- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
domingo, 22 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

Indústria de papel e celulose estuda investir no Bico do Papagaio

Mais Lidas

No Tocantins a silvicultura ocupa uma área de aproximadamente 80 mil hectares – segundo aponta um levantamento parcial da Subsecretaria de Energias Limpas. A plantação de florestas é uma alternativa para o restabelecimento de áreas degradadas, como a de pastagens, estimadas em mais de 5 milhões de hectares. A empresa Suzano Papeis e Celulose possui plantações de florestas de eucaliptos no Bico do Papagaio e está estudando a possibilidade de instalar uma indústria na região.

Como o interesse da empresa é investir não só em florestas, mas também na agroindústria, representantes da empresa estiveram na tarde desta quinta-feira, na Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário para uma visita institucional onde foram recebidos pelo secretário executivo, Ruiter Padua.

De acordo com Padua, o Tocantins possuiu excelente logística, grande áreas com potencialidades para a silvicultura e incentivos fiscais para o setor de biodiesel. “O Estado tem interesse em programas e projetos de fomento que gere renda e fixe o homem no campo, por isso é prioridade do governo a regularização fundiária. Pedimos aos representantes que apresentem as potencialidades e os incentivos que o Tocantins possui, para os diretores, para que o Estado seja a escolha da empresa para investirem e se instalarem em definitivo”, reforçou.

O gerente de Relações Institucionais e Certificações, Flávio Moura Fé Lima agradeceu a atenção e objetividade que os gestores e técnicos do Governo do Estado têm recebido a equipe da Suzano. Segundo ele, o Brasil é hoje a última fronteira da celulose e a região, que integra os estados do Piauí, Maranhão e Tocantins, é atrativa para a plantação de florestas, devido ao clima, a logística e preço. “Por isso o interesse da Suzano em se instalar definitivamente na região”, completou.

A empresa

A Suzano Papel e Celulose possui área de propriedade de 513 mil hectares de terras, sendo 300 mil hectares destinados à produção de celulose e 175 mil hectares empregados no plantio de eucalipto, destes 42% destinados à preservação e infraestrutura. Com capacidade de produção total de 1,98 milhão de toneladas, 1,15 milhão de toneladas de papel e 827 mil toneladas de celulose de mercado.

A Suzano Papel e Celulose é uma das maiores produtoras verticalmente integradas de papel e celulose de eucalipto da América Latina. A Companhia conta com cinco unidades industriais: Suzano, Rio Verde e Embu no estado de São Paulo, Mucuri no sul da Bahia e, além disso, a Companhia também detém indiretamente 50% do controle da Ripasa, empresa que produz celulose, papéis para imprimir e escrever, especiais, papel cartão e cartolinas, e que possui uma unidade industrial integrada produtora de celulose e papel no Estado de São Paulo, em Americana. A Ripasa possui duas unidades industriais no Estado de São Paulo: uma fábrica integrada em Americana, e uma fábrica de papel em Embu.

- Publicidade -spot_img

6 Comentários

Assinar
Notificar-me
guest
6 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
clayvidson

E muito bom ,Sor q tem q estudar o impaquito ambiental que muito grande ,tem que procura um meio termo ……………..

Araguatinense apaixonada

Clayvidson, quem tem que estudar és tú criatura!Pra ver se melhora essa caligrafia,organizar melhor essas idéias,se não sabes o que dizer pois fica calado criatura!(SOR,IMPAQUITO, MEIO TERMO….) PARECE FALA DE DOIDA.

João Alberto

Só quem não conhece que pensa que esses destruídores do nosso cerrado vão trazer algo de bom. o pior já chegou; destruíção total de dos mais rico ecosistema do planeta. niguem come eucalipto, e serviço só escravo durante a plantação.

João Alberto

Só quem não conhece que pensa que esses destruídores do nosso cerrado vão trazer algo de bom. o pior já chegou; destruíção total de um dos mais rico ecosistema do planeta. niguem come eucalipto, e serviço só escravo durante a plantação.

Nero

Se usassem mesmo as areas degradadas seria uma boa idéia, mas essas empresas só querem saber do lucro fácil e com certeza irão destruir o que ainda resta das pequenas reservas de florestas e cerrado, que exisem em nossa região.

rodrigo

TEMOS AI UMA OTIMA OPORTUNIDADE!!!! RECEBER ESTA EMPRESA NA FARMACON, BASTA VONTADE POLITICA DA PREFEITURA DE ARAGUATINS E GOVERNO ESTADUAL! E SERIA MELHOR AINDA PARA A POPULACAO DE ARAGUATINS!!

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias