Connect with us

Pará

MARABÁ: Comércio registra reação positiva após flexibilização

Publicado

em

Após as flexibilizações, por meio de decretos no comércio em geral no município, e ainda o avanço na vacinação da população em geral, que agora vai imunizar pessoas a partir de 30 anos, o cenário começa a mostrar sinais positivos na economia local. A expectativa é que no 2º semestre aconteça a retomada de empregos, com contratações e melhorias, uma vez que a região sudeste paraense possui alto potencial mineral, do agronegócio, logística e, ainda, obras nos quatros cantos da cidade, promovidas pela prefeitura de Marabá.

Walmor Costa, chefe de gabinete da prefeitura, lembra que todos os atos e ações do prefeito Tião Miranda foram pensados com responsabilidade, a fim de não atingir a mão de obra local e, consequentemente, ter problemas com desemprego e pobreza, uma vez que esses índices já se mostram alarmantes em todo Brasil. “Essas ações foram feitas em cima de dados, diariamente monitorados pela vigilância sanitária, no sentido de como estava a pandemia do município. O número de internações, UTI, UCE ou em leitos hospitalares comuns. Em cima disso, todos os decretos foram pautados. Por exemplo, quando flexibilizamos, tinha vagas nas UTI’s e UCE’s, quando a ação foi mais criteriosa com restrição e fechamento, foi baseada em ocupação e leitos hospitalares”, explica Walmor Costa.

No ápice da pandemia, foi montado o Comitê de enfrentamento à covid-19, com a participação de secretarias locais e entidades da sociedade civil. “Hoje você olha pro horizonte e enxerga algo mais palpável, com a vacinação, por exemplo. Você enxerga emprego e comércio melhorando, uma luz no fim do túnel”, conta Walmor Costa, acrescentando que, quando a prefeitura começa a fazer obra e paga o salário em dia, faz girar o comércio da cidade, e que quanto mais pessoas vacinarem, mais rápido vamos passar por esse momento. “Ainda depende muito da gente”, alerta.


O presidente da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá), João Tatagiba, ressalta que os 102 dias de fechamento do comércio durante o ano passado, devido à pandemia, fragilizou o comércio. “No 2º semestre veio uma recuperação brusca da economia, em função dessa recuperação estamos colhendo as consequências agora, porque provocou uma alta de preços, principalmente industrializados. Infelizmente, a economia não deu continuidade a esse crescimento que iniciou no segundo semestre do ano passado, porque já o início desse ano, a pandemia voltou mais duradora e com vigor, portanto a economia ainda está fragilizada”, relembra, destacando sinais de reações positivas no comércio.

“Mas, agora passamos por um momento de arrefecimento da pandemia, ela está tendo reações no comércio, mas ainda tímida. Esperamos que para esse segundo semestre tenhamos recuperação mais acentuada, haja vista que estamos numa região que tem atividade econômica muito forte. Acreditamos que os bons ventos que contribuem para o crescimento da economia cheguem o mais rápido possível”, almeja João Tatagiba.

Ricardo Pugliese, secretário da Sicom (Secretaria Municipal de Mineração, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia), destaca que durante o período mais crítico da pandemia, o prefeito decretou algumas ações de amparo para pessoas que trabalham em setores como bares e restaurantes, que diz respeito ao trabalho, emprego e renda, todavia, ele sente ainda no segmento de hotelaria um efeito maior da pandemia.

Novas empresas e empreendimentos

O titular da Sicom destacou a importância da Sala do Empreendedor, considerada referência no Pará pelo êxito no auxílio para abertura de empresas. Marabá abre em torno de 50 empresas por dia, de diversos segmentos e os números de MEI’s (Microempreendedor Individual) ainda é maior. Plugliese calcula que em 2019 foram aberta 847 empresas, em 2020 esse número alcançou mil empresas e neste primeiro semestre de 2021 já somam mais de mil empresas abertas no município.

