Enceram nesta terça-feira, 29, as colheitas do inquérito soroepidemiológico da Peste Suína Clássica (PSC). Os testes ocorreram em 11 municípios limítrofes aos estados que fazem parte da zona não livre da PSC. Também está sendo finalizado o monitoramento da doença em animais de granjas comerciais. O inquérito teve início no último dia 9.

A responsável técnica pelo Programa Estadual de Sanidade Suídea, Regina Gonçalves Barbosa, disse que os trabalhos de colheitas nos animais foram concluídos dentro do prazo previsto. “Durante estes 20 dias as equipes de campo estiveram nas propriedades realizando colheitas para a PSC e também monitorando as granjas comerciais. E embora tivéssemos um número alto de amostras foi possível realizar o trabalho dentro do calendário previsto pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)” destacou.

O próximo passo do inquérito é o envio das amostras para um laboratório oficial do Mapa que fará a análise e posteriormente o envio dos resultados aos estados que participam do inquérito, sendo eles: Tocantins, Acre, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Sergipe.

Participaram do inquérito os municípios de: Aguiarnópolis, Araguatins, Augustinópolis, Buriti, Esperantina, Itaguatins, Praia Norte, São Miguel, São Sebastião, Tocantinópolis e Xambioá.

PSC na pauta do Fórum

Com o objetivo de controlar a PSC em estados onde houve o surgimento da doença e proteger os estados limítrofes, o Fórum Nacional de Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa) reúne extraordinariamente nesta quinta-feira, 31, na sede da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), em Salvador (BA) para debater medidas de controle da doença.

O presidente da Agência de Defesa Agropecuaria do Tocantins (Adapec), Alberto Mendes da Rocha que representará o Estado na reunião, ressaltou que o encontro demonstra o compromisso dos órgãos de defesa, no controle da doença no país e com o segmento comercial de suínos que movimenta boa parte da economia dos estados. “Na reunião vamos também apresentar as ações de monitoramento da PSC que estamos realizando nas fronteiras do nosso estado,” pontuou Alberto.

Na pauta da reunião estão temas como: Epidemiologia da PSC; situação da doença no país; plano de erradicação da PSC; metodologia e resultados das forças tarefa que atuaram no controle da doença nos estados do Ceará, Piuaí e Alagoas; ações dos estados da zona livre limítrofes a zona não livre da PSC, caso do Tocantins e a elaboração de ata propositiva do Fonesa estabelecendo compromissos para o auxílio aos estados afetados ou sob risco.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.