- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 25 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

Gasolina no Pará entre as mais caras

Mais Lidas

O limite máximo do preço da gasolina em Belém está entre os cinco mais caros do Brasil. Os valores registrados nas bombas de combustíveis da capital paraense disputam cada centavo com os custos das grandes metrópoles como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte (MG), para manter-se no topo dos mais onerosos do País. Em média, no Pará, os postos mais caros chegam a cobrar R$ 2,99 pelo litro da gasolina – valor similar ao estipulado em São Paulo, por exemplo, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis (ANP). Para aflição dos motoristas, os preços seguem uma ascensão que já dura quase um semestre e deve se estabilizar apenas em maio. Nos últimos seis meses, o custo da gasolina subiu 4% em Belém, segundo levantamento divulgado ontem pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA). No mesmo período, o etanol teve uma alavancada na ordem de 18% em todo o Estado.

Os levantamentos feitos pelo Dieese/PA mostram que a alta do etanol – iniciada em novembro do ano passado – vem sendo frequente em Belém. A principal justificativa está na entressafra da cana de açúcar. As apurações feitas pelo órgão são semanais e abarcam 80% dos postos da Região Metropolitana de Belém. Os dados apontam que, em novembro do ano passado, o litro do etanol custava em média R$ 2,044 – variando entre R$ 1,892 e R$ 2,397. Já em dezembro, o preço médio subiu para R$ 2,060. Na virada do ano, os valores continuaram crescentes: em janeiro foi comercializado em média por R$ 2,108; em fevereiro por R$ 2,141 ; e em março o custo médio passou a ser de R$ 2,234. Uma nova alta foi registrada na primeira dezena de abril, quando o etanol passou a custar R$ 2,343. Desta forma, o aumento apurado pelo Dieese/PA bateu a casa dos 15%.

Segundo avalia o supervisor técnico do Dieese/PA, Roberto Sena, a sequência de aumentos no preço do etanol contaminou os custos da gasolina. “Cada litro de gasolina tem cerca de 25% de álcool, e por isso qualquer alteração de preço em um dos componentes acaba em impactos indiretos no custo geral”, avalia. Sena destaca que, no início de abril, o valor da gasolina em Belém subiu 4% em relação ao mês imediatamente anterior – e em alguns postos, este aumento ficou próximo de 6%. De acordo com dados na ANP, o preço médio da gasolina em Belém é de R$ 2,784 o litro, variando do R$ 2,610 e o maior a R$ 2,999 . No caso do álcool, a variação de custo registrada na capital paraense foi de R$ 2,099 e o maior a R$ 2,590 por litro. “Infelizmente no Pará, o aumento no preço dos combustíveis também é sinônimo de aumento no valor dos produtos básicos, de bens e serviços e da inflação. O pior disso tudo é que a previsão de estabilização de preços no etanol só está prevista para maio deste ano. Até lá, certamente que novos reajustes deverão acontecer”, acrescenta Sena. (O Liberal)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias