Connect with us

Bico do Papagaio

ESPERANTINA: Professores da rede municipal entram em greve

Publicado

em

Nesta terça-feira, 16, enquanto o Brasil comemorava a estréia e vitória na primeira partida pela Copa do Mundo, os professores de Esperantina se viam obrigados a entra em greve para buscar melhores condições de trabalho.

Os professores à mais de uma semana tentam se reunir com a prefeita Geneci Cayres, esposa do deputado estadual Amélio Cayres. A prefeita não abre dialogo de forma alguma com os docentes e nem os recebem para ouvir as reivindicações.

O presidente da Câmara Municipal Reginaldo Pereira Silva disse que os 9 vereadores estão apoiando o movimento dos professores e cobrando da prefeita a solução urgente do problema.

Os docentes reivindicam que o piso salarial do magistério estabelecido pelo Ministério da Educação seja adotado na rede municipal de educação. O piso para professores da educação básica em valores atualizados é de R$ 1.204,00 para 40hs semanais. Os docentes também reivindicam 15% a mais nos vencimentos de professores com nivel superior e reformulação no Conselho do Fundeb que segundo o professor Adalberto uma dos lideres do movimento este Concelho é formado apenas por apaniguados da prefeita.

Nesta quarta-feira, 16, os professores realizaram uma caminhada na Vila Tocantins e na quinta-feira, 17, às 10hs percorrem as principais ruas de Esperantina.

Piso Nacional Salarial do Magistério

Reivindicação histórica dos professores da rede pública da educação básica, a definição do piso salarial nacional representa o resgate do pacto nacional pela valorização do magistério e qualidade da educação. Assinado em 1994, por representantes do Ministério da Educação e dirigentes de entidades educacionais, o pacto previa um salário mensal de R$ 300, em valores de julho daquele ano.

Em março de 2007, a proposta de piso salarial para os professores foi encaminhada pelo governo federal, em forma de projeto de lei, à Câmara dos Deputados. O projeto, de nº 619/2007, foi anexado ao de nº 7.431/2006, de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que já tramitava no Senado Federal. Ambos deram origem à Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008.

De acordo com a lei, os professores da educação básica pública dos Estados, Municípios, do Distrito Federal e da União foram beneficiados com a entrada em vigor do piso nacional do magistério, de R$ 950. Foi a primeira categoria a ter um piso salarial nacional definido na Constituição.

Prefeitos e governadores não precisaram pagar o valor total do piso imediatamente. O valor integral teve a determinação de ser pago em 2010, a partir de reajustes anuais. Em 2009, Estados e Municípios tiveram de pagar a mais dois terços da diferença entre o valor pago na época e o valor do piso. Se um profissional recebesse na época R$ 500, teria direito, em 2009, a R$ 300 a mais no salário mensal. Em 2010 teria, integralizados, os R$ 950 para uma jornada de 40 horas semanais.

De julho de 2008 a janeiro de 2010, prefeitos e governadores tiveram de promover ajustes na estrutura administrativa para conseguir pagar o valor total do piso. Os entes federados que comprovarem insuficiência de verba para oferecer os reajustes receberam complementação da União com recursos do Fundo da Educação Básica (Fundeb).

O novo piso é destinado aos profissionais do magistério público da educação básica: aqueles que desempenham as atividades de docência ou as de suporte pedagógico à docência, isto é, direção, administração, planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenação, e que estejam em exercício. O valor de R$ 950 deve ser pago aos profissionais com nível médio para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Os trabalhadores da categoria com jornadas distintas devem receber remuneração proporcional. Aqueles com maior escolaridade também podem receber mais. Os próprios entes federativos estabelecerão as distinções em seus planos de carreira. Cada ente teve de elaborar ou adequar seus planos de carreira e remuneração do magistério até 31 de dezembro de 2009, para que o piso salarial seja um valor mínimo e apresente progressão ao longo da carreira do profissional do magistério. O benefício também será destinado a aposentados e pensionistas.

A definição do piso nacional não impede que os entes federativos tenham pisos superiores ao nacional. Ao mesmo tempo, o piso não pode servir de fundamentação para que estados, municípios ou o Distrito Federal remunerem os profissionais do magistério em valor menor do que o atualmente praticado. Assim, se um professor recebe hoje mais do que R$ 950,00, sua remuneração não poderá ser diminuída.

Além disso, somente até o exercício de 2009 foi admitido que valores pagos a qualquer título de vantagem pecuniária componham o valor do piso de R$ 950,00. A partir de 1º de janeiro de 2010, o valor de R$ 950,00 deverá ser o salário-base sobre o qual serão acrescentados todos os adicionais e vantagens pecuniárias.

O valor de R$ 950,00 será atualizado anualmente de acordo com o mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano, definido nos termos da Lei nº 11.494, que instituiu o Fundeb. Hoje o piso seria de R$ 1.204,00

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Bico do Papagaio

WANDERLÂNDIA: Nova morte por Covid-19 é confirmada

Publicado

em

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, desta quinta, 26, confirmou a sexta morte por Covid-19, no município de Wanderlândia, no Bico do Papagaio.

A vítima é um homem de 79 anos, com diabetes, insuficiência renal e hipertensão. Óbito no dia 1ª de agosto, no Hospital Regional de Araguaína.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Fiscais da Adapec participam de treinamento

Publicado

em

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) que atuam, nesta semana, nas barreiras fixas e volantes da regional do órgão de Araguatins, participam de um treinamento sobre nivelamento de trânsito de produtos vegetais.

De acordo com inspetor de defesa agropecuária, Grin Miranda Costa, o objetivo do treinamento é melhorar a atuação dos fiscais na área vegetal, bem como a padronização dos procedimentos realizados na fiscalização do trânsito vegetal em todo o Tocantins.

“Esse treinamento vem ocorrendo mensalmente, nas principais barreiras fixas do Estado. Nele, acompanhamos, na prática, o dia a dia dos fiscais na barreira, onde são feitas as orientações pertinentes ao trânsito vegetal”, explicou Grin Miranda.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas no Bairro Vila Cidinha é preso

Publicado

em

A Polícia Militar prendeu nessa quarta, 25, um homem de 20 anos, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas no Bairro Vila Cidinha, em Araguatins, no Bico do Papagaio. Em poder do indivíduo que já possui passagem pela polícia por tráfico de entorpecentes, a PM apreendeu diversas porções de substâncias análogas à maconha, pedra de crack e embalagens para a venda da droga.

A prisão foi feita pela equipe de Força Tática do 9º Batalhão da PM (9º BPM) durante a realização de patrulhamento naquele local. Os policiais se deparam com o autor e resolveram abordar o indivíduo. Parte da maconha foi localizada em poder do suspeito, o restante do entorpecente foi apreendido em uma residência indicada pelo acusado. A droga estava escondida no interior de um cesto de roupas.

Ao todo os policiais apreenderam quase 70 gramas de maconha, 20 gramas de crack e nove embalagens que seriam utilizadas para a comercialização dos entorpecentes. O autor e a proprietária da casa, 28 anos, onde a droga estava escondida, foram juntamente com os objetos conduzidos à Delegacia de Polícia para as demais medidas a serem tomadas.

Continue lendo
publicidade Bronze