Connect with us

Maranhão

Fiocruz alerta para possível segunda onda de Covid-19 no Maranhão, Amapá e outros dois estados

Publicado

em

O boletim Infogripe, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), indica que Rio de Janeiro, Amapá, Maranhão e Ceará podem apresentar uma “segunda onda” da doença, com tendência de retomada do crescimento no número de novos casos semanais, após período de queda. Os dados foram colhidos na semana epidemiológica 30, entre os dias 19 e 25 de julho.

De acordo com o boletim, a tendência de crescimento é maior nos estados de Amapá e Rio de Janeiro. As cidades de Macapá, Rio de Janeiro e São Luís mostram sinais de crescimento da doença. Já Fortaleza apresenta sinal de estabilização de covid-19, com uma possível retomada de crescimento lento.

O InfoGripe indica estabilização no número de novos casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país, após a retomada do crescimento observado em junho. Os valores semanais, no entanto, ainda estão muito acima do nível de casos considerados “muito alto”. É importante ressaltar que os dados de SRAG estão associados à covid-19. Entre as ocorrências com resultado positivo para os vírus respiratórios, 96,7% dos casos e 99,1% dos óbitos ocorreram por novo coronavirus.

Em alta

O pesquisador e coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, alerta que o cenário nacional atual sugere que os casos notificados de SRAG, independentemente de presença de febre, mostram tendência de crescimento, com ocorrência de casos semanais muito alta. Foram reportados um total de 316.984 casos este ano, sendo 161.927 (51,1%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 91.163 (28,8%) negativos e cerca de 42.179 (13,3%) aguardando resultado laboratorial. Levando em conta a oportunidade de digitação, estima-se que já ocorreram 356.149 casos de SRAG, podendo variar entre 342.547 e 375.218 até o término da semana 30. Entre os positivos, 0,7% foram de influenza A, 0,3% influenza B, 0,6% vírus sincicial respiratório (VSR) e 96,9% Sars-CoV-2 (Covid-19).

Ele explicou ainda que “o estado do Paraná, com sinal de estabilização após período de crescimento, apresenta sinal fraco, sendo recomendada reavaliação no próximo boletim para confirmação. Amazonas, Roraima e Pará mostram estabilização após período de queda. Apresentam tendência de queda, após período de estabilização, Paraíba, Minas Gerais e Distrito Federal. “Em Minas Gerais e Distrito Federal, o sinal ainda é fraco, sendo recomendada reavaliação no próximo boletim para confirmação”, observou Marcelo Gomes.

Em Amazonas, Roraima e Pará, que apresentavam sinal de queda nos boletins anteriores, foi observada possível estabilização. Nesses estados, a mesma tendência se observa na capital, sendo que no Pará há indício de possível retomada do crescimento em Belém. Já Pernambuco e Espírito Santo voltaram a apresentar a tendência de queda.  Já no Recife há ainda sinal de possível estabilização, enquanto em Vitória se mantém o sinal de queda.

Dados provenientes de sistemas de notificação de caso, como é o banco de dados do Sivep-gripe, que alimenta o InfoGripe, podem conter eventuais erros de digitação ou preenchimento afetando um ou mais dos diversos campos de registro. Em função disso, as notificações estão em constante avaliação para correções que se façam necessárias mediante análise da rede de vigilância e das equipes locais responsáveis por cada registro.

Dados de óbitos são reportados com base na data de primeiros sintomas. Recomenda-se utilização do boletim com base nos dados sem aplicação do filtro de sintomas relacionado à presença de febre, conforme indicação do Ministério da Saúde.

Marcelo Gomes explicou ainda a importância que os dados apresentados pelo InfoGripe sejam utilizados em combinação com demais indicadores relevantes – como a taxa de ocupação de leitos das respectivas regionais de saúde, por exemplo. “Além disso, acrescentou o pesquisador, como a situação nas regiões e estados é bastante heterogênea, o dado nacional não é um bom indicador para definição de ações locais”, disse o coordenador do InfoGripe.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

IMPERATRIZ: Município encerra julho com 93 casos ativos de coronavírus e 32 óbitos

Publicado

em

O número de contágios pelo novo coronavírus em Imperatriz chegou a 4.640, segundo boletim divulgado neste sábado (01) pela Prefeitura de Imperatriz. O secretário de Governo, Eduardo Soares, explica que “mesmo depois de mais de 2 meses de flexibilização com funcionamento do comércio, com restrições e todas as normas e prevenções, os números continuam em queda. Isso demonstra o bom trabalho da Secretaria de Saúde, ambulatórios, hospital de campanha e as fiscalizações das secretarias de forma conjunta. O grande vilão hoje na cidade não é atividade comercial e sim a falta de prevenção. Não é o emprego, não é o trabalho, é a falta de conscientização de uma parte da população”. 

As fiscalizações que tem sido realizadas, têm caráter educativo e de conscientização, e se necessário punitivas, continuarão de forma intensa diuturnamente. Objetivo é sensibilizar para que as medidas para prevenir a circulação do novo coronavírus tenham êxito. “A única arma contra o coronavírus, até o momento, é a prevenção”, afirma o secretário sobre o trabalho do comitê de fiscalização municipal formado pelas secretarias de Saúde, através da Vigilância Sanitária, da Planejamento Urbano, Meio Ambiente, Fazenda e Gestão Orçamentária, Trânsito e Transportes, Defesa Civil, Procon e Guarda Municipal. 

Ainda sobre os números, Eduardo destaca que “é importante que a população tenha consciência que o número de casos pode oscilar e essa variação irá continuar até que se tenha imunização por vacina”.

BALANÇO

Abril
No mês de abril, a cidade apresentou 107 casos positivos confirmados laboratorialmente e apenas 15 se recuperaram até o fim do mês, o que representa 93 pacientes e, destes, 11 vindo a óbito. 

Maio
Mês do início do pico da doença na cidade, foram 1.762 casos positivos confirmados laboratorialmente e 1.406 recuperados. No fim do mês, número chegou a 356 casos em recuperação e 151 óbitos. 

Junho
Dos 2.139 casos positivos confirmados laboratorialmente e 2.001 recuperados em junho, no fim do mês apenas 138 casos em recuperação, com 83 óbitos registrados. 

Julho
Dados apresentados hoje representam uma queda de cerca de 74,3% em relação ao mês anterior dos casos ativos, índice mais baixo desde o registro dos primeiros casos de transmissão interna na cidade, em abril. Um crescimento de 200% dos casos recuperados num comparativo entre maio e julho, e uma queda de 78,8% nos óbitos, comparando o mesmo período.

Casos Ativos

Casos Recuperados

Óbitos

Faixa etária

A Prefeitura fez o levantamento da faixa etária das vítimas do coronavírus na cidade pela quantidade de casos diagnosticados. Em Imperatriz, pessoas com mais de 70 anos representam 31,4% das mortes, pacientes de 60 a 69 são 22,4% e 80 a 89 anos, 18,8% dos óbitos. Já no levantamento de infectados, se destaca o acerto das projeções sobre a pandemia de coronavírus, mostram que a doença está concentrada na faixa etária entre 20 a 49 anos, sendo responsável por 62,3% dos casos positivos confirmados laboratorialmente.

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Média de novos casos de Covid-19 cai 90% em dois meses

Publicado

em

Portal de entrada para a Amazônia e referência em Saúde para mais de 40 municípios do estados do Pará, Tocantins e Maranhão, a cidade de Imperatriz tem apresentado ultimamente dados que permitem mais otimismo sobre o controle da doença. Em outras palavras, há indícios fortes de que o pior já passou na principal metrópole da região tocantina — os dados devem ser comemorados com cautela, mas significam um primeiro e importante passo na longa e difícil luta contra a pandemia. O ritmo de casos novos de coronavírus na cidade teve queda acentuada nos últimos 90 dias na comparação com o período imediatamente anterior.

Entre 17 e 31 de maio de 2020, a cidade teve 1.182 ocorrências novas da doença na semana contra 110 no período dos últimos 15 dias, dados verificados entre 15 de julho e 30 de julho – o recuo de 90% é bem maior do que a retração de 12% registrada na primeira quinzena de junho e de 52%, de 15 a 30 de junho.

Considerando dados atualizados até às 12h, hoje foram registrados 21 casos e 18 recuperados. Imperatriz atualiza para 91 casos ativos confirmados em laboratório. O número total (4.592) representa 3,90% do total de casos registrados no estado (117.694). Desses 9.045 casos continuam ativos em todo o estado, o que representa 1,01% na cidade.

Óbitos

Desde o início da pandemia, a cidade registrou um total de 273 óbitos. Sendo nenhum óbito registrados nas últimas 24h. O novo óbito confirmado hoje trata-se de um homem de 71 anos, residente de Imperatriz, falecido em São Luís, em 09 de junho de 2020. 

Ocupação de leitos

Na ​​​​​​Rede Estatual era:

  • Leitos Clínicos: 50 ocupados – 61,73% de ocupação;
  • Leitos de UTI: 3 ocupados – 57,41% de ocupação;

No Hospital Municipal de Campanha Covid-19:

  • Leitos Clínicos: 4 ocupados – 8,16% de ocupação;
  • Leitos de UTI:  5 ocupados – 50% de ocupação.

Na esfera privada, a ocupação de leitos no ​​​​​​Hospital Unimed é:

  • Leitos Clínicos: 13 ocupados – 59,09% de ocupação;
  • Leitos de UTI:  desativado.

No Hospital Santa Mônica:

  • Não disponibilizou.
Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: MOTOIMP 2020 é cancelado

Publicado

em

Considerado o maior evento motociclístico do Estado do Maranhão, o Motoimp 2020 foi cancelado. A sexta edição aconteceria nos dias 04, 05, 06 e 07 de setembro, estava com o planejamento bastante adiantado, mas diante dos impactos da pandemia do covid-19 e das inúmeras incertezas, a organização decidiu por cancelar o encontro deste ano.

Os organizadores lamentaram a não realização da grande festa que se tornou tradição nos últimos cinco anos em Imperatriz e explicam os motivos do cancelamento.

Continue lendo
publicidade