- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 17 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

Incêndio à ônibus da Jamjoy em Esperantina gera protesto. Cootins é suspeita

Mais Lidas

Passageiros, motoristas e empresários da empresa Jamjoy Viação Ltda realizaram na segunda-feira, 4, uma manifestação na BR-010, que liga São Miguel do Tocantins a Imperatriz, no Sul do Maranhão. Durante a ação, os manifestantes interditaram a rodovia com o microônibus que foi queimado em Esperantina, no dia 31 de dezembro.

Os manifestantes queriam chamar a atenção das autoridades para os incêndios criminosos que aconteceram na região contra dois ônibus da empresa, resultando num prejuízo de mais de R$ 300 mil. O valor é estimado pelo proprietário da Jamjoy, Miro Kajiya, que contabiliza uma frota de 20 veículos que atuam na região do Bico do Papagaio. Segundo a ocorrência registrada na Polícia Civil, os crimes seriam motivados pela disputa de passageiros com vans de transporte alternativo na região.

A Cooperativa de Transporte Alternativo de Araguatins (Cootins), que possui mais de 60 associados, foi procurada pelo Jornal do Tocantins na sede da empresa na cidade, para repercutir o assunto, mas o presidente da cooperativa, Juscelino Pereira dos Santos, estava em viagem. A Polícia Civil informou que já instaurou inquérito e tem 30 dias para a conclusão. Além disso, a polícia já tem alguns suspeitos, mas não divulgou os nomes para não comprometer as investigações.

Ônibus

Um dos atentados aconteceu no dia 4 de dezembro, na TO-404, que liga Augustinópolis a Araguatins, no Extremo-Norte do Estado. Quatro homens interceptaram o ônibus, obrigaram o motorista José Ailton João dos Santos, o cobrador e todos os passageiros a deixar o veículo, atearam fogo e fugiram. Ninguém saiu ferido.

O segundo caso aconteceu na madrugada de 31 de dezembro, quando um microônibus da empresa foi incendiado no centro da cidade de Esperantina, a 759 km de Palmas, quando o veículo estava estacionado em frente a casa do motorista Francisco de Oliveira Silva, que junto do cobrador Flávio da Silva Conceição, seu vizinho, tentou apagar as chamas.

“Nossos motoristas, passageiros e a população estão assustados, porque o prejuízo para a empresa, não é só material, mas moral também”, alerta o dono da empresa dos ônibus, ressaltando que espera que seja tudo apurado o mais rápido possível.

A concessão da Jamjoy de circular no Bico do Papagaio existe desde 1974 e possui certificado de registro cadastral junto à Agência Tocantinense de Regulação (ATR), válido até fevereiro de 2010. (Weberson Dias – JT)

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias