Connect with us

Maranhão

MA deve ser reconhecido em agosto como zona livre da aftosa

Publicado

em

O Maranhão está bem próximo de ser reconhecido nacionalmente como zona livre de febre aftosa com vacinação pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esta semana, em Brasília, o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo, recebeu do ministro Antônio Andrade a confirmação de que a portaria ministerial que elevará a classificação sanitária do estado já está pronta e deve ser assinada no mês de agosto, em solenidade a ser realizada em São Luís.

A confirmação coincidiu com a conclusão do balanço da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa no estado, que foi realizada de 1º de maio a 10 de junho e imunizou mais de 7,2 milhões de cabeças de bovinos e bubalinos, nos 217 municípios maranhenses, registrando uma cobertura vacinal de 96,06% do rebanho local.

“O ministro Antônio Andrade reconheceu o empenho do Maranhão em elevar sua classificação sanitária, que permanece no status de médio risco desde 2004, mesmo não tendo sido registrado foco da doença em nenhum município maranhense desde o ano 2001. O reconhecimento do estado como zona livre é uma meta de governo que está próxima de ser cumprida e elevará também a pecuária maranhense a um novo e próspero ciclo de desenvolvimento, visto que temos o 2º maior rebanho bovino do Nordeste e um dos únicos com vocação para corte ainda não reconhecidos como zona livre de febre aftosa”, declarou o secretário Cláudio Azevedo.

Melhores resultados

O relatório final que aponta o balanço da primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa em 2013 trouxe ainda outras informações a respeito da pecuária maranhense, além da manutenção da média recorde de cobertura vacinal, que desde 2011 tem se mantido acima de 90% – os melhores resultados dos últimos 10 anos de campanhas oficiais.

“Essa foi a última campanha de vacinação antes do reconhecimento nacional do estado como zona livre de febre aftosa com vacinação, e o resultado nos surpreendeu, pois foi um trabalho difícil. Tivemos dificuldade de divulgação da campanha nas áreas mais remotas do estado, de acesso dos criadores às vacinas, e até mesmo de defasagem no número de doses de vacinadas liberadas pelo Ministério para comercialização no estado, o que nos obrigou a prorrogar o prazo oficial de vacinação – de 1º a 31 de maio – por mais 10 dias”, ressaltou o diretor geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão, Fernando Mendonça Lima.

Segundo o levantamento da Aged, o rebanho maranhense de bovinos e bubalinos, que era de 7.480.370 de cabeças no segundo semestre de 2012, sofreu uma pequena queda de 3,5%, contabilizando no primeiro semestre deste ano 7.212.498 de cabeças. Já o rebanho leiteiro cresceu 7,7% nesse primeiro semestre, aumentando de 797.145 para 863.871 cabeças. O número de propriedades que exploram a pecuária bovina ou bubalina, que em 2012 era de 81.747, diminui para 74.997 em 2013. As regionais de Açailândia, Itapecuru e São Luís destacaram-se por alcançarem mais de 99% de cobertura vacinal. A região de Imperatriz, que concentra a maior parte do rebanho comercial maranhense chegou bem perto registrando um índice de 98,84% de cobertura vacinal.

“Essas baixas no rebanho e no número de propriedades ainda são reflexos da grave estiagem que acometeu os estados nordestinos no ano passado e no início deste ano. O Maranhão foi um dos estados a registrar menor índice de perdas no rebanho”, justificou Fernando Lima.

O diretor informa ainda que desde o dia 18 de junho, quando encerrou o prazo para que os criadores prestassem contas da imunização dos rebanhos, as equipes de fiscais agropecuários da Aged iniciaram o trabalho de busca de inadimplentes, a fim de garantir a complementação da cobertura vacinal nos 295.902 animais que não tiveram sua imunização comprovada nos escritórios da agência agropecuária. Os criadores que não vacinaram o rebanho estão sujeitos a multa de R$ 200,00, mais R$ 1,00 por cabeça de animal não vacinado. Quem vacinou o rebanho, mas não compareceu dentro do prazo oficial a um escritório da Aged para comprovar a vacinação também será multado em R$ 200,00.

Além disso, os animais não vacinados, ou que tenham sua vacinação pendente junto à AGED não poderão ser transportados fora dos limites da propriedade rural, visto que o criador fica impossibilitado de receber as GTAs (guias de trânsito animal), emitidas pela Aged, que permitem que os animais circulem pelo estado.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

IMPERATRIZ: Pregão e Sistema de Registro de Preços são regulamentados na Câmara

Publicado

em

Foi votada em sessão extraordinária nesta quarta, 20, a Regulamentação do Pregão e do Sistema de Registro de Preços na Câmara Municipal de Imperatriz para aquisição de bens e serviços comuns, na modalidade eletrônica. A iniciativa é da nova Mesa Diretora e visa uma grande economia aos cofres públicos, assim que o sistema estiver devidamente implantado. 

O novo sistema garantirá maior celeridade, competitividade, transparência, publicidade de todos os atos, impessoalidade, moralidade e eficiência. O presidente Alberto Sousa (PDT) entende que utilizando o pregão, a quantidade e a diversidade dos fornecedores passam a ser maiores, os lances mais ágeis, o que vai resultar em relevante economia. A medida também segue recomendação do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) e do Ministério Público.  

Pregão é a modalidade de licitação de menor preço. Quem disputa o fornecimento de bens e prestação de serviços comuns, poderá vencer através de propostas e lances sucessivos em sessão pública. O processo poderá ocorrer tanto na presença física dos participantes como por meio eletrônico, através das muitas das ações desenvolvidas pelo sistema. 

Desta forma não há identificação dos proponentes até que seja feita a aceitação das propostas melhores classificadas, por menores preços e qualidade de serviços, e assim coibir direcionamentos. Permite também a participação de empresas de qualquer local do país, através da internet, o que incentiva a competitividade. 

Os dois projetos tiveram votos favoráveis da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), com parecer positivo do relator Fábio Hernandez (PP), e foram aprovados por unanimidade em votação aberta pelos vereadores. 

O Vereador Alex Silva (PL) aproveitou a oportunidade para afirmar que a iniciativa da Mesa Diretora, mostra a transparência e a credibilidade que a Câmara tem buscado diante da sociedade de Imperatriz e que este será o objetivo principal durante todo o mandato, com muita lisura na administração do dinheiro público. 

Continue lendo

Maranhão

Imperatriz recebe 3.260 doses da CoronaVac e Açailândia 774

Publicado

em

A aplicação das primeiras 3.260 doses que chegaram na tarde desta terça-feira, 19, contemplam trabalhadores da saúde da linha de frente de combate à Covid-19 e idosos institucionalizados (que vivem em abrigos – Lar São Francisco, Vila João XXIII e Casa do Idoso Renascer). Vacinação ocorrerá por etapas, de acordo com os grupos prioritários.

A aplicação dessa primeira etapa será feita nas próprias instituições de saúde. Nesta quarta-feira, 20, serão vacinados servidores do Hospital Municipal de Campanha, UPA São José e UPA Estadual; na quinta-feira: alas Covid-19 do Socorrão, Socorrinho e Materno Infantil; sexta-feira: Samu e Macrorregional. Cronograma segue durante a próxima semana (consultar Plano Municipal de Vacinação no site da Prefeitura).

O primeiro vacinado na cidade foi o enfermeiro da Unidade de Pronto Atendimento, UPA São José, Emanuel Braga Bastos. Hipertenso, diabético e com histórico de AVC, dois marca passos e Covid -19 com 50% do pulmão comprometido, ele deixa um recado à população: “Estou muito feliz. Essa vacina é a esperança da volta do abraço no filho, na esposa e da rotina de trabalho que tínhamos antes da pandemia.  As pessoas não precisam ter medo, pois essa é a chance de ter nossa vida de volta”.

Na abertura da campanha, além de Emanuel, mais nove pessoas foram imunizadas: Mário Gomes Pereira, técnico de enfermagem do Hospital de Campanha de Imperatriz; Aldicleya Lima Luz, médica do HM Infantil; Francisco Soares de Souza, motorista de ambulância do Hospital Unimed; Maria Lucineide Vieira Silva, técnica de enfermagem do Hospital Santa Mônica; Andrea Nappo, infectologista, que atuou na construção dos planos de estratégia para atendimento da Covid -19 em Imperatriz e servidora do Macrorregional; Roncy Cleber Costa Pereira, servidor do Materno Infantil; Idelte Costa Falcão, técnica de enfermagem da UPA Estadual e a indígena Sônia Guajajara.

Açailândia

A Prefeitura de Açailândia recebeu, nesta terça-feira, 19, as primeiras doses da vacina contra a Covid-19. O ato de entrega foi na sede da Regional de Saúde do Estado.⠀

O secretário municipal de Saúde, Linderval de Moura, confirmou o início da vacinação, nesta quarta-feira, 20, no Hospital Municipal. ⠀

As 774 doses da vacina contra a COVID, vacinaram o público alvo da primeira etapa, que será os profissionais de saúde e idosos acima de 60 anos, que estão em instituições de longa permanência. 

Continue lendo

Maranhão

Maranhão dá início à vacinação contra coronavírus no estado

Publicado

em

O Maranhão deu início na noite desta segunda-feira (18) à vacinação contra o coronavírus no estado. Os primeiros vacinados foram cinco pessoas recebidas pelo governador Flávio Dino no Palácio dos Leões.

A técnica em enfermagem Egle Martins foi a primeira, em meio a muitos aplausos. Ela relembrou os momentos difíceis e sofridos, mas acrescentou ser “gratificante ter a oportunidade de ajudar o próximo, que é o bem maior que temos que fazer”.

Para Flávio Dino, esta “é uma grandiosa conquista, um grande passo, mesmo que falte muito. Mesmo que os raios de sol ainda despontem muito tênues no horizonte, eles existem”.

“Demos um grande passo. Tenho um oásis de alegria num imenso vale de lágrimas”, acrescentou o governador, fazendo uma referência às vítimas recentes em Manaus e ressaltando a importância do SUS (Sistema Único de Saúde).

Emocionado, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, que foi buscar a vacina em São Paulo, agradeceu a todos os profissionais da saúde “que nos permitiram chegar aqui”. Para ele, a vacina “é um mecanismo seguro e eficaz que vai nos permitir vencer a doença”.

As vacinas foram produzidas pelo Instituto Butantan e enviadas ao Maranhão pelo Ministério da Saúde. Foram enviadas 164.240 doses nesta etapa, sendo duas para cada pessoa.

Para continuar existindo

As outras quatro pessoas vacinadas durante o evento no Palácio dos Leões foram a médica infectologista Conceição de Maria Pedroso e Silva de Azevedo, a enfermeira Sônia Maria Carvalho de Matos, o fisioterapeuta Henrique Lott Carvalho Novaes Sobrinho e a indígena da Aldeia Arariboia Fabiana Guajajara.

Tanto os profissionais da saúde quanto os indígenas estão incluídos nesta primeira etapa de vacinação.

A indígena Fabiana Guajajara cantou uma música no dialeto tupi em referência ao momento da imunização. “Vacinar é preciso para continuar existindo”, afirmou.

“A gente vê o SUS se agigantando, mostrando que é capaz para absorver todo esse atendimento. Hoje eu tenho um respeito muito maior pelo SUS”, disse a médica infectologista Conceição Pedroso.

Para o fisioterapeuta Henrique Lott, “um fio de esperança vem com essa vacina, o que vem agregar ainda mais a tantas lutas que nós, profissionais da saúde, fizemos. E valorizar os entes queridos que já perderam as vidas por causa do coronavírus”.

A enfermeira Sônia Matos ressalta que a vacina “é de suma importância” após tantas perdas de vidas. “Peço para todos se vacinarem”.

A distribuição

As primeiras vacinas chegaram ao Maranhão na noite desta segunda por avião, que pousou no aeroporto internacional de São Luís

Agora, as doses serão transportadas para todos os municípios do Maranhão por três aviões, três helicópteros e 30 automóveis, a partir das 7h desta terça-feira (19).

O responsável pela distribuição dentro do estado é o Governo do Maranhão. Aos municípios cabe aplicar as vacinas. E o governo federal é o responsável por fornecer a vacina.

A estimativa é que a vacina esteja em todas as cidades do Maranhão até quarta-feira (20). São 2.124 salas de vacinação em todo o estado, sendo possível ampliar para 2.500.

Todo o transporte é acompanhado de escolta policial. A movimentação acontece em conjunto com o Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil e o Centro Tático Aéreo.

Públicos

Nesta primeira etapa, são vacinados os grupos determinados pelo Ministério da Saúde. Existem três fases nesta etapa. Na primeira fase, são trabalhadores de saúde; pessoas de 75 anos ou mais; pessoas de 60 anos ou mais em asilos; população em situação de rua; população indígena, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas.

Na segunda fase, são os idosos de 60 a 74 anos. Na terceira fase, são pessoas com diabetes mellitus; hipertensão arterial grave; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; e obesidade grave, com Índice de Massa Corporal igual ou maior que 40 (IMC≥40).

A estimativa é de 1,75 milhão de pessoas nesta primeira etapa, ainda sem data prevista para terminar. Os demais serão vacinados após essa fase, em cronograma também a ser definido pelo Ministério da Saúde.

Agulhas e seringas

Desde o fim de semana, o Governo Maranhão também está entregando 4 milhões de seringas e agulhas para os municípios usarem na primeira fase da vacinação. E uma nova leva está sendo comprada.

“A prefeitura de São Luís já nos pediu no domingo que entregássemos seringas, agulhas e luvas. Faremos isso para a prefeitura de São Luís e todas aquelas que estão nos pedindo”, afirmou o governador.

Contraindicações

A vacina não é indicada para pessoas com menos de 18 anos, gestantes e quem tenha reação anafilática confirmada a qualquer componente da vacina.

Prevenção

A máscara, o distanciamento e a higiene das mãos continuam fundamentais para o combate à doença. Isso tudo só será deixado de lado quando toda a população estiver vacinada.

Continue lendo
publicidade Bronze