Connect with us

Pará

Governo do Pará aumenta preventivamente o número de leitos no combate à Covid-19

Publicado

em

Em comunicado oficial, na manhã deste sábado (26), o governador Helder Barbalho informou o incremento de mais 55 leitos de UTI e 10 leitos clínicos na rede de saúde estadual. Além de atualizar o cenário epidemiológico da covid-19 no Estado, também anunciou a publicação de medidas preventivas, especialmente, sobre a aglomeração de pessoas nas festas de fim de ano. As ações serão publicadas no Diário Oficial, da próxima segunda-feira (28).

O Pará apresenta, atualmente, a ocupação de 41% de leitos clínicos e 66% de UTI, o que representa um cenário favorável, de acordo com o secretário adjunto de Saúde Pública do Pará (Sespa), Sipriano Ferraz. Entretanto, com a identificação do aumento do número de solicitações de internações em UTI nos últimos dias, são necessárias novas medidas de precaução. Em agosto, a Sespa recebeu 438 pedidos; em setembro, 321; em outubro, foram 308; novembro, 323. No mês de dezembro, até o dia 26, foram 356 solicitações.

O governo do Estado busca evitar que as festas de fim de ano tragam repercussões agravantes à saúde dos paraenses. “Conseguimos superar com estabilidade as férias de julho, o Círio de Nazaré, o período de eleições, porém com as atuais projeções, baseados na ciência e na técnica, com acompanhamento diário das nossas equipes, precisamos reavaliar algumas medidas, para evitar o estabelecimento de restrições severas que já estão ocorrendo em outros estados brasileiros e países”, explica o governador Helder Barbalho. 

O Pará viveu o ápice da pandemia no mês de junho, ao alcançar 67.149 novos casos e segue em queda, desde julho até novembro. Observa-se que em dezembro, até o dia 26, cerca de 400 novos casos a mais já foram identificados em comparação ao mês passado, o que leva o Governo a agir de forma preventiva para proteger a população.

“Não podemos fomentar aglomerações, deixar de usar máscaras, lavar as mãos, ou usar álcool em gel. Essas medidas são fundamentais para barrar a tendência de aumento do número de casos de covid-19 no Estado. Estamos ampliando a retaguarda da rede, de forma preventiva, para que nenhum paraense fique desassistido no Pará”, reforça Sipriano Ferraz.

O secretário adjunto reforça que os paraenses precisam de atendimentos cirúrgicos eletivos de outras patologias, além do novo coronavírus e, por isso, há a necessidade de deixar uma retaguarda maior de leitos. O Estado conta, atualmente, com a oferta de 201 leitos de UTI adultos, 29 pediátricos e três neonatal exclusivos para covid-19. No ápice da pandemia, o Estado alcançou 722 leitos.

O cenário atual do novo coronavírus no Pará é de 289.795 casos confirmados, 270.836 recuperados e 7.124 óbitos confirmados pela doença.

CLASSIFICAÇÃO DO BANDEIRAMENTO

Segundo o reitor da Ufra, professor Marcel Botelho, é importante ressaltar que o número de leitos disponíveis é superior a demanda no Estado como um todo. Contudo, ao observar separadamente as regiões de saúde, observa-se tendências de aumento.

“Na Região Metropolitana de Belém, tivemos uma redução do número de casos, no que se refere à necessidade de demanda hospitalar. Entretanto, nas outras regiões, como Marajó Ocidental, Xingu, Tapajós, Tucuruí, Baixo Amazonas, Carajás, Araguaia e Nordeste, a tendência é de aumento” – professor Marcel Botelho, reitor da Ufra.

O coordenador do programa Retoma Pará, Adler Silveira, ressalta as alterações da classificação do bandeiramento, a partir deste sábado (26), que leva em conta a avaliação atual da quantidade de novos casos contabilizados e a capacidade do sistema de saúde.

“O bandeiramento das regiões Tapajós e Xingu passam do amarelo para o laranja. As regiões do Araguaia e Baixo Amazonas mantêm o bandeiramento laranja. Regiões do Tucuruí, Marajó Ocidental e Nordeste paraense seguem em bandeiramento amarelo. Região Metropolitana de Belém (RMB), Marajó Oriental e Baixo Tocantins seguem em verde, devido à capacidade maior do sistema de saúde” – Adler Silveira, coordenador do programa Retoma Pará.

O governador do Estado observou que as regiões que sofreram alteração de bandeiramento (Tapajós e Xingu) apresentaram, nos três inquéritos epidemiológicos realizados pela Uepa e Ufra, uma taxa menor de pessoas que já tiveram contato com o vírus. “Enquanto a RMB identificou que 42% da população entrevistada já apresentava contato com o vírus, nas duas regiões essa taxa variava em torno de 15%. Então, o menor número de pessoas que já teve contato com o vírus representa um maior número de pessoas expostas a vir a ter contato”, ressalta.

SEGURANÇA

Para que as aglomerações das festas de final de ano não tenham repercussão no agravamento do cenário da pandemia, a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) realiza, desde o dia 3 de dezembro, a operação Festas Seguras, focada em preservar vidas a partir do cumprimento de protocolos de saúde, além do combate aos crimes contra o patrimônio.

O secretário de Segurança Pública, Ualame Machado, reforça que os decretos, municipais e estaduais, assim como as decisões judiciais continuarão sendo rigorosamente cumpridas pelos órgãos de segurança. “Sempre prevalecerão os decretos ou decisões mais rígidas e restritivas, no que se referem à proibição do funcionamento de estabelecimentos ou à quantidade de pessoas”, informa. As medidas variam de acordo com a situação de cada região de saúde.

VACINA

Helder Barbalho informou que o Governo segue trabalhando no processo de vacinação em diálogo com o Ministério da Saúde, Instituto Butantan e outros laboratórios. “A nossa previsão, é que ainda em janeiro conseguiremos iniciar a vacinação por fases e grupos restritos e gradativamente, ir aumentando os grupos, de acordo com a oferta de vacina, para, ao longo de 2021, imunizar toda a população”, reforça. O estado do Pará só fará uso de vacinas regulamentadas pela Anvisa, órgão regulador brasileiro.

Segundo o governador, a Sespa já está preparada para o plano de vacinação, com 3 milhões de seringas e agulhas em estoque, com a logística pronta para distribuição das vacinas para os 144 municípios paraenses. 

“Sei o quanto todos nós estamos cansados da distância de um familiar, do uso de máscara, sou solidário ao sofrimento que vivemos ao longo desses meses, mas devemos ter a consciência de que o vírus ainda está circulando. Enquanto não houver a imunização, temos que manter todos os cuidados”, finaliza o governador.

A transmissão ao vivo foi feita pelo site Agência Pará, TV Cultura e pelas redes oficiais do governo do Estado e Sespa. (Giovanna Abreu / Foto: Marcelo Seabra)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Pará recebe 17 pacientes vindos de Manaus para tratamento no Hospital de Campanha de Belém

Publicado

em

Dezessete pacientes em tratamento contra a Covid-19 desembarcaram, nesta sexta-feira (22), na Base Aérea, em Belém. Essa é, até agora, a maior transferência de vítimas do novo coronavírus vindas de Manaus, no Amazonas, para o estado do Pará. A transferência de pacientes com Covid-19, vindos do Amazonas em busca de tratamento no Pará devido à crise de saúde, iniciou na última segunda-feira (18).

Nesta sexta-feira, além dos 17 pacientes que vieram de uma única vez, outros dois foram trazidos no início da tarde. Até agora, foram encaminhadas 25 pessoas do Amazonas para o Estado do Pará, entre elas James Rocha Pinheiro, 54 anos, que ainda respira com dificuldade, mas conseguiu fazer sinal de positivo com as mãos ao entrar no Hospital de Campanha de Belém, instalado no Hangar – Centro de Convenções.

As vítimas do novo coronavírus chegaram com suporte de oxigenação e, após serem acomodadas em macas móveis, foram encaminhadas ao Hospital de Campanha montado pelo governo do Pará no Hangar – Centro de Convenções, na capital paraense.

