Connect with us

Maranhão

IMPERATRIZ: Unidade Coronariana contabiliza 420 internações até o primeiro trimestre de 2021

Publicado

em

Inaugurada pela Secretaria Municipal de Saúde, Semus, em maio de 2019, a Unidade Coronariana (UCO) e Semi-Intensiva Cardiológica do Hospital Municipal de Imperatriz, HMI, já realizou 420 internações, em menos de dois anos. Além de salvar vidas, cumpre a função social ao contribuir com o ensino local e de cidades vizinhas, com estágio para alunos de medicina e enfermagem.

A Organização Mundial de Saúde, OMS, caracteriza as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo, e o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) é a principal delas. De acordo com dados do Ministério da Saúde, só no Brasil cerca de 300 mil pessoas sofrem anualmente de IAM e desses, 30% vão a óbito. Para redução dos números, a cidade conta com o Hospital Municipal de Imperatriz, referência no atendimento 24h, com um time de enfermagem e médicos para melhor atender o doente.

O infarto agudo é uma doença ocasionada pelo entupimento de uma artéria do coração (as artérias coronárias) e se caracteriza por dor no peito que caminha para o braço esquerdo e alteração no eletrocardiograma. O projeto para criação da unidade foi idealizado pelos médicos cardiologistas Saymo Carneiro e Júlio César Queiroz de França. Atualmente equipe tem cinco médicos cardiologistas: a coordenadora, Mayara Viana e Maira Regina, Saymo Carneiro,  Lidefonso Zafred Neto e Vitor Dias Neto.

A secretaria de Saúde, Mariana Jales, explica que “a unidade tem objetivo de atender pacientes que precisam de cuidados cardiológicos e semi-intensivos, com monitoramento 24h. Focada a superar expectativas, a equipe fornece um cuidado de profissionais experientes, primando pela qualidade e comprometimento com o paciente”.

Atendimentos possibilitam a utilização de drogas e medicações que fortalecem o coração, o que  permite uma recuperação acelerada e contribuiu para redução de óbitos por insuficiência cardíaca. Com a instalação da unidade, houve treinamento em Reanimação Cardiopulmonar e Eletrocardiograma dos profissionais do pronto-socorro do HMI e melhor assistência na parada cardíaca.

Para o diretor do HMI, Vitor Pachelle, “o paciente é admitido na Unidade Coronariana de acordo com avaliação médica, onde a atenção clínica é prioridade. A equipe responsável pelo setor se reúne frequentemente com a equipe assistencial, para discutir principalmente condutas diagnosticadas e terapêuticas, com objetivo de oferecer um atendimento humanizado focado na qualidade, aumentando as chances de recuperação”.

De acordo com a coordenadora da Unidade Coronariana, Mayara Viana, “após o diagnóstico, paciente é encaminhado ao cateterismo cardíaco e angioplastia, em seguida retorna onde permanece internado por 48-72h e recebe alta hospitalar”.  De acordo com ela, após a instalação da UCO e do regime de sobreaviso de médicos cardiologistas do hospital durante 24h por dia, “observamos redução de mais de 80% dos óbitos relacionados ao Infarto Agudo do Miocárdio”, relata.

Outro impacto da unidade está relacionado no atendimento especializado e cuidadoso da Insuficiência Cardíaca, IC, (falência e crescimento do coração), atualmente considerada a terceira maior causa de internação no Brasil e a principal causa do mundo, de acordo com a OMS.

A unidade é a primeira do sul do Maranhão em um hospital público e oferece 24h de assistência especializada a pacientes cardíacos com síndromes coronarianas agudas (angina instável e infarto agudo do miocárdio), parada cardíaca, insuficiência cardíaca descompensada, arritmias instáveis, síndrome aórticas agudas.

A UCO realiza também atendimentos que aspiram cuidados durante procedimentos especiais como implantes de marca-passo definitivo, angioplastias, ablação de arritmias, procedimentos de cardioversão e intervenções vasculares.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

IMPERATRIZ: Ladrão atrapalhado tenta roubar celular e levar porretada

Publicado

em

Um ladrão usando uma motocicleta e demonstrando ter algo, tipo uma arma de fogo, na cintura, tentou roubar uma mulher, em um bairro da cidade de Imperatriz, no sul do Maranhão, nesta quarta, 21, mas acabou tento seu intento frustrado pela ação da mulher e depois de um homem, que jogou um porrete no marginal, assista a cena captada por câmeras de segurança.

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Temporal causa alagamentos

Publicado

em

A chuva que caiu na cidade de Imperatriz, no sul do Maranhão, causou alagamentos e transbordou a moradores na tarde desta quinta, 22, deixando a maior cidade da região em estado de atenção, sendo monitorada pela Defesa Civil e outros órgãos de Segurança.

A água invadiu diversos estabelecimentos comerciais, veículos e bloqueou totalmente o trânsito, principalmente do centro da cidade. Os bairros da periferia também tiveram restrições.

Continue lendo

Maranhão

AÇAILÂNDIA: Ex-prefeito Juscelino têm bens bloqueados por direcionamento e superfaturamento em obra

Publicado

em

Atendendo a pedido formulado pelo Ministério Público, em Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público do Maranhão, em 30 de julho de 2019, a Justiça determinou a indisponibilidade dos bens do prefeito Juscelino Oliveira e Silva e de outras quatro pessoas. A indisponibilidade de bens deve se dar até o montante suficiente para garantir o ressarcimento dos danos ao erário e o pagamento de multa, com valor mínimo de R$ 302.098, 31.

Também tiveram os bens bloqueados o secretário de Infraestrutura e Urbanismo de Açailândia, Divaldo Farias da Costa; o engenheiro Rogério Rosa Lopes, da equipe da Secretaria de Infraestrutura; o então secretário de Infraestrutura de Imperatriz, Francisco de Assis Amaro Pinheiro; a Terramata Ltda e o sócio-administrador da empresa, Ricardo Barroso del Castilho.

ENTENDA O CASO

De acordo com a promotora de justiça Glauce Mara Lima Malheiros, titular da 2ª Promotoria de Justiça Especializada de Açailândia, a contratação da empresa ocorreu por meio da adesão à Ata de Registro de Preços da Concorrência Pública 006/2017, presidida pela Comissão Permanente de Licitação (CPL) de Imperatriz.

Entre as irregularidades constatadas no inquérito, estão: direcionamento do procedimento licitatório em favor da Terramata, superfaturamento das obras, favorecimento a empresas ligadas ao prefeito para execução de alguns serviços. “São diversos fatos que, analisados em conjunto, evidenciam o cometimento de atos ímprobos por agentes públicos municipais e particulares envolvidos na execução das obras”, relatou, na Ação, a promotora de justiça.

O Ministério Público constatou que as irregularidades aconteceram desde o pedido de adesão pelo Município de Açailândia à Secretaria de Infraestrutura de Imperatriz. Conforme o edital do certame, órgãos ou entidades que desejassem fazer uso da ata de registro de preços deveriam encaminhar solicitação para a Superintendência da CPL de Imperatriz, que teria a competência para permitir ou não o ingresso do solicitante.

“A Administração Municipal de Açailândia, atropelando as regras do processo de adesão e objetivando direcionar o procedimento licitatório, resolveu buscar a autorização diretamente junto ao secretário municipal de Infraestrutura, Transportes e Serviços Públicos de Imperatriz”, observou a promotora Glauce Malheiros.

Outras irregularidades na execução dos serviços foram identificadas por meio de vistorias do Núcleo de Assessoria Técnica do Ministério Público, Instituto de Criminalística de Imperatriz e Delegacia de Polícia Civil de Açailândia.

As investigações verificaram que os bloquetes utilizados na pavimentação das ruas pela Terramata teriam sido fornecidas por empresas vinculadas ao próprio prefeito de Açailândia. “Um dos imóveis destinados ao armazenamento dos bloquetes está vinculado à empresa Steel Estruturas e Metais, a qual consta como sócio- administrador o prefeito Juscelino Oliveira e Silva e seu filho Giuliano Gregory Santos Oliveira e Silva”, relata o texto da Ação Civil.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze