Uma novela antiga e com dezenas de episódios está finalmente chegando a um final feliz. Está em fase inicial a obra de pavimentação dos 11,4 Km remanescentes da Rodovia Transamazônica (BR-230), na divisa entre os estados do Pará e Tocantins, à altura de Palestina do Pará e à cabeceira da ponte que dá acesso ao município de Araguatins.

Desde que a rodovia foi asfaltada na região, há mais 30 anos, o trecho é motivo de reclamações de moradores das margens e de condutores, pois no inverno vira lama e no verão é só poeira. De acordo com o escritório do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Marabá, a empresa vencedora do certame licitatório foi o consórcio Ethos/Consol e a modalidade de licitação foi a Contratação Integrada (Regime Diferenciado de Contratação – RDCi).

Assim sendo, a empresa vencedora é responsável por elaborar o Projeto Executivo e executar a obra. Segundo o DNIT, foi aprovado o projeto e aguarda-se apenas a Ordem de Serviço que será emitida pela Superintendência Regional do DNIT/PA nos próximos dias.

O valor ofertado pela empresa vencedora para a realização dos serviços foi de R$ 17.940,940,00 com o prazo máximo de execução de dois anos. Por se tratar de um segmento curto, acredita-se que toda pavimentação será concluída neste período de estiagem, ficando a parte de meio-ambiente, como a vegetação de taludes, para o período de chuvas, por isso o prazo estendido para além de um ano.

Após tantos anos, os recursos para a execução da obra foram liberados em decorrência do árduo trabalho do atual governador do Pará, Helder Barbalho, e do Secretário dos Transportes do Pará, Pádua Andrade, enquanto ambos foram ministros da Integração Nacional. “A gente lutou muito por isso ano passado, em Brasília, e a obra está iniciando. É uma luta de décadas”, comentou Pádua. (Luciana Marschall – Correio de Carajás)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.