Esperança

Griego Duarte, empresário do ramo de alimentação, é proprietário de um restaurante no núcleo Cidade Nova, declara que a retomada da economia, devido aos impactos da pandemia, ainda está sendo tímida, com os empregos ainda fixos. “O empresário olha sempre para frente, com olhar otimista, mas dentro desse olhar você tem de saber onde vai pisar. No ramo de alimentação sofremos com a pandemia, estamos tendo aumento de preços dos insumos na cadeia de produção muito alta, sobretudo proteínas, secos e molhados”, conta.

Para o setor de restaurantes duas datas são consideradas como natal, Dia das Mães (segundo domingo de maio) e Dia dos Namorados (12 de junho). “Durante o ano passado essas datas não foram exploradas, porque ficamos 102 fechados, funcionando delivery. Esse ano já deu para funcionar, mas com redução de 50%. Agora, a prefeitura, junto ao governo do estado, flexibilizou. A vacinação está evoluindo bem e já começamos a ter um pouco de esperança para retornar as atividades 100%”, vislumbra.

Ormando Alves de Lima é comerciante há 15 anos na Marabá Pioneira, ele viu na crise uma oportunidade para expansão do negócio. Antes trabalhava na feira e agora já tem a própria loja física, com oportunidade para empregar pessoas. “Com a flexibilização melhorou o comércio, o povo está andando na rua, as atividades voltando ao normal e com isso, o comércio melhora as vendas. Acredito que daqui pra frente os empregos vão voltar gradativamente. Com isso minhas vendas vêm melhorando, expandi da feira para a loja, porque sentia necessidade de crescimento, na feira era mais difícil crescer. Aqui na loja posso oferecer emprego para cidade”, comemora. (Emilly Coelho e Ronaldo Palheta / Fotos: Paulo Sérgio)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

MARABÁ: Trabalho de urbanização e paisagismo são intensificados nos núcleos da cidade

Publicado

em

A Prefeitura de Marabá trabalha em projetos de urbanização e paisagismo em todos os núcleos da cidade, que passa por amplos processos de mudança nos espaços públicos, como praças, ruas, avenidas, orlas e rodovias.

As equipes de paisagismo da Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop) trabalharam no canteiro da Folha 29, próximo ao Supermercado Colina. O local receberá gramado e mudas, oriundas da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

Do outro lado da cidade, outra equipe trabalhava na pintura da pista de corrida no Residencial Tiradentes. Pequenos detalhes que mantém a cidade mais atrativa para os moradores e visitantes. Recentemente também foram feitos os taludes nos canteiros das Folhas 32 e 33, canteiro central no KM 07 e  praças nas Folhas 28 e 12. 

A Rodovia Transamazônica também recebeu um amplo projeto de paisagismo, do semáforo até às proximidades do túnel de acesso para Marabá Pioneira. Foram utilizados no projeto 2.715m² (Dois mil, setecentos e quinze metros quadrados) de grama do tipo esmeralda.

Os serviços também se estendem até a zona rural. No mês passado foram realizados serviços na Vila São José,  que havia passado por pavimentação asfáltica na via principal e recebeu a colocação de gramas nos canteiros.

As obras de revitalização na comunidade mudaram a entrada da Vila. As mudanças fazem parte de um amplo projeto de urbanização com drenagem, terraplanagem e pavimentação. Revitalização da academia ao ar livre e jardinagem.

Os serviços de urbanização também podem ser visto em outras grandes obras realizadas pela prefeitura, como a extensão da Orla de Marabá e a Orla do Amapá. Os locais passam por serviço de drenagem, colocação de postes de iluminação, academia ao ar livre e paisagismo.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Árvore de natal com 4 mil metros de led vira atração de final de ano

Publicado

em

Inaugurada na semana passada, com previsão de funcionamento até o fim do mês, as noites marabaenses estão mais iluminadas na entrada da Marabá Pioneira. As luzes da árvore de natal foram acesas pela Prefeitura de Marabá e a árvore já virou a principal atração natalina da cidade. Quem passa pelo local não resiste em registrar o monumento de 30 metros de altura decorado com luzes coloridas. São mais de 4 mil metros de iluminação de led, que esse ano traz de novidade a fita vermelha e a estrela do topo com detalhes em azul. 

Gabriela Fidelis foi uma das primeiras pessoas a registrar a árvore de natal, após o acendimento oficial das luzes. A digital influencer aproveitou a decoração para produzir conteúdo para as redes sociais. “Acho encantador, o natal é uma época muito linda que a gente espera muita luz, muita cor, isso é muito importante para muitas pessoas porque traz o espírito de natal, tanto para gente, para nossas famílias e pra nossa cidade”, observa.

Erina de Brito e o marido Rafael Bocacio também marcaram presença com direito aos cliques. 

“A cidade está de parabéns em relação a outras cidades, Marabá se destacou bastante. Eu viajo bastante no estado e ela se sobressaiu. Descemos pra registrar e vamos botar no hashtag”, comentou sorridente a auxiliar administrativa.  


“Tá muito bonita a árvore! Vamos tirar uma fotinha pra registrar. No ano passado só passamos mesmo, mas esse ano tá mais bonita”, observou o técnico de informática. 

Izaias Ferreira levou a mulher e os filhos para ver de perto as luzes de natal. “ mais bonita esse ano. Já andei tudo por aí,  tudo muito lindo. Passamos por aqui já com o propósito de parar pra tirar foto. É importante, mais um atrativo para a cidade”, enfatizou o auxiliar de serviços gerais.

A árvore de natal gigante faz parte do projeto de decoração natalina da cidade implantado em pontos estratégicos. As luzes podem ser vistas na Orla da Cidade, Praça Duque de Caxias, Avenida Antônio Maia, na Ponte do Tocantins seguindo pela rodovia Transamazônica até às proximidades do aeroporto, no terminal rodoviário do km 06 e prédios públicos como a Prefeitura de Marabá, dentre outros locais. (Com informações de Leydiane Silva e Fotos: Sérgio Barros)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Aumento de casos e internações Covid voltam a preocupar e MP cobra medidas

Publicado

em

A Promotoria de Justiça de Direitos Constitucionais Fundamentais de Marabá, expediu recomendações à Prefeitura Municipal de Marabá, Secretária Municipal de Saúde e ao Governo do Estado. As recomendações orientam acerca das medidas sanitárias de segurança contra a covid-19.

Ao Município foi recomendado que realizem reunião com o comitê covid, para reavaliarem as medidas de prevenção e controle da infecção, considerando o aumento exponencial de casos e ocupação hospitalar em Marabá. Além disso, que façam estudo epidemiológico atual, ampliem a testagem da doença, revisem a estratégia de vacinação, descentralizando e ampliando os pontos de vacinação, intensifiquem as medidas de prevenção, entre outras providências.

Já ao governo do Estado, recomendou-se que reavaliem o embandeiramento da região e as medidas necessárias para contenção do vírus. Assim como, realizem estudo epidemiológico com emissão de nota técnica a respeito do aumento dos casos de covid-19 na região, garantam a estruturação do sistema de saúde da região, com aquisição de equipamentos e insumos. Além de, atuar em conjunto com os municípios da região com baixa cobertura vacinal na coordenação das estratégias de vacinação.


Ambos devem informar semanalmente ao Ministério Público a respeito das providências tomadas.

As recomendações assinadas pela promotora de Justiça de Marabá Mayanna Queiroz foram expedidas na última sexta-feira (3). A Promotoria considerou que, o município de Marabá vacinou somente 25,08% da população estimada, incluindo as duas doses, que houve um aumento exponencial da contaminação por covid-19 na região de Carajás, causando lotação do Hospital Municipal de Marabá.

Considerou também a política estadual de incentivo de vacinação contra a covid-19, com a publicação de decreto que entre outras medidas, exige comprovante de vacinação para entrada em restaurantes, cinemas, teatros, equipamentos turísticos, igrejas e outros locais. Reforça-se que as medidas não têm o objetivo de promover vacinação forçada, mas, sim, uma restrição de direitos em casos de não vacinação.

As recomendações consideram ainda que o Hospital Municipal de Marabá, que atende pacientes de 23 municípios, está com 100% de ocupação e com fila de espera. (Juliana Amaral)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze