Connect with us

Pará

Hospital Regional do Marajó reduz transferências de pacientes para a capital

Publicado

em

Diminuir a grande procura por atendimento nos hospitais da capital é um dos objetivos dos hospitais regionais, construídos pelo governo do Estado, que vem sendo cumprido pelo Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), localizado no município de Breves. Ao oferecer assistência, nas mais diversas especialidades, a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), a instituição reduz a sobrecarga na rede hospitalar da capital.

Somente nos meses de maio, junho e julho o Hospital do Marajó realizou 3.954 consultas, que resultaram em 27.825 exames laboratoriais, por imagem e métodos gráficos. Dos 640 pacientes internados, somente 15 foram transferidos para Belém.

Para o diretor técnico do HRPM, Michal Gejer, a missão mais importante da instituição é regionalizar o atendimento à saúde, uma diretriz da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), garantindo assim o atendimento à maioria dos usuários do 8º Centro Regional de Saúde (CRS).

Com capacidade técnica e estrutura para casos de média e alta complexidade, o HRPM garante atendimento à população dos municípios de Breves, Anajás, Bagre, Curralinho, Gurupá, Melgaço e Portel. Os encaminhamentos são referenciados pela Central Regional de Regulação. O hospital oferece atendimento em diversas especialidades, e tem disponíveis 50 leitos, unidades de Urgência e Emergência, sete leitos de UTI Adulto, cinco leitos de UTI Pediátrica e cinco de UTI Neonatal.

Êxitos

O atendimento especializado está possibilitando a recuperação de Denise dos Santos Barbosa, 28 anos, moradora de Breves. Vítima de um grave acidente de motocicleta, em março deste ano, ela foi atendida no HRPM com 14 costelas fraturadas, pulmões perfurados e fraturas no braço esquerdo (em duas partes), na bacia (em três partes), e na clavícula. Em estado gravíssimo, ela passou 21 dias internada – 16 deles na UTI.

Hoje, Denise está em franca recuperação. Com as sessões de fisioterapia, ela já caminha com a ajuda de aparelho, e está recuperando a mobilidade. “Sinto uma melhora gradativa. Agradeço a todos que cuidaram e cuidam de mim. Sempre fui muito bem tratada aqui, desde o primeiro dia em que fui internada. Fiz muitas amizades e tenho muita confiança em todos que cuidam de mim”, afirmou Denise.

Outro exemplo da importância do hospital no atendimento de pacientes que, em outros tempos, seriam transferidos para Belém ou morreriam no município sem os cuidados adequados, é o caso do bebê Analu Lobato Cardoso, que nasceu prematuramente no HRPM no dia 21 de maio, com sérias complicações respiratórias e menos de 1,5 kg. Ela foi internada na UTI Neonatal, onde recebeu sessões diárias de hidroterapia, o que melhorou a capacidade respiratória e trouxe outros benefícios. As sessões eram realizadas com o auxílio de uma pequena rede, em uma banheira com água aquecida.

A evolução no quadro de Analu foi tão significativa, que no último domingo (4), ela foi transferida para uma das enfermarias da Clínica Integrada, onde está em companhia da mãe, Adriane Gomes Lobato, 17 anos, residente no município de Gurupá. Alimentada a cada três horas, a menina já está com 2,9 kg. “Passei por uma gravidez de alto risco. Foi muito difícil. Mas nosso atendimento foi ótimo. Agora, com ela ao meu lado, sã e salva, me sinto mais segura e feliz, graças a todos aqui do hospital, que trataram minha filha como se fosse filha de cada um deles”, ressaltou Adriane Gomes Lobato.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

SÃO DOMINGOS DO ARAGUAIA: Colisão entre caminhão e carreta deixa home carbonizado na Transamazônica

Publicado

em

Um grave acidente entre caminhão baú e uma carreta foi registrada nesta segunda-feira (18), na rodovia Transamazônica (BR-230), em São Domingos do Araguaia, sudeste do Pará. Uma pessoa ficou presa nas ferragens e outra morreu carbonizada.

A carreta ultrapassou o corrimão de proteção e o condutor ficou preso nas ferragens. Ele foi retirado com vida e encaminhado para o Hospital Regional de Marabá.

O caminhão baú entrou em combustão e um dos passageiros teve o corpo carbonizado e morreu no local. O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves e foi conduzido pelo SAMU a uma unidade de saúde da região.

Continue lendo

Pará

Vacinação contra Covid-19 começa no Pará

Publicado

em

A enfermeira Shirley Cuimar Cruz Maia de 39 anos foi a primeira paraense vacinada contra a Covid-19 em Belém. Em seguida, a técnica de enfermagem Marielza da Silva Monteiro, 57 anos, também recebeu a primeira dose da CoronaVac. As duas imunizadas atuam na linha de frente no combate a pandemia, no Hospital de Campanha de Belém.

A cerimônia simbólica que marcou o início da vacinação contra o coronavírus aconteceu na manhã desta terça-feira (19), no Hangar, Centro de Convenções, mesmo lugar onde funciona o hospital de campanha da capital. O ato foi acompanhado pelo governador do Pará, Helder Barbalho e pelos prefeitos de Belém, Edmilson Rodrigues, e de Ananindeua, Dr. Daniel.

Durante a cerimônia também foi realizada a primeira imunização do município de Ananindeua, região metropolitana de Belém. O enfermeiro João Bernardo, 37 anos, que trabalha no combate a pandemia foi o terceiro a receber a vacina.

As 173 mil doses de vacina devem imunizar cerca de 86 mil pessoas no Pará. De acordo com Helder, o carregamento que já está no estado precisam garantir as duas doses que cada pessoa imunizada.

Continue lendo

Pará

Vacinação da Covid-19 começa nesta terça, 19, no Pará

Publicado

em

O governo do Estado anuncia que a vacinação contra a Covid-19 no Pará terá início nesta terçaa-feira (19), em Belém, e as doses serão distribuídas aos demais municípios paraenses para que iniciem a vacinação. Para a Região Norte, foram destinadas 296 mil doses. O Pará recebe 173.240 mil no primeiro lote.

“Hoje é um dia muito especial, que representa a renovação da esperança dos brasileiros e a salvação de muitas vidas. O povo tem pressa. Trabalhamos para que, rapidamente, consigamos imunizar o maior número de paraenses, para que possamos construir um novo momento na vida de todos nós”, destaca o governador do estado do Pará, Helder Barbalho.

O primeiro lote será direcionado aos profissionais da saúde que atuam na linha da frente, indígenas aldeados e idosos institucionalizados, que compõem o grupo prioritário da primeira fase da campanha. 

O governador Helder Barbalho participou de reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e governadores de outros estados, na manhã desta segunda-feira (18), para dar início à distribuição das doses de vacinas. O chefe do Executivo Estadual esteve no Centro de Distribuição de Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo, e acompanhou o envio do primeiro lote encaminhado ao Pará.

“Precisamos reforçar juntos aos brasileiros de que se vacinar representa salvar a sua vida e a vida dos outros. Pessoas perderam vidas, perderam familiares e passaram a viver uma situação dramática desde o início da pandemia. O dia de hoje representa virar essa página, renovar as nossas esperanças”, reforça Helder Barbalho.

O planejamento de vacinação do Governo do Pará conta com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Segup), para garantir eficiência na logística e segurança da distribuição. 

COLETIVA

Nesta terça-feira (19), às 7h, o governador concederá coletiva de imprensa no salão Marajó, no Hangar Centro de Convenções.

AUTORIZAÇÃO

No domingo (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, por unanimidade, o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford contra a Covid-19 no país. A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a doença no Brasil.

Continue lendo
publicidade Bronze