- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 06 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

LUZINÓPOLIS: Trabalhadores Sem Terra acampam as margens da Transamazônica

Mais Lidas

Após reunião com a superintendência regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), as famílias ligadas à Via Campesina que ocupavam a unidade do órgão em Araguaína, a 400 quilômetros de Palmas, Norte do Tocantins, montaram nesta sexta-feira, 2, acampamento às margens da rodovia Transamazônica, em Luzinópolis.

Já a unidade de Araguatins, continua ocupada por famílias ligadas o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), pelo menos até a próxima terça-feira (6), quando deve acontecer uma reunião entre as lideranças e o superintendente regional do órgão no Tocantins, Roberval Gomes da Silva.

O acampamento em Luzinópolis, segundo Cirineu Rocha, coordenador do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), é formado principalmente por famílias que perderam suas terras quando da formação do lago da Usina Hidroelétrica (UHE) de Estreito, construída na divisa do Tocantins com o Maranhão. (Jornal do Tocantins)

- Publicidade -spot_img

1 Comentário

Assinar
Notificar-me
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
José Augusto Dionízio

PROGRESSO COM RETROCESSO – enquanto o capital econômico impõe sua força brutal na busca do progresso global, pequenos grupos sociais são ameaçados de extinção, não raramente expulsos das suas moradias e regiões e sendo obrigados a buscarem refugios nas sombras do INCRA que lamentavelmente também apresenta características semelhantes aos capitalistas opressores, pois uma reforma agrária demente não atende a demanda daqueles que estão ao relento e sem reconhecimeto social humano.

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias