Connect with us

Tocantins

Energisa adota causa de combate às drogas por meio da educação

Publicado

em

Mais de 400 mil crianças e adolescentes já participaram do Programa Educacional de Combate às Drogas (Proerd) da Polícia Militar do estado do Tocantins. A iniciativa busca capacitar estudantes para que tenham condição de realizarem escolhas seguras e saudáveis, distante de comportamentos violentos e ilícitos. Para os que foram beneficiados pelo programa, a lição foi aprendida: “educação e prevenção no contexto familiar fazem toda a diferença”, afirma Narjara Bolentini,  que foi uma das participantes do Proerd e hoje é colaborada da Energisa na área de Planejamento. 

Narjara conhece a causa do programa desde muito cedo. Para ela, as ações desenvolvidas pelo programa causam impactos positivos e transformam vidas, principalmente de famílias de situação de risco. “Os temas são extremamente necessários para alertar e levar conhecimento para as famílias em relação aos perigos das drogas, violência e respeito”, destaca. 

Pela importância do trabalho realizado no estado ao longo de 17 anos, a Energisa adotou a causa e, desde o ano passado, apoia a programa desenvolvido pela Polícia Militar. Alankardek Moreira, diretor de Relações Institucionais da Energisa, ressalta que “essa parceria com o Proerd está diretamente ligada aos valores da Energisa, que vê na educação, aliada à informação, oportunidades de mudanças sociais”, enfatiza. 

O coordenador do Proerd, Major Leonardo Antônio Amorim, destaca que o apoio da Energisa tem sido fundamental para realizar o trabalho e assegurar que crianças e adolescentes se mantenham longe das drogas e da violência. “O nosso plano de expansão será concretizado e alcançaremos todas as cidades do estado. A Energisa é uma grande parceira e essa inciativa trará muitos resultados positivos”, enaltece Major Amorim. 

A Energisa promove investimentos constantes na implementação de uma política consistente de responsabilidade social, desenvolvendo e apoiando projetos voltados para a promoção social, o desenvolvimento econômico, o resgate da cidadania, o meio ambiente e a ampliação das possibilidades de acesso da comunidade às diversas manifestações artísticas. 

Eficiência energética 

Além de apoiar o Proerd, a Energisa também está apoiando o Colégio Militar de Palmas com o investimento de mais de R$ 330 mil que estão sendo utilizados para deixar o prédio mais econômico no uso de energia. A distribuidora, por meio do Programa de Eficiência Energética está realizando a troca de 626 lâmpadas comuns por de Led e ainda, substituindo 24 aparelhos de ar-condicionado e implantando 12 kits do sistema. Com este investimento da Energisa no Colégio Militar haverá a redução de 17% da conta de energia da escola, cerca de R$ 56 mil.  

Outro projeto da Energia que contribui para fortalecer as ações da Polícia Militar é o investimento na eficiência energética do 1º Batalhão da Polícia Militar. Ao todo estão sendo investidos mais de R$ 207 mil que irão gerar uma economia anual aproximada de R$ 33 mil na conta de energia. Domingos Junior conta que estão sendo trocadas 249 lâmpadas comuns por de Led, 10 unidades de ar-condicionado e implantado um sistema fotovoltaico com 12 kits de quatro painéis solares de 330W. 

O Programa de Eficiência Energética, que é realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL e Energisa, disponibiliza um percentual da receita líquida operacional da concessionária de energia para projetos que buscam promover o uso eficiente da energia elétrica em todos os setores da economia. A ideia é incentivar o surgimento de novas tecnologias, assim como repensar práticas e costumes com foco no uso racional da energia elétrica. No Tocantins, a Energisa tem ampliado cada vez mais o valor investido nas chamadas públicas que selecionam os projetos. 

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins sobe para 5.182 casos de Covid-19 com 90 mortes

Publicado

em

O 82º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta sexta-feira, 05 de junho, foram contabilizados 301 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, hoje o Tocantins contabiliza 5.182 casos confirmados da doença, destes, 1.933 pacientes estão recuperados e 3.160 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 89 óbitos.

O Boletim da SES ainda não contabilizou 1 óbito, informado na noite desta quinta, 4, pela Secretaria Municipal de Saúde de Sítio Novo, no Bico do papagaio, por meio de seu Boletim. O paciente estava internado na cidade de Imperatriz-MA.

Continue lendo

Tocantins

Tocantins se aproxima dos 5 mil casos de Covid-19

Publicado

em

Segundo 81º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19 no Tocantins, o estado registra nesta quinta-feira, 04 de junho, 187 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, o Tocantins contabiliza 4.881 casos confirmados da doença, destes, 1.828 pacientes estão recuperados e 2.966 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 87 óbitos.

Araguaína, Palmas e Xambioá, são os municípios com maior registros de casos, com 2025, 685 e 220 respectivamente. Já em quantidade de mortes, segue Araguaína, Araguatins e Palmas, com 20, 12 e 8, respectivamente.

Continue lendo

Tocantins

PF desarticula associação criminosa envolvida em tráfico de entorpecentes no Tocantins e Goiás

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (04), a “Operação Breaking” visando desarticular associação criminosa envolvida em tráfico de drogas nos Estados de Goiás e Tocantins.

Cerca de 30 Policiais cumprem 12 mandados de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar do Estado de Goiás. Os mandados foram expedidos pelo Juízo Criminal da 1ª Vara Criminal da Comarca de Colinas do Tocantins.

A Polícia Federal encontrou indícios de que os investigados têm relação com facção criminosa e praticavam diversos outros crimes, como roubos e homicídios, além do tráfico de drogas.

Os investigados poderão responder pelos crimes de roubo, homicídio e tráfico de entorpecentes, cujas penas somadas podem ultrapassar 40 anos de reclusão.

O nome da operação simboliza a “quebra”, a “ruptura” dos crimes praticados pela organização criminosa. (Ascom)

Continue lendo
publicidade