que completaria aniversário em março deste ano, lutava contra a doença e não resistiu aos efeitos provocados. Há 40 anos comandava o Grupo Americano que mantém operações de incubação, criação e abate de aves. 

O empresário de descedência japonesa faleceu em um hospital no município de Castanhal, nordeste paraense, após passar mal na residência. Recentemente esteve em tratamento na cidade de São Paulo. Yasuhide Watanabe era pai do atual prefeito da cidade de Santa Izabel, Evandro Watanabe. E é na cidade izabelense que fica situada a base operacional do Grupo Americano, atualmente com cerca de 4 mil empregados diretos e indiretos.

Watanabe chegou ao Pará ainda criança, e acabou por se fixar na cidade de Santa Izabel, onde trabalhou inicialmente como agricultor, taxista até iniciar a trajetória de empresário. 

Nota de pesar:

Continue lendo

Pará

Pará anuncia medidas para população afetada por interdição de ponte

Publicado

em

O ferry boat está garantindo o transporte gratuito de pessoas e veículos

O governo do Pará e a prefeitura de Belém anunciaram uma série de medidas para minimizar e reparar os prejuízos e os transtornos que a interdição da ponte Enéas Martins causou à população da Ilha do Outeiro, um distrito da capital paraense.

Na última segunda-feira (17), os órgãos de segurança interromperam o trânsito de veículos e de pedestres, bem como a navegação de embarcações próxima ao local, logo após serem alertados de que um pedaço da ponte tinha se desprendido sobre o Rio Maguari e uma rachadura se abriu ao longo da via.

Segundo o governo estadual, testemunhas afirmam ter visto uma balsa se chocar contra o pilar central da ponte. Após a interdição, técnicos que vistoriaram a estrutura constataram danos em dois dos pilares de sustentação. A Polícia Civil, no entanto, não descarta a hipótese de os problemas terem sido causados por uma sucessão de colisões.

“Estamos fazendo perícias e, em breve, vamos divulgar a dinâmica: se foi uma embarcação que provocou a queda ou [se foram] sucessivos choques, de diversas embarcações”, disse o delegado Daniel Castro a jornalistas, ontem (23).

Na mesma coletiva de imprensa, o secretário estadual de Transportes, Adler Silveira, anunciou que o governo estadual vai construir uma nova ponte para interligar os distritos de Outeiro e Icoaraci

A nova ponte, de 360 metros de comprimento, utilizará o sistema de cabos-estais, ganhando uma espécie de mastro central onde serão afixados os cabos de aço que sustentarão seu peso. Segundo o governo estadual, a solução permitirá a ampliação do vão de navegação dos atuais 60 metros para 100 metros, aumentando a segurança da navegação. Os pilares remanescentes e todo o resto da estrutura deverão ser integralmente restaurados.

Segundo o secretário estadual de Transportes, as obras começarão imediatamente e devem ser concluídas em até sete meses. A rapidez deve-se ao fato de que o governo estadual será dispensado de selecionar a empresa responsável por meio de licitação pública, conforme destacaram os representante do Ministério Público de Contas do estado, Patrick Bezerra, e do Tribunal de Contas estadual, Marcelo Aranha.

“Necessário frisar que todas as informações das obras devem ser disponibilizadas para análise do Tribunal de Contas para que colaboremos com os órgãos de controle”, disse Aranha. “Na medida em que a fiscalização avançar, encaminharemos as conclusões à Setran para as medidas cabíveis.”

Para permitir que as milhares de pessoas que vivem na Ilha do Outeiro acessem a área continental e que turistas atraídos pela orla urbanizada da ilha façam o caminho inverso, o governo estadual disponibilizou barcos e balsas que estão fazendo a travessia ininterrupta de veículos e pedestres. Nas lanchas rápidas que transportam passageiros entre a ilha e o Trapiche de Icoaraci, a travessia dura cinco minutos. Já nos ferry-boats destinados a transportar veículos entre o porto da Brasília, em Outeiro, e o Terminal Hidroviário de Belém, a viagem pode durar cerca de 1 hora.

Prefeitura

A prefeitura de Belém também anunciou, ontem, medidas emergenciais e assistenciais que contemplam os moradores de Outeiro afetados pela interdição da ponte. Uma das medidas busca ampliar o número de beneficiários do programa Bora Belém entre as famílias residentes no distrito que vivem em extrema pobreza. Executado em conjunto com o governo estadual, o programa repassa de R$ 150 a R$ 450 mensais a cada família, conforme o número de filhos.

Outra medida contemplará, por pelo menos seis meses, os donos e os funcionários das barracas de praia, que receberão uma ajuda de R$ 500, e os trabalhadores autônomos e informais cadastrados pela prefeitura, que receberão R$ 300. No total, a prefeitura prevê um investimento da ordem de R$ 1 milhão para auxiliar os profissionais ligados ao atendimento turístico.

Segundo o prefeito Edmilson Rodrigues, o Banco do Povo de Belém também vai abrir uma linha de crédito solidário de R$ 1 milhão para emprestar aos pequenos empreendedores do distrito recursos para a manutenção de capital de giro e para cobrir custos fixos.

Além disso, a prefeitura promete outros investimentos em saúde e em ações sociais. “Apresentamos um conjunto de ações imediatas como o reforço das Unidades de Saúde, o aumento de funcionários, garantia de uma ambulancha [ambulância náutica], intensificação da vacinação e a instalação da Unidade Fluvial de Saúde, inaugurada recentemente para atender a população”, afirmou Rodrigues. (Alex Rodrigues)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Nível do Rio Tocantins começam a recuar

Publicado

em

Na manhã desta segunda-feira (24), o nível do rio Tocantins amanheceu em 11 metros e 95 centímetros acima do normal, um recuou de 1 m e 14 cm nos últimos 5 dias. Muitas ruas, principalmente nos bairros da Marabá Pioneira, já não estão mais alagadas, porém a Defesa Civil alerta para o perigo de um retorno sem orientação técnica.

De acordo com a Defesa Civil é aguardado ainda um repique, subida no nível do rio, pois ainda não passou o período de cheias e a orientação é que as famílias permaneçam nos abrigos ou em casa de familiares ou amigos e que a ajuda para as famílias continuam acontecendo normalmente. Atualmente são 21 abrigos oficiais e 20 caminhões para o transporte das pessoas, bem como seis embarcações para uso das famílias ilhadas.

Na última quarta-feira (18), o nível do rio atingiu a marca de 13 metros e 09 cm metros atingindo 4.424 famílias, sendo que 789 estão nos abrigos públicos e as demais desalojadas ou ilhadas. As famílias ribeirinhas também estão recebendo apoio por parte da Defesa Civil com distribuição de cestas básicas e outros serviços.

A Defesa Civil está conta com apoio do Exército, por meio da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, Marinha do Brasil e Corpo de Bombeiros, além da Defesa Civil Estadual. A Prefeitura de Marabá mobilizou mais de 200 servidores para ajudar no atendimento às famílias. (Victor Haôr / Fotos: Paulo Sérgio)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze