- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 17 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

Ensino Médio no Tocantins apresenta péssimos resultados. Escola de Buriti se salva

Mais Lidas

Uma avaliação da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) revela que 97,12% das escolas de ensino médio do Estado apresentam desempenho inferior a 4,0 pontos – numa escala de 0 a 10. Dado que reflete também os péssimos resultados no 5º e 9º ano, do Ensino Fundamental, que obtiveram índice abaixo de 5,0 pontos (81,3%) e abaixo de 4,0 (91,38%), respectivamente. Os índices são resultado do Sistema de Avaliação da Educação do Tocantins (Salto), a partir da aplicação de provas nas redes municipal e estadual de ensino entre os dias 24 de maio de 10 junho deste ano, nos 139 municípios do Estado. No total, 52.548 alunos fizeram o exame, sendo 19.828 deles do 5º ano, 19.969 do 9º ano e 12.751 alunos da 3ª série do Ensino Médio.

Para o secretário Estadual da Educação, Danilo Mello, o resultado é preocupante e os baixos índices estão ligados, principalmente, às dificuldade que os professores têm em avaliar os alunos e ainda a entrada tardia da criança na escola. “O correto é a criança ingressar na escola aos 4 anos. No Tocantins, isso ocorre em média aos 7 anos, em função de uma dificuldade que os municípios tem em investir na pré-escola”, avaliou, ressaltando a necessidade de firmar parcerias e buscar ações que mudem esse quadro. “Pois a base é primordial para mudar esses índices”, pontou Mello.

Avaliação

O secretário destacou que além de investir na formação continuada dos docentes, o Estado preparou um Guia de Aprendizagem, que traz exercícios e metodologias para facilitar o aprendizado dos alunos. O material custou R$ 457 mil para Estado e deve chegar as escolas até o próximo dia 15.  “Não podemos dizer que esses índices estão baixos porque os professores ganham pouco, ou porque falta estrutura. Sabemos que hoje o professor tocantinense recebe o segundo melhor salário da federação e que nossa estrutura não é das piores. Portanto falta mais compromisso na sala de aula”, enfatizou Mello, acrescentando que o Tocantins deveria estar pelo menos entre os dez maiores índices da Educação Básica (Ideb) no Brasil, e não no 17º lugar, considerando os investimentos.

Melhores

Os destaques no 5º ano foram as escolas estaduais São José (Dianópolis) e Municipal Casemiro Ferreira Soares (Araguaína), com notas 8,8 e 8,6, respectivamente. Já no 9º ano, os melhores resultados foram os das escolas Educandário Evangélico Ebenezer (Gurupi), com 6,3, e, Estadual Darcinópolis (Buriti do Tocantins) com 5,48 de média.

O diretor da escola Estadual Darcinópolis, Nilmar Mendes Leite, atribuiu o bom resultado a motivação que os professores levam aos alunos, ressaltando sempre a eles a importância da formação na busca de oportunidades profissionais e pessoais. “Tentamos estar perto de nossos alunos e manter a auto estima deles, pois o aluno precisa estar motivado e decidido a buscar novos caminhos”, pontuou. (Jornal do Tocantins)

- Publicidade -spot_img

21 Comentários

Assinar
Notificar-me
guest
21 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
LadySmith

Misericórdia!!! O Darcinópolis é um colégio de Interior, quer dizer o Buriti em si é interior mais ele passou até do o Tancredo Neves que tem uma estrutura melhor e professores mais Qualificados pra isso.

cintia aquila

Missericódia!!!olha que resultados todos mascarrados, isso é a cara das escolas publicas do tocantins senhor Secretario Danilo de melo.

Zé Trovão

Realmente, LadySmith!!! O Buriti e interior, mas essa avaliação feita pelo SEDUC nós mostra que no interior estão os alunos mais dedicados, aplicados e motivados que apesar de não ter toda infra-estrutura que os alunos da capital ou qualquer outra cidade grande do Estado tem, os alunos superam com força de vontade dos educadores e dos mesmos para atingir essa posição no índice de educação do estado. Parabéns a Escola Darcinópolis pelo mérito alcançado!!! Continue assim, surpreendendo ainda mais a cada dia; valorizando o nome da escola e de nossa cidade…

