Connect with us

Pará

Governador cobra obras de infraestrutura no Ministério dos Transportes

Publicado

em

21755_bz5v2026O governador Simão Jatene cobrou, durante audiência no Ministério dos Transportes, informações e definições sobre três projetos fundamentais para o desenvolvimento do Pará: a Ferrovia Norte-Sul, a Hidrovia Araguaia-Tocantins e a situação das rodovias federais no Estado. A audiência ocorreu nesta quinta-feira (26), em Brasília, entre o governador e o ministro dos Transportes, César Borges.

“A melhor forma de o Pará contribuir com o desenvolvimento do Brasil é com o seu próprio desenvolvimento. E nosso desenvolvimento passa pela definição de obras de infraestrutura na área de transportes”, disse o governador no início da audiência. Participaram do encontro, além de Jatene e o ministro, o vice-governador Helenilson Pontes e membros da bancada paraense no Congresso Nacional, como o senador Flexa Ribeiro, os deputados federais Wandenkolk Gonçalves, Lúcio Vale, Zé Geraldo, Nilson Pinto e Josué Bengtson, além dos prefeitos de Paragominas, Paulo Tocantins e de Rondon do Pará, Cristina Malcher, e o secretário especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa.

O governador pediu ao ministro que inclua no projeto da Ferrovia Norte-Sul a construção de um ramal até Paragominas, no nordeste do Estado. Grande produtor de grãos e bauxita, município com selo verde de certificação ambiental e considerado um dos mais desenvolvidos da região, Paragominas não está incluído no projeto inicial da ferrovia. O trecho de 90 quilômetros tem um orçamento inicial de R$ 680 milhões.

O governador lembrou ao ministro que outro município, Rondon do Pará, que não estava incluído nos primeiros projetos da Norte-Sul, agora está confirmado como ponto de passagem obrigatório da ferrovia. Um ramal de cerca de 150 quilômetros, ampliando o traçado da ferrovia Norte-Sul até Curuçá, para atender ao futuro Porto do Espadarte, já foi garantido em reuniões com o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo.

César Borges disse que a reivindicação é justa e pediu ao governador que envie ao ministério um estudo de viabilidade do ramal, garantindo o uso por empresas produtoras de grãos e minérios. Esse estudo, segundo o ministro, daria mais força à sua aprovação pelo Tribunal de Contas da União. O governador garantiu que vai estreitar ainda mais os contatos com as empresas produtoras para viabilizar o projeto.

Hidrovia

O segundo ponto da reunião foi a navegabilidade da Hidrovia Araguaia-Tocantins. A chamada “derrocada do Pedral São Lourenço”, permitindo a navegação entre Tucuruí e Marabá, foi outra cobrança da comitiva paraense ao ministro. Este trecho do rio é usado principalmente para o transporte de minério de ferro e carvão para as siderúrgicas localizadas em Marabá. O pedral fica à altura do município de Itupiranga, tem cerca de 43 quilômetros de extensão e dificulta a navegação de balsas durante a seca.

Segundo o diretor geral do Departamento nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Jorge Fraxe, o estudo encomendado à Marinha do Brasil sobre a segurança da navegabilidade na hidrovia ficou pronto e foi enviado a técnicos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) para atualização de propostas. O próximo passo é o licenciamento ambiental, feito pela Secretária do Meio Ambiente do Pará (Sema), não sendo necessária a intervenção do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A partir daí, a licitação para as obras, que incluem a explosão e retirada de pedras, pode ser aberta pelo Dnit.

O terceiro e último ponto da reunião foi uma análise sobre as rodovias federais no Pará. O governador pediu ao ministro pressa na conclusão de algumas obras, como a da BR-163 (Santarém-Cuiabá), e definições sobre a recuperação de outras, como a BR-155, entre os municípios de Redenção e Marabá. O diretor geral do Dnit reconheceu que o departamento tem enfrentado problemas diversos para o desenvolvimento das obras nas rodovias federais do Pará.

Esses problemas, segundo ele, vão desde a ineficiência de empresas licitadas para executar obras até dificuldades nas negociações com comunidades indígenas localizadas no caminho das rodovias. Segundo o diretor, as empresas consideradas ineficientes já foram multadas ou mesmo afastadas do processo e outras estão sendo licitadas para a continuação das obras. Ele disse ainda que constantes reuniões com a direção da Fundação Nacional do Índio (Funai) estão resolvendo as questões indígenas, para que obras como a do asfaltamento da BR-230 (Rodovia Transamazônica), por exemplo, sejam concluídas.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

SÃO DOMINGOS DO ARAGUAIA: Colisão entre caminhão e carreta deixa home carbonizado na Transamazônica

Publicado

em

Um grave acidente entre caminhão baú e uma carreta foi registrada nesta segunda-feira (18), na rodovia Transamazônica (BR-230), em São Domingos do Araguaia, sudeste do Pará. Uma pessoa ficou presa nas ferragens e outra morreu carbonizada.

A carreta ultrapassou o corrimão de proteção e o condutor ficou preso nas ferragens. Ele foi retirado com vida e encaminhado para o Hospital Regional de Marabá.

O caminhão baú entrou em combustão e um dos passageiros teve o corpo carbonizado e morreu no local. O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves e foi conduzido pelo SAMU a uma unidade de saúde da região.

Continue lendo

Pará

Vacinação contra Covid-19 começa no Pará

Publicado

em

A enfermeira Shirley Cuimar Cruz Maia de 39 anos foi a primeira paraense vacinada contra a Covid-19 em Belém. Em seguida, a técnica de enfermagem Marielza da Silva Monteiro, 57 anos, também recebeu a primeira dose da CoronaVac. As duas imunizadas atuam na linha de frente no combate a pandemia, no Hospital de Campanha de Belém.

A cerimônia simbólica que marcou o início da vacinação contra o coronavírus aconteceu na manhã desta terça-feira (19), no Hangar, Centro de Convenções, mesmo lugar onde funciona o hospital de campanha da capital. O ato foi acompanhado pelo governador do Pará, Helder Barbalho e pelos prefeitos de Belém, Edmilson Rodrigues, e de Ananindeua, Dr. Daniel.

Durante a cerimônia também foi realizada a primeira imunização do município de Ananindeua, região metropolitana de Belém. O enfermeiro João Bernardo, 37 anos, que trabalha no combate a pandemia foi o terceiro a receber a vacina.

As 173 mil doses de vacina devem imunizar cerca de 86 mil pessoas no Pará. De acordo com Helder, o carregamento que já está no estado precisam garantir as duas doses que cada pessoa imunizada.

Continue lendo

Pará

Vacinação da Covid-19 começa nesta terça, 19, no Pará

Publicado

em

O governo do Estado anuncia que a vacinação contra a Covid-19 no Pará terá início nesta terçaa-feira (19), em Belém, e as doses serão distribuídas aos demais municípios paraenses para que iniciem a vacinação. Para a Região Norte, foram destinadas 296 mil doses. O Pará recebe 173.240 mil no primeiro lote.

“Hoje é um dia muito especial, que representa a renovação da esperança dos brasileiros e a salvação de muitas vidas. O povo tem pressa. Trabalhamos para que, rapidamente, consigamos imunizar o maior número de paraenses, para que possamos construir um novo momento na vida de todos nós”, destaca o governador do estado do Pará, Helder Barbalho.

O primeiro lote será direcionado aos profissionais da saúde que atuam na linha da frente, indígenas aldeados e idosos institucionalizados, que compõem o grupo prioritário da primeira fase da campanha. 

O governador Helder Barbalho participou de reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e governadores de outros estados, na manhã desta segunda-feira (18), para dar início à distribuição das doses de vacinas. O chefe do Executivo Estadual esteve no Centro de Distribuição de Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo, e acompanhou o envio do primeiro lote encaminhado ao Pará.

“Precisamos reforçar juntos aos brasileiros de que se vacinar representa salvar a sua vida e a vida dos outros. Pessoas perderam vidas, perderam familiares e passaram a viver uma situação dramática desde o início da pandemia. O dia de hoje representa virar essa página, renovar as nossas esperanças”, reforça Helder Barbalho.

O planejamento de vacinação do Governo do Pará conta com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Segup), para garantir eficiência na logística e segurança da distribuição. 

COLETIVA

Nesta terça-feira (19), às 7h, o governador concederá coletiva de imprensa no salão Marajó, no Hangar Centro de Convenções.

AUTORIZAÇÃO

No domingo (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, por unanimidade, o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford contra a Covid-19 no país. A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a doença no Brasil.

Continue lendo
publicidade Bronze