Connect with us

Bastidores

Em encontro de mulheres, Wagner se emociona e fala da parceria com Dimas em Araguaína

Publicado

em

No Encontro Mulher que Transforma, promovido pela coligação A Transformação Continua, em frente ao comitê central, na noite desse sábado, 24, o candidato a prefeito Wagner Rodrigues (Solidariedade) se emocionou ao falar da parceria firmada com o prefeito Ronaldo Dimas (Podemos). Em frente a centenas de mulheres, Wagner agradeceu com a voz embargada a confiança de Dimas.

“Quero agradecer ao prefeito Ronaldo Dimas pelo trabalho realizado na cidade e é assim que queremos continuar e com o Dimas só não aprende quem não quer. Tenho andando lado a lado e agradeço muito a Deus por ter colocado na minha vida um visionário como Ronaldo e tornaremos Araguaína a melhor cidade do Norte-Nordeste para se viver”, afirmou.

Wagner ainda agradeceu às mulheres que têm feito a campanha com muita responsabilidade. “Vocês têm responsabilidade pelo futuro de Araguaína, não tenho dúvida disso. Agora eu e Marcus não será nada diferente do que já foi feito e esse processo de transformação não pode parar”, concluiu.

Durante o encontro, o prefeito Ronaldo Dimas falou que as mulheres da Prefeitura estão conduzindo muitos trabalhos em sua gestão em cinco secretarias e que acredita em uma maior representatividade feminina também na Câmara Municipal.

“As mulheres hoje são a maioria na gestão do Município. A mulher é muito importante na nossa vida, tenho convicção que a Câmara Municipal está precisando de mais mulheres, de uma força feminina e um olhar diferenciado. E tenho convicção que pelo movimento que estou vendo nas ruas é que teremos muitas mulheres na Câmara”, destacou Dimas.

Mulher que transforma

O candidato a vice-prefeito Marcus Marcelo (PL) reforçou para as mulheres que a sua gestão com Wagner será de resultados. “É preciso trabalhar firme, sabemos que seremos atacados, mas vamos levar o 77 para todos porque a política de resultados está aqui. Estamos aqui por acreditar no projeto de Ronaldo Dimas”, declarou.

A esposa de Wagner, Ana Paula Lopes, disse que a gestão de Dimas já implementou muitos serviços para as mulheres. “Vi a transformação da cidade e tudo que a mulher toca, ela pode transformar. Dimas já trouxe a Clínica Especializada da Mulher e teremos muito mais ações voltadas para a gente”, informou.

Ana Paula ainda contou sua história de vida e enfatizou a força da mulher. “Temos uma força impressionante, quero contribuir e trabalhar junto com vocês. O nosso agir modifica o nosso meio, vamos juntos nessa caminhada e dar continuidade a esse projeto. O Wagner é competente e quando ele diz que vai fazer, ele faz. Ele tem responsabilidade e tenho certeza que assim como Ronaldo, Wagner será um dos melhores prefeitos”, finalizou.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bastidores

Projeto que regulamenta trabalho remoto está pronto para ser votado na Câmara

Publicado

em

O projeto de lei que regulamenta o trabalho remoto no País já pode ser votado no plenário da Câmara dos Deputados. O objetivo da proposta, que altera a CLT, é diminuir conflitos jurídicos e trabalhistas causados durante a pandemia de Covid-19 nos novos ambientes de trabalho.

O projeto também visa garantir os direitos trabalhistas e evitar explorações. Pelo texto, as relações de trabalho no home office deverão respeitar a intimidade, o direito de imagem, a privacidade e a segurança pessoal e familiar dos trabalhadores.

Caberá ao empregador orientar e fornecer aos trabalhadores os meios técnicos para a defesa desses direitos. (Brasil 61)

Continue lendo

Bastidores

Presidente edita decreto e medida provisória que zera impostos federais sobre diesel e gás de cozinha

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro zerou os impostos federais que incidem sobre a comercialização e a importação do óleo diesel e do gás de cozinha. A medida foi publicada no Diário Oficial da União na noite de segunda-feira (1º). 
 
Por meio de um decreto e uma medida provisória, o presidente zerou as alíquotas de contribuição do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) que incidem sobre os dois produtos. A diminuição dos impostos federais sobre o diesel vai valer durante os meses de março e abril. Já a do gás de cozinha será permanente. 

A redução do PIS e da Cofins no diesel e no GLP vão acarretar em perda de arrecadação tributária de R$ 3,67 bilhões em 2021. Para 2022 e 2023, a queda na tributação com o gás de cozinha será superior a R$ 900 milhões. Para compensar as perdas, o presidente aumentou a contribuição de instituições financeiras e encerrou o Regime Especial da Indústria Química (Reiq). (Brasil 61)

Continue lendo

Bastidores

Câmara aprova MP que autoriza adesão de Brasil a consórcio de vacinas

Publicado

em

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de hoje a Medida Provisória 1.004/20, que abre crédito extraordinário de R$ 2,5 bilhões para a participação do Brasil no consórcio internacional de vacinas Covax Facility, conduzido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e outras entidades. A matéria perde a vigência à meia-noite de quarta-feira (3) e deve ser votada ainda pelo Senado.

Pelo Covax, a estimativa é que o Brasil receba 10,6 milhões de doses de vacina até o final do primeiro semestre deste ano. A adesão do país ao Covax Facility foi viabilizada com a sanção da Lei 14.121/21, ocorrida na noite de ontem pelo presidente Jair Bolsonaro.

Para o relator da MP, deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), o crédito extraordinário é “ necessário para assegurar o acesso do Brasil a mais vacinas contra a Covid-19″.

Segundo relatório da Consultoria de Orçamento da Câmara, do crédito extraordinário de R$ 2,5 bilhões, 830,8 milhões foram executados até 24 de fevereiro para o pagamento inicial exigido pelo Covax (R$ 711,6 milhões) e a garantia de compartilhamento de riscos (R$ 91,8 milhões). O R$ 1,68  bilhão restante será usado para pagar as vacinas destinadas ao Brasil.

O Covax é o programa apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para providenciar vacinas para países pobres e de renda média e começou a distribuição na semana passada em Gana e na Costa do Marfim. A iniciativa pretende garantir uma produção mínima de cerca de 1 bilhão de doses em 2021, com possibilidade de mais 1 bilhão de doses, a serem distribuídas a países com renda per capita baixa ou média.

Além dos acordos com várias farmacêuticas – Pfizer, Novavax, Johnson & Johnson, AstraZenca, entre outras – o consórcio tem aporte financeiro de países ricos. Recentemente, líderes do G7, que reúne as sete maiores economias do mundo, anunciaram que vão dobrar seu apoio coletivo à vacinação anticovid, com US$ 7,5 bilhões (R$ 40,8 bilhões) adicionais.

Continue lendo
publicidade Bronze