Professor

O contexto Educacional ainda tem a mesma função desde o principio “o ensino aprendizagem”, ensinando e aprendendo.
Professores bem pagos sim, qualificados sim, capacitados sim, mas a nova geração de crianças e adolescentes na era da tecnologia tem sido indisciplinados, agressivos, desconhecedores da ordem, desobedientes, vitimas de abusos, agressões e em revoltas agride professores de forma moral, verbal, física…Eles usam o ECA parcialmente, sabem dos seus direitos, porém esquecem de seus deveres…
Professores sofrem ameaças, são desvalorizados por outros profissionais…
A impunidade do jovem infrator é lamentável, não tem tido compromisso com a integridade dos direitos da criança e do adolescente, o baixo indice, e a ulta reprovação dos alunos, justifica que professores sejam o problema, havendo sim, uma parcela de culpa. Lembro também que a sociedade deposita seus filhos nas escolas e esquecem-se de suas responsabilidades; E os menores então? São qualificados como delinqüentes, jovens infratores… você tem conhecimento da realidade do menor em sua cidade? o quê tem feito por isso? Sabe quanto se paga para reforma de carteiras vandalizadas,pinturas de paredes, roubos, em escolas são necessários presença policial “dentro da escola”, assim como drogas, bulling, armas…
Existem professores doentes por causa de alunos.
Professor educa, mas os responsáveis e tutelas devem participar do mecanismo educacional. Todos têm direitos e deveres…
Os conselhos municipal, Estadual e Federal devem funcionar de fato, assim como projetos, prestações de contas, todos têm responsabilidades, todos tem falhas, o professor ainda é desvalorizado assim como a verdadeira educação, ser cidadão Brasileiro, por amor a Pátria a nação, tentando resposta para todos os problemas se lhe são atribuídos… Estes sim têm árdua responsabilidade educar filhos em horários de trabalho.
Hoje nas escolas confundem os significados entre respeito e medo…
Professores também são vitimas e deveriam ser classificados como profissão de risco.

Marianna

Que a educação do Tocantins precisa melhorar não é segredo a nenhum educador. Porém o educador está engessado, não pode fazer muito, pois a mesma está pautada num discurso falso por parte daqueles que a representam.Propagam muito sobre uma formação do professor em que nada ou quase nada acresecenta a formação do mesmo. Os professores trabalham em salas de aulas super lotadas, com grande numeros de alunos indisciplinados, onde a maioria dos pais se faz ausentes e não cumpre seu papel como responsável dos mesmos. Quanto se trata de avaliação ou de resultado a situação é mais crítica, pois a maioria dos resultados das avaliações são maquiados, pois hoje não se pode mais reprovar, pois se reprova é o professor que é incompetente. Tiraram a autonomia do professor, e o aluno precisa simplesmente está matriculado e fazer o minino do minimo para ser aprovado. O dia que a escola for para quem quer estudar, e o aluno tiver a obrigação de estudar por que se não reprova e os resultados deixarem de ser maquiados e valorizarem a educação em todos os aspectos, sem demagogia e discursos mentirosos OS RESULTADOS SERÃO OUTROS E COM CERTEZA BEM MELHORES. Chega de discursos tentando encontrar culpados onde sempre jogam a culpa nos mais fracos, busque soluções. A maioria destes discursos são de pessoas que estão fora da sala de aula…

Elineide

Esse resultado ja era esperado. Nao tinhamos condiçoes de apresentarmos outro pois, diante do que vem acontecendo nas escolas ate que foi bom. Desde 2010 estamos passando pelo processo de mudanças de professores que tomaram posse no Concurso Publico. O Secretario nao tinha como esperar melhor resultado, principalmente nas escolas do 1º ao 5º ano com as mudanças de professores só quem perde sao os alunos pois, os melhores professores sao os contratados, estes sim tem compromisso. conheço uma escola que todos os concursados que se apresentaram em julho ja conseguiram remoção, isto e contra a lei e so vieram atrapalhar o andamento das escolas.
Esperamos que o Secretario realmente mostre sua capacidade se empenhando para que realmente aconteça as mudanças na educação do Tocantins e nao deixe os carniceiros(politicos) colocar pessoas que nao tem capacidade para atuarem como professores.

Priscila

Concordo com vc PROFESSOR, a população muito se cobra e pouco se faz para melhorar tais aspectos.
Na verdade tenho muito medo dessa nova geração que se forma, sem limites, sem pudores, sem compromissos, sem FAMÍLIA. Pois esse sim é um dos maiores problemas quem temos, a Família perdeu o sentido, e com isso OS VALORES TAMBÉM.
Se temos professores INCOMPETENTES! TEMOS SIM. MAS TAMBÉM TEMOS EXCELENTES PROFISSIONAIS, AOS QUAIS DEVEMOS AGRADECER POR SEREM HERÓIS NAS SALAS DE AULAS.
A educação mudará, quando a POLITICA NÃO MAIS EXISTIR NELA.

Gilberto

Se querem julgar algo e colocar a responsabilidade sobre a atual situação da educação brasileira ( Tocantinense). Podemos apontar sem medo, O SISTEMA é o principal responsável ao ponto a qual a educação chegou. Dentre os vários absurdos inerentes a este SISTEMA,o absurdo que destaco é, a OBRIGAÇÃO em APROVAR aluno, mesmo o discente não tendo adquirido as habilidades mínimas exigidas para a série.

Sabe por quê? Simplesmente para que o índice de reprovação não fique elevadíssimo. Ou seja, os órgãos responsáveis pela educação estão preocupados com os índices, estatísticas, dados… e não, de fato, com o real APRENDIZADO.

Há!!! Sabe por que é importante estes índices, informações, estatísticas….???? Simples, divulgarem durante as PROPAGANDAS ELEITORAIS e angariar o seu voto, caro eleitor!!!!rsrs… Triste não? mas é fato!

Obs: Se os gestores políticos investirem em uma EFICIENTE EDUCAÇÃO, não terão a quem PERSUADIR e levá-los de acordo com os seus interesses. Portanto, assim ta bom!

Mundão

Francamente… Título da matéria muito infeliz, sem criatividade e discriminatória!
Acredito que o autor da matéria sempre estudou em escola particular (porém, precisa melhorar seus argumentos) e não conhece as dificuldades da educação no Brasil, em especial no interior do Tocantins.
Já não moro mais no bico do papagaio, no entanto, conheço algumas realidades que são dignas de aplausos, pelo esforço coletivo da comunidade escolar em busca do conhecimento.
As pessoas que moram ou que levam a informação pra região tem a obrigação moral de colaborar para o crescimento, educacional, social, cultural….. e não agir com falta de criatividade e prudência… “Escola de Buriti se salva”…. rsrsrrs, gente… é deprimente a matéria!
Vamos valorizar o nosso povo a nossa gente. Criticas são sempre oportunas, principalmente as construtivas e vinda de meios com credibilidade e compromissados com a região.
Criticar por criticar, muitos criticam, fazer a diferença, poucos….!!!!
Vamos valorizar o que é nosso!!!!

Beatriz

Elineide, francamente você deve ser uma das exoneradas em função da reprovação no certame, não deve estar em sala porém com saldades.

lilika

E muito engraçado que todas as vezes que se fala em educação, a primeira coisa que vem a tona é o salario dos professores, será que o salario de profissionais que trabalham mais de 12 horas por dia para conseguir planejar aulas, corrigir centenas de trabalhos e avaliações, coisa que quase sempre e feita nos fins de semana ou de madrugada, suportar salas lotadas, com alunos mal educados, agressivos, e pais que sempre apoiam seus filhos, mais apenas quando estão errados, ouvir palavroes e xingamentos sem poder falar nada, caso contrario é processado e perde o emprego, será que existe um sálario senhor secretário, que seja justo para quem passa por isso todos os dias, quem é professor sabe que o que eu estou falando é a mais pura verdade, hoje o aluno só tem direitos, compromisso e responsabilidade, nunca, e quando chega o final do bimestre que ficou uma grande quantidade de alunos reprovados, os senhores diretores e coordenadores ( colocados por politicos) que mitas vezes agem como se não soubessem o que é uma sala de aula, chama o professor dá uma dura nele e exige que ele refaça seu diário alterando resultados, quem é professor sabe muito bem do que eu estou falando… O que mais o senhor quer senhor secretário, mais voltando ao assunto do salário, será que os das nossas altoridades também não são alto o suficiente para mudar a situação do estado inteiro, ou a falta de honestidade e a corrupção que consome o nosso estado também é culpa dos professores????

Glen

Acredito que um dos problemas seje a logística.

Muitos sabem das dificuldades encontradas em relação ao transporte.

Tipo Arapoema, só possui transporte duas vezes por dia. Se você perder a Van das 14 horas, só no outro dia. Em Carrasco Bonito é outro exemplo, a única van que faz linha por lá, chega 9h e volta ao meio dia.

E assim, são muitas cidades do Tocantins. Com isto é praticamente impossível ter os melhores professores. Embora, o salário do Tocantins é bem atraente.

Juliano Laurindo Cardoso

A educação vai melhorar quando aluno não valer dinheiro para o Estado;
Quando professor tiver compromisso;
Quando as escolas tiverem autonômia;
Quando ter eleição de diretor, ou seja, político alfineta nas escolas;
Quando haver estrutura, salário e logistica nas escolas e
Políticas públicas voltadas para educação a longo prazo. etc…

Valorização do professor já.

Francisco Sulo

Os professores temos sido muito corporativistas na luta por salários (embora eu concorde que deveríamos ganhar mais, mesmo duvidando que esse salário maior tivesse um mínino de investimento em livros ou na formação em geral) e na hora de nos isentarmos dos resultados ruins, culpando apenas a atual geração de alunos pelas características que os acompanham atualmente. Além do mais também temos sido uma ótima corporação quando se trata de servir de cabo eleitoral a políticos do pior cacife, fazendo coro com a massa que vota por ignorância ou benefícios assistencialistas.

Enquanto pecamos pelo corporativismo mal aplicado o governo peca por incompetência e desorganização. O último concurso é uma prova disso. Aqui em Esperantina começamos os dois semestres letivos de 2011 sem professores, muita rotatividade resultante da rotulação política feita pelos coronéis regionais que dizem “esse não quero, nem aquele, pois votaram na oposição”, independentemente da competência e do compromisso que este ou aquele professor demonstre.

Se no início dos semestres não há autorização para a contratação de professor (a autorização sempre chega atrasada), por outro lado o governo usa de métodos populistas para agradar a classe e os alunos – estes com bicicletas e aqueles com notebooks. Uns e outros podem ser até necessários, mais primeiramente o seria a presença de professores em sala de aula (no regular) e na atividade complementar (os pioneiros mirins).

De nossa parte (os professores) ainda pesa o fato de não empreendermos nenhuma pesquisa que adiante o passo em relação ao senso comum sobre o porquê de nossos alunos não aprenderem, nem o quererem.

fancisco evandro

É muito bom criticar, aos que criticam professores,a familia e população por um ensino público falido, não por culpa de professores abnegados e honrosamente esforçados; apresentem soluções práticas e viaveis. Façam uma reflexão do que é o ensino público em todo estado, podemos dizer em todo Brasil, o poder público sim com seus politicos na sua maioria corruptos, desviando como já se é sabido verbas que eram pra melhorar a qualidade do ensino, sim meus caros amigos esses são os maiores culpados. Agora culpar professores paciência; professor tem que ser bem remunerado mesmo pois é ele o responsavel direto na formação do caratér de milhares de pessoas em todo território nacional. Estão mais que certos na busca de melhores salários. Como relatou a leitora Marianna, vamos tirar as amarras dos professores, e os deixem ensinar, a familia cobrando dos seus filhos respeito ao educador afinal educação se aprende em casa, a população cobrando do estado ou municipio, um ensino de qualidade pois ensino de qualidade é dever e obrigação do estado.E o poder público dando condições para que os educadores ensinem e ensinem bem.

SALTO - ENSINO FUNDAMENTAL (9º ANO)

A TÍTULO DE INFORMAÇÃO:
DENTRE AS ESCOLAS DO “MUNICÍPIO” DE ARAGUATINS, QUANTO À AVALIAÇÃO DO SALTO NO ENSINO FUNDAMENTAL O RANKING ESTÁ DA SEGUINTE FORMA (9º ANO E. F.):
1º LUGAR: COL. EST. LEÔNIDAS GONÇALVES DUARTE – 4,01 e COL. EST. LEÔNIDAS G. DUARTE – 4,01 (AMBAS ESCOLAS EMPATADAS);
2º LUGAR: ESC. MUL. PADRE VITÓRIO – 3,73;
3º LUGAR: COL EST. ATANÁZIO DE MOURA SEIXAS – 3,65;
4º LUGAR: ESC. ISOLADA SANTA GERTRUDES – 3,44;
5º LUGAR: ESC. MUL. AURELIANO JOSÉ FERREIRA – 3,36;
6º LUGAR: ESCL MUL. MARINGÁ – 3,14;
7º LUGAR: ESC. MUL. PROFESSORA MARIA DE LOURDES MILHOMEM FERNANDES: 2,90
FONTE: http://www.seduc.to.gov.br