Técnicos da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) receberam os pacientes ainda na pista de pouso, onde conversaram com os profissionais de saúde responsáveis pelo suporte médico dentro da aeronave.

“Todos os pacientes vieram estáveis. Mas com a viagem, é normal que a diferença de pressão altere o quadro temporariamente. Todos serão encaminhados  para semi intensiva no hospital”, Camylla Rocha, diretora da Sespa.

Veículos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foram utilizados em apoio ao recebimento e deslocamento de pacientes ao hospital. O objetivo foi assegurar o bem estar e o isolamento dos pacientes.

-“Mesmo dentro do hospital de Campanha, os pacientes ficam em isolamento, sem nenhum tipo de contato com os outros pacientes. Essa medida é um protocolo de segurança sanitária para controle e combate do vírus. Dessa forma, estamos impedindo, inclusive, a possível propagação da nova Cepa do vírus aqui no  Pará”, destacou Carla Figueiredo, diretora Sespa.

A transferência de pacientes com Covid-19, vindos do Amazonas em busca de tratamento no Pará devido a crise de saúde, iniciou na segunda-feira (18). Até esta sexta-feira (22), foram encaminhadas 25 pessoas, entre elas seu James Rocha Pinheiro. O senhor de 54 anos, ainda respira com dificuldade, mas conseguiu forças para fazer sinal de positivo com as mãos, ao entrar no Hospital de Campanha.

Continue lendo

Pará

Em 2021, Estado do Pará quer realizar 19 concursos públicos, para mais de 15 órgãos

Publicado

em

Um leque de oportunidades de acesso ao mercado de trabalho será aberto pelo Governo do Pará em 2021, com a previsão de realização de 19 concursos públicos, para mais de 15 órgãos da administração direta e indireta. Por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), o governo reafirma o compromisso com o plano de melhorias na prestação de serviços e o aumento do quadro de servidores públicos.

Entre os chamados “concurseiros”, a expectativa é grande. “Foco, perseverança e dedicação é o que tracei para alcançar o meu objetivo, e assim sigo estudando, com a meta de ser aprovada, e não perder nenhuma oportunidade que o Estado venha proporcionar para o ingresso na atividade pública”, diz Hellen Gomes, que já se prepara para concursos públicos. 

Os concursos das polícias Civil e Militar já estão em fases adiantadas, e o da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) encontra-se em processo licitatório para escolha da banca organizadora. Todos os concursos previstos para 2021 vão ofertar vagas para cargos que exigem ensino fundamental, médio e superior.

Ainda no final de 2020, a Seplad publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) o edital de abertura da fase licitatória para quatro dos concursos oferecidos: Seplad, Jucepa (Junta Comercial do Pará), AGE (Auditoria-Geral) e PGE (Procuradoria-Geral).

Muitos “concurseiros” já se preparam para um dos certames mais esperados, o da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), que já teve divulgada no Diário Oficial a comissão que acompanhará a execução do processo.

“Trabalhamos sempre em busca de mais excelência nos serviços públicos oferecidos à nossa população, além de incentivarmos o ingresso de novos servidores, por meio de concurso público, o que possibilita mais desenvolvimento e notoriedade ao nosso Estado”, destaca a secretária de Estado de Planejamento e Administração, Hana Ghassan.

Ofertas de vagas – Desde 2019, quatro concursos públicos foram realizados no Pará, reforçando os quadros do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Fundação Hemopa, Departamento de Trânsito (Detran) e Secretaria de Estado de Administração (Sead), totalizando 273 vagas, com oportunidades para o nível médio e superior.  

O governo do Estado já nomeou 3.511 aprovados em concursos entre 2019 e 2020. A atuação da Seplad foi decisiva para que as nomeações fossem feitas de acordo com as necessidades dos órgãos e obedecendo aos protocolos de combate à Covid-19.

