A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) defendeu nesta quarta-feira (11), em Plenário, a conscientização sobre a importância da adoção tardia, ou seja, a adoção de crianças com mais de 3 anos de idade.

Os problemas em torno desse tipo de adoção se resumem às preferências dos adotantes, disse a parlamentar. Das 46 mil famílias no cadastro de adoção, 83% desejam crianças menores de 6 anos. Por outro lado, das 9,6 mil crianças e adolescentes em abrigos, 68% têm mais de 6 anos, informou.

— E por quê? Porque a cultura diz, na cabeça das pessoas, que a criança mais velha vai dar trabalho, que ela não adaptou, que é uma criança que você não vai moldar. Mas nós precisamos mudar essa realidade no país, por que quem é que garante que um filho biológico vai se criar e se moldar à sua vontade, ao seu desejo? — analisou. (Agência Senado/Foto: Waldemir Barreto)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.