Connect with us

Pará

MARABÁ: Depois de 25 anos separadas, mãe e filha se reencontram

Publicado

em

Uma história com final feliz em meio à pandemia. A Eucilene Cordeiro da Silva, de 49 anos, foi encontrada em situação de abandono pelas equipes da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac) e, após mais de 25 anos,  reencontrou a família, que mora em Zé Doca, no Maranhão.

Nascida na cidade maranhense de Altamira, a Eucilene foi encontrada próximo ao Residencial Magalhães, bairro São Félix, através de uma denúncia recebida pelo Plantão Social da Seaspac, no dia 18 de abril deste ano, sobre as condições precárias em que ela vivia. A equipe chegou ao local e a encontrou com limitações para se mover e realizar a higiene pessoal, devido a um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que sofreu. Imediatamente a equipe entrou em contato com o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, o Centro POP, que se prontificou em realizar o acolhimento. “Chegou em uma cadeira de rodas, estava sequelada por conta do AVC”, conta Gorete Rodrigues, assistente social e coordenadora do Centro POP.

O companheiro dela sofre com tuberculose e acabou contraindo a Covid-19. No momento se encontra internado no Hospital de Campanha de Marabá. “Conversamos com ele. Eles tinham pouco tempo junto, uns dois meses, se conheceram e decidiram se juntar. Segundo ele, ela sofria violência doméstica e veio fugida de Pacajá”, conta Gorete.

Busca pela família

Eucilene nasceu em Altamira, no Maranhão, e portava todos seus documentos quando foi encontrada. A equipe começou então a realizar uma busca pelo Cadastro Único, nas cidades que havia no sistema, São Domingos – MA e Sobradinho – BA. “Procurei a assistência social dos municípios, mas não tive êxito. Ao entrar em contato com essas cidades, as colegas do serviço social falaram que se tratava de uma fraude de cadastro”, reitera Gorete.

A equipe do Centro POP passou então para o plano B, tentando contato com a cidade de Altamira, mas não foi encontrado nenhum número ativo. Foi através de uma busca pelo Google Maps que se conseguiu uma imagem com um contato de um estabelecimento comercial do local.

Após se identificar e explicar a situação, o proprietário do comércio passou número da secretaria de assistência social de Altamira, que divulgou a foto de Eucilene nas redes sociais da pequena cidade de 12 mil habitantes. Foi quando uma sobrinha reconheceu a tia e passou a a informação para a família.

A irmã de Eucilene, Maria Eunice Cordeiro da Silva, moradora de Pindaremirim, entrou então em contato. “Quero agradecer a todos vocês que cuidaram dela, porque não sei o que seria da minha irmã. Já a tínhamos como morta, mais de 25 anos que se separou da gente. Estamos muito agradecidos. Ela estava debilitada, triste e vocês acolheram e cuidaram. Nossa mãe está muito feliz”, diz Maria Eunice.

A volta para casa

Eucilene não consegue verbalizar palavras, mas entende tudo que é dito. A equipe apresentou para ela os áudios da irmã e realizou então uma chamada de vídeo de Eucilene com a mãe. “Foi muito emocionante ela vendo a mãe. Chorou e ficava girando o celular. A mãe também bastante emocionada, pessoa de mais idade”, contou Gorete.

Devido ao momento de pandemia, cuidados extas foram necessários. Na segunda-feira (22), a coordenadora do Centro POP Gorete Rodrigues e Eucilene Cordeiro realizaram testes rápidos para detecção da covid-19, antes da viagem para a presença dos seus familiares. A equipe saiu de Marabá na segunda, às 20 horas, de ônibus e a acompanhou até a casa da mãe, Antônia Cordeiro da Silva, em Zé Doca – MA.

“É um momento complicado de pandemia e a mãe dela é idosa, então tivemos que tomar vários cuidados. Mas nós a deixamos em casa, sobre os cuidados da família e de pessoas em que ela confia”, completa. (Osvaldo Henriques)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

MP Eleitoral do Pará disponibiliza canal virtual de denúncias eleitorais

Publicado

em

O Ministério Público Eleitoral passa a receber denúncias eleitorais pelo site do Ministério Público do Estado. O sistema, criado pelo Departamento de Informática do MPPA em parceria com o Centro de Apoio Operacional Constitucional, convida o cidadão a se tornar um parceiro do Ministério Público Eleitoral na fiscalização das irregularidades verificadas durante a eleições 2020.

“Ao acessar o link de denúncia, o cidadão poderá noticiar diversos tipos de infrações eleitorais, como propaganda eleitoral, compra de votos, uso da máquina pública, crimes eleitorais, irregularidade relativa ao funcionamento na urna eletrônica, entre outros. Com isso, o objetivo do MP Eleitoral é fortalecer os princípios da participação popular, transparência e lisura do pleito”, destacou o promotor Marco Aurélio Lima do Nascimento.

Para acessar o canal virtual de denúncia do MP Eleitoral o eleitor precisa entrar no site do Ministério Público do Pará (www.mppa.mp.br). No canto inferior direito da tela ele encontra o link “Atendimento ao Cidadão”, onde terá acesso a uma Ficha de Atendimento Eleitoral que irá preencher para registrar a denúncia. Ao preencher a ficha de atendimento, o denunciante tem a opção de fazer a denúncia de forma pública, sigilosa ou anônima.

O sistema também permite ao cidadão receber notificações em seu e-mail de toda a movimentação da denúncia feita por ele. Assim que a reclamação é registrada, a mesma é encaminhada automaticamente ao promotor eleitoral vinculado à Zona Eleitoral correspondente ao Município do denunciante. O prazo máximo de apuração do fato, previsto em lei, é de trinta dias.

No caso da capital e de alguns municípios com mais de uma zona eleitoral, haverá um procedimento de distribuição, de forma a respeitar o princípio do promotor natural e a equitatividade. Esse procedimento constitui uma distribuição que será realizada por servidores da instituição em sistema próprio que, na última sexta-feira (25), passaram por um treinamento para desenvolver o trabalho.

Clique aqui para acessar a página de Denúncia do MP Eleitoral

Continue lendo

Pará

SÃO FÉLIX DO XINGU: Agricultores da Vila Xadá recebem insumos e sementes para melhorar a produção

Publicado

em

Agricultores da vila Xadá, em São Felix do Xingu, sudeste do Pará, receberam nesta quarta-feira (29) 15 toneladas de calcário para a correção de solo. O insumo foi entregue em parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio). A ação integra o programa Territórios Sustentáveis (TS), um dos eixos do Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA), executado de maneira integrada entre os órgãos estaduais.

Secretário adjunto de desenvolvimento agropecuário e da pesca, Lucas Vieira informou que, além do repasse do calcário, os 15 produtores foram beneficiados com sementes de açaí, taperebá, pupunha, além de arroz.

“Estivemos em conjunto, Sedap, Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Ideflor-Bio, a Emater e a Adepará e a Sedeme. Todos os envolvidos nas ações do TS”, ressaltou.

Essa integração é importante, como destacou o secretário, porque abrange todos os processos alusivos a cada órgão. As sementes distribuídas são da Embrapa Amazônia Oriental e de ótima qualidade, como frisou o secretário adjunto da Sedap.

Os solos paraenses são ácidos e, em muitas áreas de plantio, possuem baixa fertilidade, necessitando de corretivos de acidez e adubação, por isso, como observou Vieira, o repasse do mineral feito em conjunto entre Sedap e Ideflor-Bio, é muito importante para a produção agrícola da Vila de Xadá.

Além de fornecer cálcio e magnésio, diminui a acidez do solo e aumenta a saturação de bases, equilibrando o PH. Isso impacta positivamente na qualidade e no aumento da produção.  (Rose Barbosa)

Continue lendo

Pará

BREJO GRANDE: Geraldo Bila diz que declaração de inelegibilidade só pode ser feita pela Justiça Eleitoral

Publicado

em

Citado na matéria intitulada, “BREJO GRANDE: Pesquisa Gauss aponta grande vantagem de Jesualdo, apoiado pelo atual prefeito Baxim”, em que aponta sua inelegibilidade, Geral do Bila (MDB), candidato a prefeito pela Coligação “Unidos Somos Mais Fortes”, rebateu a informação por meio de sua assessoria jurídica. Leia a declaração do candidato:

Geraldo Francisco se Morais (Geral do Bila), brasileiro, viúvo, pecuarista, residente em Brejo Grande do Araguaia, Estado do Pará, vem respeitosamente à presença de Vossa Senhoria expor o seguinte:

Foi publicada uma matéria por esse respeitável Jornal sobre pesquisa eleitoral realizada no Município de Brejo Grande do Araguaia, Estado do Pará. No meio da reportagem foi declinado que o Sr. Geraldo Francisco de Morais tem quatro processos de contas julgados irregulares pelo Tribunal de Contas da União-TCU.

Foi declinado ainda que em decorrência dessas contas julgadas irregulares, o Sr. Geraldo Francisco se encontra inelegível até 2026.

Conforme podemos verificar no julgado a seguir citado, a declaração de inelegibilidade só pode ser feita pela Justiça Eleitoral, cabendo aos Tribunais de Contas a competência para oferecer parecer prévio, e alguns casos, julgar se as contas são regulares ou irregulares.

A irregularidade nas contas que gera a inelegibilidade pressupõe a presença de alguns requisitos de aferição exclusiva pelo Poder Judiciário Eleitoral.

Vossa Senhoria pode consultar os acórdãos que julgaram irregulares as contas do Sr. Geraldo Francisco de Morais no TCU e jamais encontrará uma palavra afirmando sobre inelegibilidade.

Continue lendo
publicidade Bronze