Mulatinha

A educação do Tocantins só mudará quando os gestores forme indicados através de concursos, os coordenadores darem apoio pedagógico ao professor e os professores avaliarem os alunos pelas habilidades que eles tem. Em relação aos gestores eles são indicados por políticos porque fizeram compromissos políticos pois, competência para gestar a maioria não tem pensa apenas nas diárias, estatos e muitas vezes ditarem ordens. Os coordenadores que são todos pedagogos têm todo um conteúdo teórico para elaborarem projetos e auxiliarem os professores, a função é olhar o horário para saber se faltou algum professor e quem pode subir a aula ou substituí-lo, há ainda alguns que para não perderem a função vivem puxando saco dos diretores. Os professores sozinhos não poder reverterem esse quadro e elevarem o nível de aprendizagem dos alunos e sim toda a equipe.

SALTO - ENSINO FUNDAMENTAL (9º ANO) (CORREÇÃO)

A TÍTULO DE INFORMAÇÃO:
DENTRE AS ESCOLAS DO “MUNICÍPIO” DE ARAGUATINS, QUANTO À AVALIAÇÃO DO SALTO NO ENSINO FUNDAMENTAL O RANKING ESTÁ DA SEGUINTE FORMA (9º ANO E. F.):
1º LUGAR: COL. EST. LEÔNIDAS GONÇALVES DUARTE – 4,01 e COL. EST. OSVALDO FRANCO – 4,01 (AMBAS ESCOLAS EMPATADAS);
2º LUGAR: ESC. MUL. PADRE VITÓRIO – 3,73;
3º LUGAR: COL EST. ATANÁZIO DE MOURA SEIXAS – 3,65;
4º LUGAR: ESC. ISOLADA SANTA GERTRUDES – 3,44;
5º LUGAR: ESC. MUL. AURELIANO JOSÉ FERREIRA – 3,36;
6º LUGAR: ESCL MUL. MARINGÁ – 3,14;
7º LUGAR: ESC. MUL. PROFESSORA MARIA DE LOURDES MILHOMEM FERNANDES: 2,90
FONTE: http://www.seduc.to.gov.br

PEDRO WILSON DA SILVA

Não me cabe julgar por qual motivo esta ou aquela escola deixou de ter nota máxima, porque alguém sempre vai explicar com uma justificativa que nem sempre convence, isto é, justificativa fosse alguma forma de convencimento da justificativa real, que todos sabemos de longe a verdadeira causa. Más quero mesmo é parabenizar alunos e professores da minha querida e inesquecível Ribeira, onde cursei até a quarta série primária, na ESCOLA MUNICIPAL SENADOR PEDRO CARNEIRO no ano de 1977. Fica provado que boa vontade independe de recurso, porque dinheiro é consequência do trabalho e não ao contrário. Parabéns, aqui de Goiânia, acompanho tudo que se relacione a Darcinópolis e me enchi de orgulho com está notícia. TE AMO DARCINÓPOLIS. FIZICO.

maria delma

Já era esperado,pois certas inspetoras passam o dia inteiro atrás de fofocas se preocupando com assuntos banais e fazendo politica e perseguindo as escolas começando pela Dre de Araguaína e Colinas esse tal de Joeder é um incompetente juntamente com certas inspetoras fofoqueiras,visando fechar escolas onde o Tocantins precisa de empreendedores na área educacional para que o estado cresça,enquanto nosso governador não olhar com carinho esse problema vamos padecer.
Se faz educação de qualidade é estimulando os alunos a gostarem de estudarem,e educadores responsáveis e que amem a profissão de educadores que são, pois podem ganharem milhões nunca farão um trabalho excelente se não gostam do que fazem.

maria

Para começar no Tocantins há progressão sem concurso qu e é um erro,façam como o Maranhão que faz concurso para mudar de nível.

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias