Desde janeiro, a Região Norte concentra os combustíveis mais caros do Brasil, de acordo com o levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Em maio, não foi diferente, os postos da região lideraram o ranking nacional, com destaque para o etanol, com o litro vendido à média de R$ 3,916, valor que chega a ser 20% superior ao litro vendido no Sudeste. Ao analisar a variação de preços para o combustível entre os Estados, a diferença chega a 24% nos postos da região.

“Ao analisar os dados do Norte no último mês, o etanol se destaca, mas a gasolina também apresentou variação de 6%, quando os valores são comparados à média da Região Sudeste. Se olharmos para o comportamento do preço entre os Estados, a diferença chega 16%; no Amapá, o litro do combustível foi vendido à média a R$ 4,381; e, no Acre, a R$ 5,090 – este foi o mais alto de todo o território nacional”, comenta o Diretor-Geral de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, Jean-Urbain Hubau (Jurb).

No recorte por Estado, os motoristas do Amazonas pagaram, pelo etanol mais barato, uma média de R$ 3,42, ante os R$ 4,25 do Acre. Já no Tocantins, foram registrados os menores valores médios do diesel comum e diesel S-10: R$ 3,62 e R$ 3,69, respectivamente. Os postos paraenses se destacaram pela alta de 3,3%% no preço médio da gasolina; no Estado, o litro passou de R$ 4,673 para R$ 4,83, em maio. Em Roraima e Rondônia, o combustível também avançou 3,6% e 2,9%, respectivamente.

No contexto nacional, mesmo diante das medidas de manutenção nos valores nas bombas, em maio, o diesel registrou o maior preço médio dos últimos 12 meses. Com o combustível vendido à média de R$ 3,822, o valor chega a ser 5% maior que o registrado nas bombas semanas antes da maior crise de abastecimento que afetou o País em 2018. No mesmo período do ano passado, o litro apresentava a média de R$ 3,65.

A gasolina, com média de R$ 4,704, apresentou variação de 2%, quando comparada ao valor identificado nos postos durante o pico da crise, que era de R$ 4,61. Já para o etanol, com o litro vendido à média de R$ 3,711, a variação chega a 26%, no comparativo com os R$ 2,93 do mapeamento feito pelo IPTL em 2018, durante os dias afetados pela falta de abastecimento.

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que traz grande índice de acerto, devido à quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras a fim de simplificar os processos diários.

Veja o comparativo por regiões:

Veja por estado na região Norte:

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.