Connect with us

Maranhão

Edivaldo Holanda Júnior (PDT) é reeleito prefeito de São Luís-MA

Publicado

em

o-prefeito-de-sao-luis-ma-e-candidato-a-reeleicao-edivaldo-holanda-junior-pdt-1477156545700_615x300

O empresário Edivaldo Holanda Júnior (PDT) foi reeleito prefeito de São Luís (MA) no segundo turno, neste domingo (30). Ele concorreu ao cargo com o deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

Com 95,07% das urnas apuradas, Edivaldo tinha 53,83% dos votos, contra 46,17% de seu adversário.

Edivaldo de Holanda Braga Júnior tem 38 anos, é bacharel em direito e empresário. Iniciou sua carreira na política quando era estudante de direito. Foi líder estudantil da juventude do PSDB. Ainda como militante estudantil, em 2002, Edivaldo declarou o apoio nas campanhas do ex-governador Jackson Lago (PDT), morto em 2011, e do ex-presidente Lula (PT).

Em 2004, foi eleito vereador pela primeira vez em São Luís e conseguiu se reeleger no mandato seguinte. Em 2010, foi eleito deputado federal com 104.015 votos, sendo 70 mil votos somente em São Luís.

Em 2012, nas eleições municipais, conseguiu eleger-se prefeito de São Luís no segundo turno e tornou-se o prefeito mais jovem a ocupar o cargo. Naquele pleito, ele disputou o cargo com mais sete candidatos e obteve 36,44% dos votos válidos. No segundo turno, derrotou o candidato à reeleição João Castelo (PSDB) ao obter 56,06% dos votos válidos.

Durante a campanha do segundo turno, Edivaldo Júnior evitou o embate direto com seu adversário Eduardo Braide para não manchar sua imagem e ser reeleito. Houve troca de farpas sobre supostas irregularidades em órgãos públicos. Além disso, tanto Holanda quanto Braide se acusaram de receber apoio da família Sarney, hoje rejeitada por parte da população de São Luís.

No primeiro turno, Holanda polarizou a disputa pela Prefeitura de São Luís com o deputado estadual Wellington do Curso (PP), com quem chegou a ficar tecnicamente empatado nas pesquisas. Mas a eleição mostrou outro resultado: Braide aparecia em 4º lugar nas pesquisas e saiu dos 5% das intenções de voto para 21,34% dos votos válidos obtidos nas urnas, enquanto Holanda conseguiu 45,66%.

A coligação de Holanda “Pra Seguir em Frente” reúne doze partidos (PDT / PTB / PRB / PSC / PR / DEM / PROS / PC do B / PTC / PSL / PEN / PT). Já o PMN de Eduardo Braide não fez coligação com nenhum partido. Os dois candidatos tiveram cinco minutos no programa eleitoral da TV.

Holanda foi o candidato com mais tinha dinheiro em caixa: R$ 1.313.300. Desse total, a campanha o contratou R$ 1.189.418,74 e sua maior despesa foi com contrato de produção de programas de rádio, televisão ou vídeo, no valor de R$ 295 mil.

A campanha de Braide foi feita com menos recursos. Ele recebeu R$ 96 mil em doações e contratou R$ 290.829,37 – desse valor já foram pagos R$ 32.219,70. O maior gasto dele foi de R$ 135.510,00 com a impressão de material de publicidade. Os dados são de 20 de outubro.

Holanda vai governar uma cidade com 1,04 milhão de habitantes. Com um PIB de R$ 23 bilhões (segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2014), São Luís tem índice de mortalidade infantil de 17,12 por mil nascidos vivos (a média do Brasil é de 12,89 por mil) dados do IBGE de 2014) e taxa de analfabetismo de 5,92% (no Brasil, a taxa é de 11,82%)

A capital maranhense tem 67,1 homicídios por arma de fogo para cada cem mil habitantes, segundo o Mapa da Violência 2016 (é o 3º pior índice entre as capitais brasileiras – o Brasil tem 30,3 homicídios por arma de fogo a cada 100 mil habitantes) e 29,11% de domicílios com renda per capita mensal até metade do salário mínimo, dados do IBGE de 2010.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

PORTO FRANCO: “Chefe” é preso acusado de importunação sexual

Publicado

em

Em Porto Franco, município do sul do Maranhão, distante certa de 100 km de Imperatriz, um homem foi preso pela Polícia Civil, acusado de importunação sexual e estupro.

O homem não teve a identidade divulgada, se utilizava da sua posição hierárquica dentro de órgão público, pra assediar, importunar e estuprar suas subordinadas.
Ele foi preso em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela 1° Vara da Comarca de Porto Franco e está à disposição da Justiça.

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Valores incorretos do IPTU de apartamentos estão sendo corrigidos

Publicado

em

Os valores para imóveis com apartamentos do IPTU 2021 saíram com alíquotas incorretas, o que gerou um valor mais alto que o normal do imposto desse ano, na cidade de Imperatriz, no sul do Maranhão.

O contribuinte que perceber o erro no sistema, ao tentar gerar o boleto, deve aguardar a correção que já está em andamento pela Secretaria Municipal de Planejamento, Fazenda e Gestão Orçamentária, Sefazgo, ou falar com a Secretaria.

A empresa responsável pelo sistema que realiza o cálculo foi acionada e a Secretaria está empenhada em resolver o problema o mais rápido possível.

Contatos da Sefazgo:

E-mails: [email protected]/[email protected]
WhatsApp: (99) 99185-7126

Continue lendo

Maranhão

No Maranhão, deputado e ex-prefeito são suspeitos de pagarem dívidas junto ao TCU usando dinheiro público

Publicado

em

Uma operação realizada pelo Grupo de Atuação Especializada no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão em parceria com a Polícia Civil do Maranhão cumpriu na manhã desta quinta-feira (15) mandados de busca e apreensão em cinco municípios do estado por crimes de desvios de recursos públicos.

Batizada de ‘Laços de Família’, a operação está sendo realizada nas cidades de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Miranda do Norte e Bom Jardim.

Segundo a polícia, as investigações começaram após uma denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre desvios de recursos realizados no período de 2017 a 2020, durante a gestão do ex-prefeito de Miranda do Norte, Carlos Eduardo Fonseca Belfort.

Ainda de acordo com a polícia, o ex-prefeito faria uso de recursos públicos para quitar dívidas pessoais junto ao TCU. O mesmo esquema também seria feito pelo ex-prefeito e atual deputado federal, José Lourenço Bonfim Júnior, que esteve à frente da administração municipal de Miranda do Norte no período de 2009 a 2016.

A polícia diz que o esquema era operacionalizado por meio de empresas de fachada que participavam de licitações fraudulentas. O esquema causou um prejuízo aos cofres públicos no valor de R$ 22.061.477,53.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze