Connect with us

Bico do Papagaio

Entenda o novo formato de ingresso nos colégios cívico-militares de Araguatins e Augustinópolis

Publicado

em

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) e do Comando Geral da Polícia Militar, anunciou nessa terça-feira, 29, mudança no formato de ingresso dos alunos nos colégios cívico-militares do Tocantins.

Com o objetivo de promover a democratização e oportunidade igualitária de acesso, o Estado passa a adotar para esta modalidade o mesmo sistema que já é utilizado em toda a rede estadual de ensino, sem processo seletivo.

 Abaixo, listamos cinco pontos que vão esclarecer essa mudança.

1 – Por que o Governo mudou a forma de ingresso nos colégios militares?

O Governo formalizou o modelo que já vinha sendo testado, com sucesso, desde o início desta Gestão, nas seis novas unidades de colégios militares implantadas. Conforme explica a titular da Seduc, Adriana Aguiar, a intenção é ofertar condições de igualdade de ingresso nessas unidades de ensino.

“Em 10 anos, o Estado havia instalado seis escolas militares, ao passo que, em cerca de 1 ano e meio, este Governo dobrou o quantitativo, implantando mais seis escolas nesta modalidade. Em nenhuma destas seis foi realizado processo seletivo. Nós garantimos a permanência dos alunos que já se encontravam matriculados regularmente nas unidades escolares e as novas vagas foram preenchidas pelo sistema já utilizado pela rede estadual de ensino”, explica.

Adriana Aguiar destaca também que a alteração está em consonância com a Lei nº 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), no sentido de observar as diversidades de oportunidades de acesso aos ambientes escolares. “A ideia é que o processo de entrada na escola seja plural e que todos tenham acesso, de modo que o desenvolvimento educacional caminhe junto ao desenvolvimento social. Com essa mudança, a entrada em todas as unidades será igualitária”.

O coronel da Polícia Militar Márcio Antônio Barbosa de Mendonça, chefe do Estado Maior, ressalta que a nova forma de ingresso não irá mudar a metodologia da modalidade de ensino. “O novo processo de matrícula vem para tornar o ingresso mais democrático, sem perder a qualidade do ensino”, pondera.

2 – Como será feita a seleção dos alunos para ingressar nos colégios militares?

Antes de explicar a nova forma de ingresso, é preciso destacar que os alunos que já estudam nos colégios militares não precisarão se preocupar quanto às suas vagas, pois as renovações delas serão garantidas pela Seduc, a menos que o estudante opte por mudar de unidade de ensino. É assim que ocorre em todas as escolas.

Para o próximo ano letivo, a matrícula dos alunos novatos será feita com cadastro on-line ou via telefone, assim como nas demais unidades escolares da rede. O Sistema Informatizado de Matrículas seleciona, de forma democrática e equitativa, dando livre acesso a todos. A ferramenta possibilita que os estudantes, pais ou responsáveis, no momento da solicitação de matrícula, indique a unidade escolar de sua preferência.

No sistema, aparecem apenas as escolas que possuem vagas disponíveis. Havendo número maior de solicitações de matrícula que de vagas disponíveis para a unidade escolar, o sistema, de forma automática, realiza sorteio entre os inscritos, dando prioridade para estudantes portadores de necessidades especiais. O sistema é automático, justamente para garantir lisura e que não haja interferência humana no processo.

Não sendo contemplado para a vaga na escola de sua preferência, o estudante é, também de forma automática, direcionado para outra escola, já previamente apontada por ele como segunda ou até terceira opção para ingresso. É assim, que a Seduc garante um processo transparente de matrículas em toda a rede estadual.

A solicitação de matrícula deverá ser feita no site matricula.seduc.to.gov.br ou pelo telefone 0800-63-5050, conforme o calendário de matrículas da rede estadual, que será divulgado posteriormente.

No Colégio Estadual Cívico-Militar Presidente Costa e Silva, em Gurupi, o ingresso, neste ano, foi sem processo seletivo. O diretor da unidade, capitão Tiago Nascimento, conta como a mudança beneficiou a comunidade. “Evitamos as grandes filas na porta da escola, pois tudo foi realizado de forma on-line, em um processo tranquilo. Além disso, foi uma forma de acesso democrática e transparente”.

3 – A forma de ensino e de disciplina vai mudar nos colégios militares do Tocantins?

Não. De acordo com a secretária Adriana Aguiar, nada vai mudar na metodologia dos colégios militares, nem no formato da equipe. “Os colégios militares possuem um diretor e uma equipe disciplinar que são militares. Toda a coordenação pedagógica e equipe docente é formada por servidores da Seduc e, em nada, isso mudará”, garante.

“É um modelo que vem dando certo e a nossa intenção não é mudar nem a rotina, nem a metodologia, mas sim dar oportunidade a todos os alunos de terem acesso a essa escola que vem dando certo”, complementa Adriana Aguiar.

4 – Por que mudou o nome dos colégios?

O Governo editou no último dia 29 de outubro um decreto que altera a nomenclatura dos colégios militares. A escola que oferta somente ensino fundamental passará a ser designada como Colégio Estadual Cívico-Militar. As que ofertam ensino médio passam a ser Centro Estadual de Ensino Médio Cívico-Militar.

“A nova nomenclatura simboliza o que os colégios militares realmente são: unidades de ensino estaduais, cívicas e com uma metodologia militar. Então, a nova nomenclatura é para aproximar daquilo a que ela se propõe”, esclarece Adriana Aguiar.

5 – Qual a diferença de um Colégio Cívico-Militar para os de outros formatos?

O diferencial dessas unidades é que elas contam com direção e coordenação disciplinar da Polícia Militar e coordenação pedagógica e corpo docente da Seduc. Atualmente, o Estado conta com 12 colégios e mais de 7,6 mil estudantes atendidos nesta modalidade.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

Xambioá, Darcinópolis e Tocantinópolis tem crescimento acelerado da Covid-19. Bico passa de 900 casos

Publicado

em

Os dados contidos no 76º Boletim Epidemiológico da Covid-19 no Tocantins e das Secretarias Municipais de Saúde, apurados até as 13h, deste sábado, 30, mostram que o Bico do Papagaio, tem registrados 902 casos de pacientes que contraíram a Covid-19.

Esses números devem crescer ainda neste sábado, com nova atualização das Secretarias Municipais de Saúde, no período noturno.

Veja atualização das 13h, deste sábado, 30

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Caminhonete fica destruída ao bater na traseira de retroescavadeira

Publicado

em

Um acidente de trânsito na noite desta sexta, 28, por pouco não terminou em tragédia. Uma caminhonete bateu na traseiras de uma trator, na rodovia TO-404, no trecho entre as cidades de Araguatins e Augustinópolis, no Bico do Papagaio.

Não houve morte. Apena so condutor da caminhonete ficou com escoriações e prejuízos materiais.

A Polícia foi acionada, registrou a situação e agora a Polícia Cientifica vai apontar as circunstância do sinistro.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Municípios do Bico ganharão novos maquinários

Publicado

em

A manutenção das rodovias e estradas vicinais do 27 municípios do Bico do Papagaio e das demais regiões do estado do Tocantins, será reforçada com as 231 máquinas pesadas adquiridas pelo Governo do Tocantins. O intuito do governador Mauro Carlesse é melhorar o deslocamento da população e o escoamento da produção agropecuária, tanto da agricultura familiar, quanto do agronegócio, que necessita reduzir custos com frete e agilizar suas entregas.

“Agora o Tocantins está melhor equipado para atender e auxiliar os 139 municípios na construção e restauração das estradas vicinais e também para realizar a manutenção das nossas rodovias. E o mais importante é que quem sai ganhando é a população, principalmente o homem do campo, pois facilita o seu deslocamento e transporte da sua produção”, afirmou o governador do Tocantins, Mauro Carlesse.

O valor do investimento é de mais de R$ 60,5 milhões, oriundos de emenda coletiva da bancada do Tocantins no Congresso Nacional (legislatura 2015/2018). Com os recursos foram adquiridas 139 retroescavadeiras sobre rodas (mais de R$ 33,7 milhões), 80 pás carregadeiras sobre rodas (mais de R$ 21,9 milhões) e 12 escavadeiras hidráulicas com esteira (mais de R$ 4,7 milhões investidos).

Os recursos foram liberados através da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), e o processo licitatório foi conduzido pela Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto).

O Governo do Tocantins já começou a receber as novas máquinas que estão sendo estacionadas em frente ao Palácio Araguaia. Tão logo as entregas sejam concluídas pelos fabricantes, as máquinas serão patrimoniadas e os trâmites legais de documentação realizados para que seja feita a cessão aos municípios. (Vania Machado/Antônio Gonçalves)

Continue lendo
publicidade