Francisco da Silva Neres, preso, acusado pela própria esposa de estupro, foi colocado em liberdade na semana passada. É que um laudo do Instituto Médico Legal (IML) provou que ela não foi violentada sexualmente.

Francisco Neres tinha sido preso no último domingo (26), durante um culto, em uma igreja no Parque São José. A prisão foi efetivada após mulher dá entrada no Hospital Municipal de Imperatriz (HMI), alegando que tinha sido obrigada a praticar sexo com o marido. Além disso, alegou que foi agredida fisicamente. A polícia foi acionada, e o homem foi preso, sem resistência.

Em liberdade, Francisco Neres afirma que está tendo que enfrentar o ódio das pessoas, recebendo, inclusive, ameaças. “Não estou conseguindo trabalhar, não posso sair na porta de casa, porque as ameaças são grandes. Mas estou de cabeça erguida”.

O documento do IML ressalta que “não consta nenhum elemento que indique existência de conjunção carnal. Não foi encontrado ferimento na região anal sem anormalidade”, diz um trecho do laudo, mostrado por Francisco. “Isso [a prisão] foi algo inesperado, ser preso acusado de estupro”, afirmou após deixar a prisão.

O homem disse, ainda, desconhecer o motivo pelo qual sua, agora, ex-esposa fez tamanha acusação. “É um mistério a se descobrir. Eu não entendi. Eu amava ela”, contou o evangélico que estava casado com a mulher há seis meses, depois de tê-la conhecido pela internet. (Imirante)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.