- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 05 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

Farmácia Popular cresce 574% no Pará

Mais Lidas

Somente neste primeiro semestre do ano, cresceu em 574% o número de paraenses assistidos com a oferta de medicamentos de diabetes, hipertensão, entre outras doenças, do programa ‘Saúde Não Tem Preço’ – marca do Aqui Tem Farmácia Popular – do Ministério da Saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Em janeiro eram 3,8 mil pessoas e, em junho, saltou para 25,7 mil. No mesmo período, aumentou também o número de brasileiros beneficiados: de 853 mil passou para 2,3 milhões, um crescimento de 168%.

Parte do aumento é atribuída às ações de incentivo do Saúde Não Tem Preço, com campanhas de esclarecimentos sobre o programa criado pelo governo federal com o objetivo de ampliar o acesso aos medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos. Em Belém, apesar do baixo movimento registrado neste mês de férias, o Farmácia Popular apresenta considerável procura. ‘Recebemos, em média, de 10 a 15 usuários por dia, mas nas últimas semanas esse número caiu bastante, acredito que é pelo fato de a cidade estar mais vazia em julho’, explicou a farmacêutica Ana Gisele, funcionária de uma farmácia onde o programa funciona.

O autônomo José Maria Tavares disse que, antes do Farmácia Popular, costumava gastar R$ 36 por mês para controlar a hipertensão diagnosticada há cerca de um ano. ‘Tinha que comprar duas caixas de remédio, com 30 comprimidos para tomar dois por dia. Já cheguei, algumas vezes, a tomar somente uma pílula por não ter como comprar as duas caixas’, lembra.

Além dos medicamentos para diabetes e hipertensão, o programa oferece outros 14 tipos com 90% de desconto e ainda fraldas geriátricas e anticoncepcionais, que podem ser adquiridos nas mais de 15 mil farmácias e drogarias da rede privada e em mais de 500 unidades próprias do programa. Os medicamentos são indicados para combater enfermidades como asma, rinite, mal de Parkinson, osteoporose, glaucoma, gripe e dislipidemia.

Para se tornar um usuário do programa, é preciso apresentar CPF, documento com foto e receita médica no momento da compra. (O Liberal)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias