Connect with us

Maranhão

MA é o sexto no ranking dos estados que realizaram maior número de conferências em escolas

Publicado

em

Com a realização de 1.160 conferências em escolas envolvendo mais de 26 mil alunos do ensino fundamental do 6º ao 9º ano, incluindo as escolas indígenas, quilombolas e assentamentos rurais, o Maranhão foi um dos estados que conseguiram maior mobilização da comunidade estudantil para a IV Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente.

Segundo a Coordenação Geral de Educação Ambiental do Ministério da Educação e da Diretoria de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, promotores da conferência, o estado ocupa a 6ª posição no ranking dentre os que mais realizaram conferências em escolas. Os eventos integram a primeira etapa da Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, com a temática “Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis”.

Coordenado no Maranhão pelas secretarias de Estado de Educação (Seduc) e do Meio Ambiente (Sema), órgãos gestores da Política Estadual de Educação Ambiental, o processo inclui, além das conferências em escolas, as conferências regionais, que aconteceram até esta sexta-feira (11), em todas as regiões do estado. Os projetos de ação selecionados nessas etapas foram indicados para a conferência estadual, que será realizada de 23 a 25 deste mês, em São Luís.

“Superamos todos os números da edição anterior. Nossa expectativa era a participação de cerca de 500 escolas e esse número mais que dobrou. Isso demonstra o compromisso das nossas escolas na busca de se tornarem sustentáveis frente aos fenômenos que as mudanças climáticas acarretam, no intuito de construir, com os estudantes e seus familiares, formas de prevenção e adaptação aos efeitos das mudanças climáticas em suas vidas e nas suas comunidades”, destacou a secretária adjunta de Projetos Especiais da Secretaria de Educação (Sape/Seduc), Conceição Andrade.

Ela acrescentou que a Seduc, está trabalhando conjuntamente com a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) para garantir ampla participação do público em todas as etapas da conferência. “Com a realização dessa mobilização nas escolas, esperamos transformá-las em lugares de aprendizagem para a sustentabilidade socioambiental e fortalecimento das políticas públicas em defesa da vida”, revelou a secretária adjunta.

 

COM-VIDAS

Nas conferências anteriores, as escolas exercitaram sua capacidade de unir os desafios globais aos locais, definindo responsabilidades pessoais e coletivas para enfrentá-las, como explica André Leite Xavier, supervisor de Gestão e Monitoramento de Programas Especiais da Seduc.

“As comunidades escolares de todo o Estado assumiram responsabilidades em relação aos diversos temas ligados ao cotidiano, como o cuidado com as águas, os seres vivos, os alimentos, a energia, as mudanças climáticas. Como resultado dessas conferências, surgiram as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (COM-VIDAS), garantidas pela Lei nº 9.279/2010 que instituiu a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema Estadual de Educação Ambiental do Maranhão”, detalhou André Leite.

De acordo com Lucy Mary Seguins Sotão, da coordenação da conferência no Maranhão, neste ano as escolas são convidadas e incentivadas a procurar respostas para as mudanças socioambientais globais, com um duplo desafio: “Os gestores e professores também são protagonistas desse processo, inserindo as temáticas em suas aulas, buscando interfaces entre as disciplinas e em espaços não disciplinares. O exercício coletivo de pensar novos hábitos e culturas na escola inspira a gestão a modificar práticas enraizadas”, enfatizou.

A conferência auxiliará a COM-VIDA de cada escola a implementar os currículos, a gestão democrática e a modificar os espaços construídos, tornando-os coerentes com as premissas da sustentabilidade socioambiental.

Cidadania ambiental

A Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (Cnijma), realizada pelo Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental (MEC/MMA), é um instrumento voltado para o fortalecimento da cidadania ambiental nas escolas e nas comunidades a partir de uma educação crítica, participativa, democrática e transformadora. Trata-se de um processo dinâmico de encontros e diálogos nas escolas, para debater temas propostos, deliberar coletivamente e escolher os representantes que levarão as ideias para as etapas sucessivas.

A Cnijma pretende fornecer elementos para o debate nas escolas e propõe questões, tais como: o que é uma escola sustentável; quais valores, habilidades e atitudes são necessárias para que a escola contribua para melhorar a qualidade de vida presente e futuras gerações; como transformar a escola em um espaço vivo, acolhedor e motivador de ações e atitudes sintonizadas com a sustentabilidade socioambiental; como as edificações escolares podem estimular a inovação, a aprendizagem e o cuidado dos seres humanos entre si e com o meio em que vivem.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

IMPERATRIZ: Homem sem uma perna é preso suspeito de furtar loja

Publicado

em

Imagens de segurança mostram um homem com deficiência física soltando as muletas e escalando apenas com uma perna um poste para entrar em um estabelecimento comercial de Imperatriz nessa sexta-feira (22).

De acordo com informações da polícia, o homem teria quebrado o forro de uma loja localizada no Centro da cidade e furtado dinheiro. Os agentes policiais conseguiram identificar o suspeito, que foi apresentado no Plantão Central de Imperatriz.

Ainda segundo a polícia, o homem é apontado como autor de dois furtos que aconteceram na semana passada. Após a prisão, ele foi ouvido e liberado por estar fora do flagrante.

Continue lendo

Maranhão

Saiba quantas doses cada município do Maranhão vai receber da AstraZeneca

Publicado

em

O Governo do Maranhão recebeu, no início da tarde deste domingo (24), o primeiro lote da vacina de Oxford/AstraZeneca enviado pelo Ministério da Saúde. São 48.500 doses que serão distribuídas por todo o estado, à medida que os municípios alcançarem 70% de doses aplicadas da CoronaVac.

Clique AQUI e saiba quantas doses cada município do Maranhão vai receber neste primeiro lote.

Continue lendo

Maranhão

Governo do Maranhão recebe primeiro lote da vacina de AstraZeneca com 48.500 doses

Publicado

em

O Governo do Maranhão recebeu, no início da tarde deste domingo (24), o primeiro lote da vacina de Oxford/AstraZeneca enviado pelo Ministério da Saúde. São 48.500 doses que serão distribuídas por todo o estado, à medida que os municípios alcançarem 70% de doses aplicadas da CoronaVac.

Com a chegada do novo lote de vacinas, o governador Flávio Dino anunciou que será acrescentada uma nova diretriz ao Plano Estadual de Vacinação do Maranhão. “Além dos profissionais de saúde, estamos orientando aos municípios que, com a chegada da nova remessa de vacinas, haja disponibilização também para os pacientes que estão em tratamento de radioterapia, quimioterapia e hemodiálise, mediante apresentação de laudo e autorização médica, pois são pacientes que podem ter um caso mais grave da Covid-19 e estão submetidos compulsoriamente a uma rotina hospitalar”, afirmou o governador.

O envio de novos lotes de vacinas aos municípios será condicionado ao lançamento no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), do Ministério da Saúde, de pelo menos 70% das vacinas aplicadas na etapa anterior, ou de apresentação de justificativa para eventual não cumprimento da meta. Até o momento, 27 municípios maranhenses atingiram a meta de 70% de aplicação da Coronavac.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a medida é uma orientação do Ministério da Saúde. “A ideia é que não haja duas vacinas no mesmo local, ninguém terá opção de escolher a vacina e as pessoas simplesmente serão vacinadas. E diferente da CoronaVac, não iremos fazer a reserva das vacinas da AstraZeneca, como a aplicação dela é só daqui a 120 dias vamos usar todas as doses já nesta primeira etapa, então, as 48.500 doses irão imunizar 48.500 pessoas”, destacou o secretário Carlos Lula.

Mais doses

A Anvisa aprovou, na última sexta-feira (22), a distribuição de 4,8 milhões de doses da CoronaVac, porém, o Butantan dispõe de apenas 900 mil doses prontas. Dessa forma, o Maranhão deve receber aproximadamente mais 10 mil doses nos próximos dias do Ministério da Saúde. A chegada das novas doses trará mais celeridade ao processo de imunização contra a Covid-19 no Maranhão. (Foto: Julyane Galvão)

Continue lendo
publicidade Bronze