Connect with us

Pará

MARABÁ: Infraestrutura do Novo Terminal de Integração avança

Publicado

em

As obras da construção do novo Terminal de Integração de Marabá não param. O novo espaço pretende reduzir o tempo de espera nos pontos de ônibus e também reduzir custos para o usuário.

O engenheiro civil, Alex Amoury, da Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop), é o responsável por acompanhar o andamento da obra. Ele conta que no momento os serviços se concentram nos dois blocos onde irão funcionar o setor administrativo e comercial do novo Terminal.

“Nos dois, as fundações foram executadas, assim como a estrutura de concreto, laje pré-fabricada (treliçada), o fechamento em alvenaria com blocos cerâmicos, tubulação de água e esgoto, laje para a caixa d’água, contrapiso dos dois blocos”, explicou o engenheiro.

Além desta etapa, os operários já iniciaram a construção da plataforma de embarque e desembarque que liga o bloco comercial e administrativo, além da construção de banheiros e outros setores.

“O prédio administrativo terá duas lojas na parte inferior, recepção da administração, banheiros masculino e feminino. No piso superior teremos a administração do terminal. Teremos também uma plataforma de aproximadamente 50 metros até o bloco comercial que será composto de seis lojas”, afirmou Alex Amoury.

A proposta é fazer com que a partir do funcionamento do Terminal os veículos possam ter um percurso menor, tendo em vista que serão planejadas novas linhas, num total de 14, atendendo os usuários em todos os bairros, com um tempo de espera bastante reduzido.

Está é uma das obras mais aguardadas para quem utiliza o transporte público em Marabá..

“Com o terminal de integração, numa área central da cidade, todas as linhas irão convergir e dar maior rapidez ao usuário, pois irá diminuir o tempo de viagem. Com o sistema integrado teremos melhor atendimento com conforto e mais segurança”, relatou Jair Barata Guimarães, secretário de segurança institucional e presidente do Conselho Municipal de Transporte do município. (Victor Haor / Fotos: Paulo Sérgio)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Azul se expande no Pará e vai lançar novos voos comerciais em 14 municípios

Publicado

em

O Estado do Pará ficará mais conectado e com logística facilitada. A empresa Azul Linhas Aéreas anunciou, nesta terça-feira (14), no Palácio do Governo, em Belém, o plano de expansão da companhia com a inclusão de 14 novas cidades paraenses em voos comerciais até 2022. Com a medida, a empresa vai totalizar operações aéreas comerciais em 19 cidades do Estado. Durante a agenda, o governador do Pará, Helder Barbalho, ressaltou que a medida foi possível após a redução da tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para companhia aéreas que desejam investir no Estado.

“Nós temos por meta ampliar a oferta de voos dentro do Pará, então nós estamos com essa parceria, levando para 14 municípios a operação aeroviária que permitirá a integração do Estado. Com essa oferta estaremos facilitando a integração com o Brasil, fortalecendo economicamente estes municípios e estimulando a atividade do turismo, criando oportunidades. Importante lembrar que isto faz parte de um plano de desenvolvimento do Estado para a Azul, mas estamos dialogando com todas as companhias aéreas para provocá-las a enxergar o Pará como destino oportuno”, assinalou o governador. 

Na agenda, o chefe do Executivo Estadual também lembrou que a ampliação da malha aeroviária da Azul no Pará foi possível após a decisão do Governo do Estado de reduzir a tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da QAV (Querosene de Aviação), tendo como contrapartida das companhias aéreas investimento do setor no território paraense.

Com a medida anunciada hoje, a empresa vai totalizar operações aéreas comerciais em 19 cidades do Estado. A diretoria da Azul não refuta a possibilidade de retorno de voos internacionais em Belém, mas a decisão vai depender do cenário econômico e mercado internacional. Atualmente, a Companhia atende cinco municípios paraenses. A empresa interliga Belém a Altamira, Santarém, Marabá e Carajás. Além disso, a Azul possui uma vasta rede doméstica a partir do aeroporto de Belém, além de ligações interestaduais também a partir de Marabá, Santarém e Carajás. 

“Sem dúvida é investimento importante do Governado do Estado no desenvolvimento econômico do Estado e a Azul tem isso no nosso DNA. Operamos para mais de 130 cidades do país e faz parte do nosso modelo de negócios servir novos mercados e interiores e criar centro de conexões. Hoje, Belém, é um grande mercado para nós, então estamos trabalhando para que as pessoas cheguem na capital e outros municípios também”, disse Marcelo Bento, diretor de Relações Institucionais da Azul.
 
De forma prática, o plano de expansão  da Azul no Pará contempla três fases. Na primeira, prevista para novembro deste ano, por meio da sua subsidiária Azul Conecta, a companhia passaria a atender mais nove destinos: Itaituba, Porto Trombetas, Breves, Monte Dourado, Almeirim, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná.
 
Em dezembro de 2021, a segunda fase do plano prevê a introdução de operações em Salinópolis, Tucuruí e Paragominas com serviços da Azul Conecta, desde que estejam com a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e a infraestrutura local suporte a operação regular e segura do Cessna Gran Caravan. Já em abril de 2022, as localidades de Itaituba e Porto Trombetas passarão a ser atendidas pela Azul com aeronaves ATR 72-600, cumprindo assim a última etapa do plano de expansão da companhia.
 
“Para existir turismo, nós precisamos de acesso, então o Estado publicou o Decreto 1840 que estabelece benefícios fiscais para que as empresas possam ampliar suas malhas áreas dentro do Estado, e agora a Azul vem celebrar essa parceria hoje, enquanto principal linha área a atuar em solo paraense. Dessa maneira, a companhia estará assistindo mais municípios do Estado, conectando nosso grande território”, frisou o secretário de Estado de Turismo, André Dias. 

Também participaram da agenda no Palácio do Governo, em Belém, a primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, além de secretários estaduais e representantes dos executivos municipais.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Hospital Regional desativa leitos Covid e retoma atendimentos eletivos

Publicado

em

Com a queda nos casos relacionados com a Covid-19, o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, região de Carajás, desativou os leitos exclusivos para tratamento do novo coronavírus na unidade. O hospital, agora retoma os atendimentos eletivos seguindo as diretrizes da Secretaria de Estado da Saúde do Pará (Sespa). 

Instaladas de maneira emergencial em março de 2020, as alas para o tratamento de pacientes graves da doença no HRSP tiveram 52 leitos, sendo 40 de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) e 12 clínicos.   

A escolha do Regional do Sudeste do Pará como referência no atendimento de pacientes foi realizada pela Sespa e Ministério da Saúde. Ao todo, foram atendidos 981 pacientes pela unidade, com 588 recuperados, três transferências e 390 óbitos. 


Valdemir Girato, diretor Hospitalar do HRSP, explica que o anúncio da desativação dos leitos foi feito durante a reunião do Comitê de Gerenciamento de Crise, criado na unidade para combater a doença, e composto por profissionais do corpo clínico, assistencial e administrativo da instituição. 

“Após ser referência para pacientes com a Covid-19, voltamos com 100% dos nossos atendimentos eletivos que durante a pandemia foi reprimido. Estamos felizes com a redução significativamente da doença na região, mais caso necessitem novamente dos nossos trabalhos, iremos estar prontos para combater o vírus que infelizmente tirou muitas vidas”, explicou.       

Ainda de acordo com o diretor, as visitas de familiares a pacientes internados na instituição também serão retomadas normalmente a partir dessa semana, seguindo todas as recomendações de higienização da Organização Mundial de Saúde (OMS).    

