Connect with us

Tocantins

Garota de programa é indiciada por falsa acusação de estupro no TO

Publicado

em

A Polícia Civil de Colméia, na região Centro-Norte do Estado indiciou uma mulher com iniciais de C. R. S., 20, por falsa acusação de estupro cometido por um homem com iniciais M.C. M, de 36 anos. Segundo a Polícia Civil, o homem é casado e teria acertado uma relação sexual mediante pagamento com a denunciante.

Segundo o delegado Roberto Assis, a relação sexual teria acontecido próximo a um motel da cidade, uma vez que a a vítima não tinha dinheiro para pagar o motel. “Porém, C.R.S., desacordando do preço do programa ou por outro motivo que desconhecemos, saiu de onde estavam, de dentro do carro da vítima, e pediu para parar no Posto Sales. Lá, continuou consumindo bebida alcoólica até 05 horas da manhã, conforme câmeras de segurança do Posto”, afirmou.

Ainda de acordo com o delegado, no dia seguinte a mulher teria informado familiares e amigos que fora vítima de estupro. Após investigações da Policia Civil de Colméia, foi descoberto que na verdade, a relação sexual foi consentida. “Identificamos que a denunciante inverteu as informações repassadas à Polícia, movimentando todo um aparato policial para falsamente acusar um homem que sabia inocente. Agora, ela está à disposição do Poder Judiciário, e responderá pelo crime de denunciação caluniosa, previsto no artigo 339 do Codigo Penal, podendo pegar até 08 anos de prisão.

O delegado afirmou ainda que o cidadão precisa ter elementos comprobatórios e verídicos ao fazer uma denúncia contra terceiros. “Alertamos que denúncias falsas serão rigorosamente investigadas pela Policia Civil, pois as pessoas não podem usar a Polícia como mero capricho para resolver suas desavenças pessoais, merecendo punição rigorosa por parte da Justiça tais condutas”, relata o Delegado Roberto Assis.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins sobe para 5.182 casos de Covid-19 com 90 mortes

Publicado

em

O 82º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta sexta-feira, 05 de junho, foram contabilizados 301 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, hoje o Tocantins contabiliza 5.182 casos confirmados da doença, destes, 1.933 pacientes estão recuperados e 3.160 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 89 óbitos.

O Boletim da SES ainda não contabilizou 1 óbito, informado na noite desta quinta, 4, pela Secretaria Municipal de Saúde de Sítio Novo, no Bico do papagaio, por meio de seu Boletim. O paciente estava internado na cidade de Imperatriz-MA.

Continue lendo

Tocantins

Tocantins se aproxima dos 5 mil casos de Covid-19

Publicado

em

Segundo 81º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19 no Tocantins, o estado registra nesta quinta-feira, 04 de junho, 187 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, o Tocantins contabiliza 4.881 casos confirmados da doença, destes, 1.828 pacientes estão recuperados e 2.966 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 87 óbitos.

Araguaína, Palmas e Xambioá, são os municípios com maior registros de casos, com 2025, 685 e 220 respectivamente. Já em quantidade de mortes, segue Araguaína, Araguatins e Palmas, com 20, 12 e 8, respectivamente.

Continue lendo

Tocantins

PF desarticula associação criminosa envolvida em tráfico de entorpecentes no Tocantins e Goiás

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (04), a “Operação Breaking” visando desarticular associação criminosa envolvida em tráfico de drogas nos Estados de Goiás e Tocantins.

Cerca de 30 Policiais cumprem 12 mandados de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar do Estado de Goiás. Os mandados foram expedidos pelo Juízo Criminal da 1ª Vara Criminal da Comarca de Colinas do Tocantins.

A Polícia Federal encontrou indícios de que os investigados têm relação com facção criminosa e praticavam diversos outros crimes, como roubos e homicídios, além do tráfico de drogas.

Os investigados poderão responder pelos crimes de roubo, homicídio e tráfico de entorpecentes, cujas penas somadas podem ultrapassar 40 anos de reclusão.

O nome da operação simboliza a “quebra”, a “ruptura” dos crimes praticados pela organização criminosa. (Ascom)

Continue lendo
publicidade