O governo vai oferecer oportunidades para o ingresso no serviço público nos seguintes órgãos: Seplad, Jucepa, Seap, PGE, AGE, Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV), Hospital Ophir Loyola (HOL), Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Instituto de Metrologia (Imetropará), Instituto de Gestão Previdenciária (Igeprev), Sefa, Fundação Santa Casa (FSCMPA), Polícia Civil (área administrativa), Polícia Civil (área finalística), Polícia Militar e Detran.

Continue lendo

Pará

Vila Nova e Remo começam decisão pelo título Série C neste sábado

Publicado

em

Após garantia de acesso no Campeonato Brasileiro da Série C ao lado de Brusque-SC e Londrina-PR, Vila Nova-GO e Remo-PA vão começar a decisão pelo título. O primeiro encontro acontece às 17h deste sábado (23), no OBA, em Goiânia (GO).

A finalíssima, por outro lado, está prevista para o sábado seguinte (30), às 17h, no Mangueirão, em Belém (PA). Cabe destacar que não há vantagens ou gol fora como critério de desempate. Ou seja, o empate no placar agregado após os dois jogos levará à decisão de pênaltis.

Curiosamente, ambos os times já conquistaram a Série C. Os goianos venceram em 1996 e 2015 e sonham com o que seria o primeiro tricampeonato da competição. Os paraenses, por outro lado, chegaram ao título em 2005.

CAMPANHAS
As equipes têm campanhas praticamente idênticas até aqui. Na primeira fase, não saíram de dois empates sem gols e ainda somaram 31 pontos no Grupo A – foram oito vitórias e sete empate em 18 partidas. O Remo ficou em segundo, deixando o Vila Nova em terceiro, por conta do saldo: 10 contra 9. Ainda marcaram a mesma quantidade de gols: 20.

Já na segunda fase, obviamente, ficaram em chaves distintas. No Grupo C, os goianos fizeram 10 pontos em seis jogos, marcaram apenas seis gols e terminaram com saldo de -1. O acesso foi conquistado de forma agônica, com gol do meia argentino Emanuel Biancucchi, ‘primo do Messi’, nos instantes finais do duelo com o Ituano-SP.

Os paraenses subiram com mais tranquilidade no Grupo D. Também somaram 10 pontos, mas carimbaram o acesso com o 1 a 0 sobre o arquirrival Paysandu-PA, ainda na quinta rodada. Na última partida, nem mesmo o revés por 1 a 0 para o Londrina-PR impediu a classificação à decisão. Anotaram sete gols e sofreram cinco.

SOBRE OS DONOS DA CASA

O Vila Nova não poderá contar com o ‘herói’ Emanuel Biancucchi. O meia argentino de 32 anos foi expulso na vitória, por 1 a 0, sobre o Ituano-SP, no último domingo (17), e cumprirá suspensão automática por conta do cartão vermelho.

De qualquer forma, porém, o técnico colorado, Márcio Fernandes, poderá repetir a formação que começou o confronto diante dos paulistas. Afinal de contas, o ‘primo de Messi’ entrou no decorrer do embate.

“Vamos enfrentar uma equipe fortíssima que fez uma campanha maravilhosa e também está buscando o título. Agora é buscar o título pra premiar nossa torcida que espera muito por isso”, disse o treinador, que faturou o a Série C de 2015 com os vilanovenses.

SOBRE OS VISITANTES

O Remo precisa superar surto de covid-19 que atingiu, entre outros, 11 atletas e o técnico Paulo Bonamigo, o qual será substituído por Renan Capra, preparador físico. Além disso, o lateral-esquerdo Dudu Mandai e o atacante Hélio, lesionados, também são desfalques.

São apenas 17 jogadores relacionados, sendo três goleiros – entre eles, três crias da base azulina (Lucas Mocorongo, arqueiro; Rafael, meia; e Pepê, atacante). Em meio a esse cenário, o volante Lailson pode pintar na lateral esquerda, posição que já chegou a ocupar.

“Os jogadores passaram uma semana muito focados, treinaram muito forte. Evidente que aconteceram algumas coisas que poderiam ter abalado essa confiança, mas acredito que a gente chega muito forte”, declarou o ‘treinador interino’. (Futebol Interior)

Continue lendo
publicidade Bronze