Connect with us

Pará

Governo do PA regulariza terras no município de Dom Eliseu

Publicado

em

O governador Simão Jatene entregou, neste domingo (03), trinta títulos de terras para pequenos agricultores do município de Dom Eliseu, no sudeste do Pará. Os documentos, que garantem a titularidade definitiva, são referentes aos assentamentos Alto Bonito e Nova Esperança. Na ocasião também foi entregue o documento definitivo de doação da Légua Patrimonial do município. A emissão e concessão desses documentos é resultado de uma força-tarefa iniciada pelo Instituto de Terras do Pará (Iterpa) para avançar no processo de regularização fundiária do Estado. Nos últimos dois anos e meio, o órgão já concedeu em torno de 2.200 títulos de terras, superando os 1.800 entregues no quadriênio 2011-2014.

Simão Jatene destacou a formação intercultural da região e o valor da pequena agricultura para o desenvolvimento econômico do país. E afirmou que a regularização das terras do município é a garantia de melhores condições de vida para a população. “O Brasil se constrói pelo interior do país, onde um milagre é realizado todo dia pelo agricultor que ara a terra, semeia, colhe e transforma sua força de trabalho em alimento”.

Para o governador, quando se regulariza a propriedade da terra se dá a garantia para que o produtor e sua família crie identidade com o local onde produz. “O Pará é fruto de uma enorme miscigenação. Nós temos aqui brasileiros de inúmeros cantos desse país e certamente essas pessoas nos ajudaram a construir esse Estado”, lembrou.

É o caso da agricultora Francisca Araújo, 66 anos. Ela recebeu o título definitivo de 10 alqueires onde planta e mantém a renda de sua família no assentamento Nova Esperança. Ela contou que ao longo de 15 anos morou e produziu sem ter nenhuma documentação de suas terras. “Finalmente posso dizer que a terra é minhae e posso fazer tudo o que eu quero. Eu já vinha plantando há muito tempo e agora vou arar minhas próprias terras”, afirmou.

Já a agricultora Maria Sabino, 57 anos, recebeu o título de seus 25 alqueires no assentamento Nova Esperança. Ela planta arroz, milho, macaxeira junto com sua família. “Estou muito satisfeita. Há 35 anos esperava por este título e agora vou trabalhar firme em uma terra que é minha”, comemorou.

A agricultora Azélia Silva, 47 anos, proprietária do Sítio Zelândia, regularizou 43 hectares de suas terras. O pai da agricultora chegou no local vindo do Maranhão e se estabeleceu no município. “Ele lutou muito e hoje, com 84 anos, está finalmente está conseguindo o título de sua terra. Que isso venha a acontecer com mais agricultores”.

Dezoito títulos são concessões de uso nas áreas dos Projetos Estaduais de Assentamento Sustentável (Peas) Nova Esperança e Alto Bonito 2 e, 12 são títulos definitivos nos loteamentos Estrada Marajoara e gleba Água da Luz.

Além dessa documentação, o Iterpa entregou o título da área patrimonial do município, referente ao bairro Flor do Ipê, o que vai permitir a expansão urbana da área e avanços no processo produtivo. Dom Eliseu foi criada e se desenvolveu na confluência da BR-010 (Belém-Brasília) com a PA-222 que liga o município à Marabá. Parte de suas terras pertence à Federação.

Para o prefeito de Dom Eliseu, Ayeso Gaston, este é o primeiro passo para o cumprimento de uma promessa e a realização de uma etapa fundamental para o desenvolvimento econômico, social e sustentável de Dom Eliseu. “Regularizar as terras rurais e o terreno da cidade é um passo significativo para alavancar a economia e dar segurança jurídica aos munícipes”, declarou.

Para chegar a esses avanços, a atual gestão do Iterpa terceirizou os serviços de georreferenciamento, montou uma força-tarefa para avançar no trabalho de vistoria no campo e mudou procedimentos administrativos para tornar mais ágeis as ações do órgão e a tramitação dos processos.

Também como resultado do esforço concentrado, o Instituto de Terras do Pará arrecadou, somente no primeiro semestre deste ano, cerca de 600 mil hectares de terras para atender os processos de regularização fundiária em tramitação no órgão.

O presidente do Iterpa, Daniel Lopes, explicou que o órgão já localizou no município 150 hectares de terras do Estado que já estão sendo regularizados em nome dos legítimos ocupantes. “Nós já trouxemos mais de 50 títulos nos dois assentamentos do Estado. A área que foi entregue à prefeitura servirá também para a regularização de cada um dos moradores dessa área”, falou.

O número representa o dobro das terras arrecadadas no ano passado. Novas equipes já estão em campo para pesquisas cartoriais em sete municípios, a fim de avançar ainda mais com esse trabalho. (Márcio Flexa)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

MARABÁ: Águia estreia no Parazão 2021 vencendo a Tuna Luso

Publicado

em

Em uma partida bastante corrida no estádio Zinho de Oliveira, em Marabá, na região de Carajás, o Águia venceu a Tuna Luso, por 3 a 2, e estreou com vitória no Parazão 2021.

O Águia começou em ritmo acelerado e logo aos 8 minutos do primeiro tempo, Wendell mandou no segundo pau, a defesa da Tuna errou o corte e Da Silva finalizou com força, estufando as redes. Logo depois, aos 11 minutos, Bruno Limão faz lançamento longo para Veraldo, que recebeu na meia-lua e tocou por cima de Evandro Gigante, ampliando o placar para o Águia. Aos 19 minutos, a Azulão alça bola na área, Dé desvia, a bola ainda toca na trave e entra. A Tuna reagiu aos 21 minutos do primeiro tempo, com Paulo Rangel, que recebeu na entrada da área e acertou um chutaço descontando para a equipe da capital.

Na volta para o segundo tempo, a Tuna equilibrou a partida e dominou a maior parte do tempo, mas apenas aos 39 minutos, conseguiu um pênalti, onde o árbitro viu empurrão em Paulo Rangel na área e marcou penalidade máxima para a Tuna. O zagueirão Renan bateu com força, o goleiro do Águia, João Ricardo, acerta o lado mas não alcança e a Tuna diminui para 3 a 2, dando números finais a partida.

O próximo compromisso do Águia pelo Parazão, será em Santarém no próximo domingo, dia 7, diante do Tapajós. Já a Tuna recebe em Belém o Independente.

Continue lendo

Pará

Parazão 2021 começa neste domingo e terá quatro times de Carajás

Publicado

em

O Campeonato Paraense 2021 começa neste domingo, 28. Ao todo, 12 equipes vão brigar pelo título da 109ª edição do estadual. A região de Carajás, contará com quatro times na disputa: Águia (Marabá), Independente (Tucuruí), Gavião Kyikatejê (Bom Jesus do Tocantins) e Itupiranga (Itupiranga – mandará jogos em Jacundá).

Além de Águia, Independente, Gavião Kyikatejê  e Itupiranga, completam a lista Paysandu, Remo, Tuna luso, Bragantino, Carajás, Castanhal, Paragominas e Tapajós são os participantes.

Diferente de 2020, o formato deste ano tem três grupos, com as equipes de uma chave enfrentando as das outras duas em turno único. Os dois melhores de cada grupo avançam para as quartas de final, juntamente com os dois melhores terceiros colocados. Os confrontos das quartas de final, semifinais, disputa de terceiro colocado e a final serão de ida e volta.

As duas piores equipes na classificação geral serão rebaixadas para a segunda divisão estadual de 2021. Campeão, vice e terceiro colocados garantem vagas na Copa do Brasil 2022. As duas equipes de melhor campanha ganham vagas na Série D de 2022 – exceto Remo e Paysandu, que já representam o Pará nas Séries B e C, respectivamente.

Para a Copa Verde, a CBF define três critérios de classificação: campeões estaduais, seis melhores colocados no Ranking Nacional de Clubes (RNC) e, por último, seis em vagas destinadas às Federações melhores posicionadas no Ranking Nacional de Federações (RNF). Nesses critérios, o Paysandu e o Remo praticamente possuem vagas garantidas na competição, atualmente.

Veja como estão os times de Carajás:

Águia

O Azulão Marabaense tentará mais uma vez retornar ao cenário nacional. Em 2020, a equipe terminou na sexta colocação do estadual, brigando diretamente por uma vaga na Série D. O objetivo deste ano é ir além e ficar entre os melhores da competição.

Técnico: sempre ele, João Galvão. O treinador segue para a oitava temporada à frente da equipe. Esse tempo até poderia ser maior. Ele chegou ao comando do time em 2007, mas acabou saindo em 2014 para a chegada de Daryo Pereira, sucedido por Everton Goiano. Porém, meses depois, Galvão retornou ao cargo que ocupa até hoje.

Destaque: o lateral-esquerdo Tiago Felix retorna ao time após passagem pelo Independente-PA na Série D. Contudo, o jogador pouco atuou na competição nacional por causa de uma lesão. Ele é um dos principais nomes do Águia neste Parazão.

Principal contratação: o volante Fernandes. O jogador, de 35 anos, passou pelo Remo em 2018, atuando em 18 partidas. Na temporada seguinte foi para o Ferroviário e em 2020 esteve no Perilima disputando o Campeonato Paraibano.

Elenco: o goleiro Gustavo Henrique, reserva em 2020, deve ser o titular agora. A equipe conta ainda com o meia Balão Marabá e o atacante Danilo Galvão, além de peças que estiveram no time no Parazão passado.

Gavião Kyikatejê

De volta à elite após seis anos, o Gavião terá dificuldades este ano. Com a saída de alguns dos principais jogadores da campanha de acesso, como o meia Thárcio e o atacante Aleílson, o time indígena reformulou parte do elenco e tem o objetivo principal de permanecer na primeira divisão.

Técnico: Zeca Gavião, ex-presidente do clube e um dos líderes da comunidade Kyikatejê, segue à frente do time para a disputa do Parazão. Coincidentemente, ele é pai do presidente do clube, Jakure.

Destaque: goleiro Wrias vem tendo destaque embaixo da meta do Gavião há alguns anos. Na disputa da Segundinha em 2020, salvou a equipe em várias oportunidades. Na final contra a Tuna, também teve boa atuação, evitando uma goleada.

Principal contratação: a diretoria contratou o experiente atacante Moisés, que já foi conhecido como “Neymar Paraense”. Revelado pelo Paysandu, o jogador tem passagens por grandes clubes do futebol brasileiro como Santos e Náutico. Esteve em 2020 no Pinheirense.

Elenco: além de Moisés, o Gavião contratou o meia Rafinha, que se destacou no Bragantino em 2019. A base foi mantida para a disputa do Parazão, incluindo o jovem lateral-direito Soiti, que é povo indígena.

Independente

O Galo Elétrico terminou o último Parazão na oitava colocação e, com isso, de fora das competições nacionais desta temporada. Para voltar a ter calendário cheio, o clube manteve uma base da equipe que disputou a Série D no ano passado e vinha jogando a Copa Verde.

Técnico: Sinomar Naves retorna ao clube. Os mais nostálgicos vão lembrar que o técnico levou o time de Tucuruí ao título estadual em 2011. Agora ele busca surpreender mais vez com Independente.

Destaque: o atacante Danrlei era apenas um reserva do time em 2020, mas acabou ganhando a titularidade durante a Série D. Ele terminou a temporada passada como artilheiro da equipe com oito gols em 19 partidas.

Principal contratação: a diretoria do Galo Elétrico acertou com o experiente volante Dudu, de 34 anos. Ele retorna ao time após ter saído para disputar a segunda divisão do Campeonato Catarinense pelo Hercílio Luz. No Pará, o jogador tem passagens por equipes como Remo, Tuna Luso, São Raimundo, Paragominas, Vênus, Cametá e Ananindeua.

Elenco: o clube manteve peças importantes como o zagueiro Ezequias, Matheus Tucuruí e os atacantes Ray Gol e Joãozinho. Entre as novidades estão o goleiro Gerson, o lateral-direito Rafael Vioto, o volante Jeferson Jari e o meia Raílson.

Itupiranga

Em seu segundo ano na primeira divisão, o Crocodilo agora terá como sede o município de Jacundá. A equipe busca superar a campanha de 2020, quando terminou na oitava colocação. Objetivo é chegar, pelo menos, na segunda fase.

Técnico: o ex-jogador Wando será novamente o comandante do Itupiranga. Ele chegou a sair do clube para comandar o São Raimundo-PA na Segundinha, mas, sem o acesso, retornou ao time.

Destaque: o zagueiro Charles, de 38 anos, está de volta ao Crocodilo. Ele esteve em 2020 no estadual e saiu para atuar pelo ASA, São Paulo-AP e São Raimundo-PA. Em sua carreira, tem passagens por clubes como Tuna, Águia de Marabá e Independente-PA.

Principal contratação: com 37 anos, Labilá chega ao Itupiranga para ser a segurança no gol e quem sabe balançar as redes cobrando pênalti. Com passagens marcantes por São Raimundo-PA e São Francisco-PA, no Itupiranga terá a concorrência de Dida Tucuruí, outro experiente goleiro.

Elenco: a diretoria contratou alguns jogadores pontuais para fechar o elenco que tem boa base da temporada passada. O lateral-esquerdo Hércules, os volantes Taison e Hatos e os meias Tairon e Kaique são alguns que retornam. Entre as novidades está o meia Araújo, cria da base do Paysandu.

(Com informações do GE)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Convênio vai facilitar estágio para alunos de cursos técnico e superior

Publicado

em

Para contribuir com a formação profissional de alunos de cursos técnico e superior no município, a Prefeitura de Parauapebas firma convênio com instituições de ensino para disponibilizar estágio supervisionado nas repartições públicas municipais. Atualmente sete instituições são conveniadas, contemplando 1.279 estagiários, principalmente na área de saúde com os cursos de enfermagem, nutrição e psicologia.

Na quinta-feira, 26, representantes de uma faculdade conveniada com a prefeitura participaram de reunião para alinhamento do plano de estágio com o governo municipal. Além do secretário da Semad, participaram da reunião a titular da Coordenadoria de Treinamento e Recursos Humanos (CTRH), Elveni Dalferth, e a coordenadora de treinamento CTRH/Semad, Francisca Braga.

O convênio é firmado com base na Lei Federal Lei 11.788/200, que estabelece no artigo 1º que “estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam freqüentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos”. 

De acordo com o convênio firmado, os estágios não são remunerados e a prefeitura não tem responsabilização sobre nenhum tipo de custo envolvendo os estagiários. As instituições são responsáveis por custear apólice do seguro de vida de cada aluno, uma obrigatoriedade de acordo com a legislação.

Como firmar convênio com a prefeitura?

As instituições de ensino devem procurar as secretarias que têm cargos equiparados com os cursos oferecidos e verificar se podem absorver esses estagiários, em seguida é necessário providenciar a documentação exigida para o convênio. A CTRH fica responsável por monitorar o processo de convênio e acompanhar o encaminhamento dos estagiários, assim como o cumprimento de suas respectivas cargas horárias. (Karine Gomes / Foto: Renato Resende)

Continue lendo
publicidade Bronze