Connect with us

Maranhão

Limpeza do Riacho Cacau em Imperatriz-MA melhora fluxo d’água e reduz alagamentos

Publicado

em

Limpeza do Riacho Cacau, Vila Redenção I, foi vistoriada pelo secretário municipal de Infraestrutura

A primeira etapa da limpeza e alargamento do leito do Riacho Cacau, no trecho da Avenida Pedro Neiva de Santana à Rua Marechal Rondon, Vila Redenção I, foi realizada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Sinfra. A intervenção melhora fluxo d’água, com intuito de evitar enchentes.

O secretário Francisco Pinheiro, acompanhado do adjunto, Inaldo Santos, e do coordenador de Obras, Joselito Sultepa, vistoriou andamento dos serviços, que contou com a segunda equipe de roço e recolhimento de entulhos. “A orientação do prefeito Assis Ramos é de acelerarmos o trabalho de limpeza, reduzindo os alagamentos nestas áreas atingidas pelos riachos e córregos que passam por Imperatriz” – reforçou.

A abertura da calha no local aumentou a vazão d’água e já evitou que “nas primeiras chuvas o bairro ficasse alagado, causando diversos transtornos aos moradores e motoristas, que todos os anos acumulavam prejuízos”. Ele enfatizou que a prefeitura disponibilizou o disque “Cata-treco”, coordenado pela Superintendência de Limpeza Pública, que vai até a casa do morador recolher pneus, eletrodomésticos, móveis e utensílios velhos, evitando que sejam descartados nos leitos dos riachos.

Maycon Jhones, técnico em Informática, reside há 15 anos na Rua João Lisboa, Vila Redenção II, afirmou que “é a primeira vez que a prefeitura executa um serviço de limpeza adequado, retirando grande quantidade de lixo e entulhos, além de fazer o alargamento e o aprofundamento da calha do Riacho Cacau”. (Gil Carvalho/Foto: Gil Carvalho)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

IMPERATRIZ: Novo decreto traz medidas mais rígidas de enfrentamento à Covid-19

Publicado

em

Em vigor a partir desta quarta-feira, 3, o Decreto nº 16/2021 da Prefeitura de Imperatriz traz medidas mais rígidas contra a proliferação da Covid-19 no município durante 30 dias. A fiscalização da força-tarefa para cobrar o cumprimento do decreto está acontecendo há mais de trinta dias e foi reforçada.

O decreto que entra em vigor mantém medidas do decreto anterior como o fechamento de bares e similares às 23h, sem música ao vivo e os estabelecimentos terão lotação máxima de 50%, conforme prevê alvará de prevenção e proteção contra incêndios emitido pelo  Corpo de Bombeiros e não poderão representar, em todo o caso, mais de 100 pessoas a titulo de lotação total.

Também está proibida a realização de todas as modalidades de esporte coletivo, como artes marciais, torneios e campeonatos em geral, incluindo jogos de “pelada”. A exceção será o Campeonato Maranhense de futebol, competição  que adota medidas preventivas próprias e específicas. Além disso, as aulas da pré-escola até o ensino superior, passando por cursos técnicos, pré-vestibulares, que antes poderiam ser da forma presencial passam a ser de forma remota para evitar aglomerações de pessoas.

Pela nova medida, bares, restaurantes e similares deverão respeitar o distanciamento de 2 metros entre as pessoas.

O secretario de municipal de Governo, Eduardo Soares, reforçou que não estão descartadas outras medidas mais rígidas nos próximos dias, dependendo do comportamento da população”.

A expectativa da Prefeitura é retirar milhares de pessoas de circulação nas ruas da cidade com a adoção do novo decreto.

“Considerando a a situação atual da pandemia em Imperatriz, Maranhão e todo o Brasil, e as recomendações do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde e demais órgãos da saúde, a Prefeitura de Imperatriz editou novo decreto restritivo restringindo todo tipo de ensino presencial, por exemplo, que passa a ser remoto e a Prefeitura, com essa medida vai tirar de circulação mais de 60 mil pessoas que vão deixar de ir para a escola”, pontuou Eduardo Soares, acrescentando que a fiscalização do cumprimento do decreto foi intensificada.

Confira a íntegra do decreto aqui.

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Defesa Civil prepara plano de ação para desabrigados pela cheia dos rios

Publicado

em

Devido às fortes chuvas que atingiram a região e a previsão de mais tempestades para a cidade, que a Prefeitura de Imperatriz, por meio da Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil, está com plano de ação pronto para ajudar a população no que for necessário em caso de inundação e desabrigados.

A ação conjunta com todos os órgãos do município propõe logística de abrigos e caminhões para deslocamento, visando também a prestação de serviços desde saúde, assistência médica, assistência social, e dependendo da situação, com ajuda de utensílios essenciais, entre outros. 

O superintendente  da Defesa Civil, Josiano Galvão, explica que a equipe da Defesa Civil encontra-se em alerta e já está em campo vistoriando alguns pontos da cidade, além de informar aos ribeirinhos a possibilidade de cheia do Rio Tocantins.

“Esse plano de ação visa principalmente diminuir os impactos que o período chuvoso pode causar a essas famílias, por isso estamos fazendo esse trabalho com os ribeirinhas, conversando com a população, além de oferecer esse esquema de prevenção em caso de enchente”, afirma Josiano.

A tendência, segundo o Centro Virtual Para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos Para o Sul da América do Sul, Alert – AS, é de chuvas intensas até o fim de semana para Imperatriz e região, com média de 30 e 60mm ou 50 e 100mm de chuva.

Em caso de dúvidas ou alguma emergência a Defesa está à disposição da população para atendê-los por meio do aplicativo Whatsapp pelo número (99) 99152-0832. (Islene Lima)

Continue lendo

Maranhão

IMPERATRIZ: Assis Ramos vai coordenar força-tarefa de municípios tocantinos para aquisição de vacinas

Publicado

em

Nesta quarta-feira, 03 de março, o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, em sua primeira ação como presidente da Associação de Municípios da Região Tocantina e Sul, Amirts, após eleito por unanimidade, coordenou reunião com demais membros da organização para estudar as possibilidades de ações conjuntas de contenção ao avanço do Novo Coronavírus na região. Dentre as medidas debatidas para minimizar os problemas ocasionados pela Pandemia, foi pautada a possibilidade da criação ou adesão de um consórcio entre os municípios com o intuito de adquirir vacinas contra a Covid-19.

Na reunião, foi levantada também a possibilidade de tentar buscar a vacina principalmente para os municípios pequenos, tanto com o governo Federal e Estadual, quanto com a ajuda da iniciativa privada. O prefeito Assis ramos destacou que com o aumento dos números de casos da Covid-19, a união de todos é urgente e indispensável. “O momento requer que tudo seja muito sumário. Os números deram uma escalada vertiginosa nesse período, e começamos a perceber que se não houver uma união entre nós para combater essa pandemia, se não estivermos em bloco, à gente não consegue diminuir esse problema”, ressalta.

Alessandra Belfort Braga, procuradora-geral do município de Imperatriz, explicou que para se realizar a compra das vacinas, os membros da Amirts possuem duas possibilidades, “podemos entrar na disputa da compra da vacina com a criação de um consórcio feito pelos membros da Amirts, ou podemos aderir a um consórcio que já está em andamento, realizado pela Frente Nacional de Prefeitos, FNP”. Alessandra Belfort destaca ainda que a adesão ao consórcio prevê que verbas privadas venham auxiliar na aquisição dessas vacinas, juntamente com verbas federais e municipais, através de rateio.

A procuradora-geral ressaltou a importância da adesão da Amirts ao consórcio. “É interessante que a compra seja realizada em bloco, porque como tem uma demanda muito grande de pedidos de vacinas, quanto mais municípios envolvidos e quanto maior o montante da compra, mais interessante será para os laboratórios produzirem as doses e cederem para o consórcio. O município isoladamente tem menos força de entrar na fila para realizar essa aquisição”.

O prefeito Assis Ramos reiterou que a medida é uma forma paliativa de lidar com a demora no recebimento das doses da vacina. “Vocês podem alegar que não tem vacina suficiente, e por isso está lento, mas acredito que se a gente entrar na fila, no momento em que essa oferta estiver em condições, a gente já ajuda o governo federal e estadual a aumentar a imunização. A solução é a vacina, essas medidas restritivas são só para amenizar a situação”.

Outro ponto debatido pelas autoridades reunidas foi à possibilidade de unificação dos decretos municipais. Assis Ramos explicou que, “A priori, em curto prazo, unificar decretos seria uma forma de combater a pandemia, pois, por exemplo, não adianta a gente fechar os bares em Imperatriz, se Ribamar Fiquene ou Riberãozinho está aberto. Então, precisamos pensar em quais pontos podemos unificar os nossos decretos, tendo em mente claro que cada cidade tem sua peculiaridade. Vai ter resistência, mas o momento requer, mais do que antes, que a gente vá de frente com o contraditório”.

Vilson Soares, prefeito de João Lisboa, destacou a importância do enrijecimento das medidas de combate a Covid-19. “Nesse cenário de pandemia, dramático e que pode ficar pior ainda, nós temos que tomar decisões sem nos preocuparmos com a repercussão que dá em alguns setores, porque depois, se eu tiver com alguém morrendo no hospital sem UTI e sem oxigênio, é o prefeito que é o culpado. Então não temos que ter medo de tomar decisões que sabemos que vão, de alguma forma, minimizar os efeitos dessa pandemia nos nossos municípios e na nossa região”.

Com relação à unificação dos decretos, Assis Ramos requisitou que os demais prefeitos enviem os decretos vigentes em seus municípios para que a procuradoria-geral analise quais pontos podem ser mesclados e o que pode ser melhorado, visando o combate à Covid-19. A Prefeitura de imperatriz colocou a Procuradoria Geral do Município à disposição para auxiliar as demais cidades para que, em uma nova reunião, um decreto unificado seja votado pelos membros da Amirts. No que diz respeito à compra das vacinas, os prefeitos têm até o dia 05 de março para enviarem a documentação necessária para a adesão ao consórcio da FNP. (Rafael Pestana / Foto: Patrícia Araújo)

Continue lendo
publicidade Bronze