O plantio de maracujá pelo método de enxertia é o carro-chefe e diferencial da propriedade do baiano Agostino Araújo, assentado que mora há 25 anos na PA Berrante de Ouro, Vicinal São Sebastião, município de Itupiranga, no sudeste paraense. Assistido pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), trabalha com as culturas do milho e mandioca, mas se especializou mesmo no plantio de maracujá.

Com a enxertia, o produtor junta as melhores características de duas plantas em uma só para ter um fruto de maior qualidade. O processo serve para unir as raízes fortes com copas produtivas. Com isso, as plantas enxertadas dão frutos mais cedo, pois a copa já não nasce na fase juvenil. As mudas enxertadas ficam cerca de 50 dias num viveiro recendo tratamento, para depois irem para o campo.

O plantio ocupa cerca de oito hectares da propriedade e o produtor conta com a ajuda da família, inclusive para fazer o processo de polinização das plantas – que é o ato da transferência de células reprodutivas masculinas (núcleos espermáticos) através dos grãos de pólen.

De acordo com Agostino Araújo, os técnicos visitam sua propriedade pelo menos duas vezes ao mês para prestar orientação técnica. “Graças a esse apoio, consigo manter uma produção de qualidade, isso garante uma boa distribuição para meus clientes”, explica.

A produção é comercializada na feira local e também para os municípios de Marabá, Altamira, e até Araguaína, no estado do Tocantins. “A demanda só cresce e, por isso, vou aumentar produção. Tenho oito hectares e quero aumentar em mais seis. Vou solicitar, também, o apoio da Emater para um novo Pronaf”.

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) é destinado ao fortalecimento das atividades desenvolvidas pelo agricultor familiar a partir do financiamento de atividades e serviços agropecuários e não agropecuários desenvolvidos em estabelecimento rural.

Na opinião do chefe local de Itupiranga, Rony Torquato, as vantagens de plantas enxertadas são: frutos maiores e mais resistência a pragas e doenças. “São cinco anos de acompanhamento, e a gente nota o crescimento do produtor Agostino. Serve de exemplo para outros agricultores da região que queiram investir na cultura do maracujá com o método de enxertia”. (Rodrigo Reis)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.