Para o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho, o hospital cumpriu a missão delegada pelo governo do Estado. “Ficamos contentes em oferecer aos pacientes de Covid-19 da região de Marabá uma unidade capaz de ajudá-los na recuperação e alta hospitalar. Toda a equipe da unidade está de parabéns pela sensibilidade em ter oferecido mais esse diferencial no atendimento”, afirmou. 

O Regional do Sudeste do Pará é uma unidade que pertence ao Governo do Pará, sendo gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde. Com atendimento 100% pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o hospital é referência para mais de 1 milhão de pessoas de 22 municípios da região. 

Origem dos pacientes

Entre os 981 pacientes encaminhados para tratamento da Covid-19 no Regional do Sudeste do Pará, dados levantados pela unidade apontam que desse total 39% tinham origem de Marabá, 7% de Itupiranga, 5,9% de Jacundá, 4,99% de Canaã dos Carajás, e os demais de outros municípios da região.   

A maioria dos pacientes com o novo coronavírus atendidos na unidade tinham idade acima dos 50 anos (63,40%), seguido por pessoas entre 34 e 39 anos (21%). Outros pacientes, com idades entre 19 e 33 anos, representaram 9,48% dos casos. Por último, menos de 7% dos pacientes tinham idade abaixo dos 18 anos. 

De acordo com Cassiano Barbosa, diretor Técnico do HRSP, a unidade foi referência para os casos mais graves da doença, com muitos pacientes em estado crítico, com a necessidade de intubação. 

“Foi um período de muita superação para todos, conseguimos salvar centenas de vidas que chegaram em estado gravíssimo. Gostaria de parabenizar todo o corpo clínico e assistencial do HRSP, que sempre se empenharam em oferecer um serviço humanizado de excelência a todos pacientes”, ressaltou. 

O médico menciona que a taxa de mortalidade na UTI Covid do hospital foi de 39%, bem abaixo da média nacional dos hospitais públicos brasileiros, que é de 53,1%, de acordo com o Registro Nacional de Terapia Intensiva (RNTI). 

“O treinamento da equipe, acompanhamento com visitas diárias aos pacientes, e discussão das condutas médicas com a equipe multidisciplinar, fez toda a diferença, para que tantas vidas fossem salvas” explicou Cassiano. 

Atendimento pós-Covid-19 

O HRSP está promovendo o acompanhamento de pacientes com algum tipo de sequela da Covid-19. O atendimento é realizado por uma equipe multiprofissional da unidade, destacada especialmente para atender os casos de pessoas que continuam apresentando algum sintoma persistentes após a recuperação. 

Para agendar as consultas no Regional do Sudeste do Pará é necessário entrar em contato por telefone, no número (94) 98116-1989, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 17h. Os atendimentos são realizados uma vez por semana, e já beneficiaram mais de 200 pacientes com consultas e exames laboratoriais. 

Continue lendo

Pará

Esquema criminoso abriu falsas lotéricas no Pará

Publicado

em

As Polícias Civil do estados Pará e Ceará prenderam, neste sábado (11), outras três pessoas envolvidas no esquema criminoso que abriu falsas lotéricas em Belém e Ananindeua, na região metrotopolitana da capital paraense. As novas diligências foram deflagradas em Fortaleza e Aracati, na região de Canoa Quebrada, no Ceará. Um total de 11 integrantes já foram capturados em mais uma ação célere da PC-PA com apoio importante da PC-CE. Os homens presos, neste sábado, são apontados como os mentores do esquema, que prejudicou mais de 50 paraenses e rendeu prejuízo superior a R$ 500 mil. 

Essa foi a terceira fase da Operação Foco, deflagrada pela Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), por meio dos agentes da Delegacia de Estelionato e Outras Fraudes (DEOF), da PC-PA, que continuavam nas busca pelos líderes do grupo criminoso, obtendo dados com a Polícia Rodoviária Federal e trabalhando em conjunto com a Polícia Civil do Ceará. Na ação conjunta, descobriu-se que um dos alvos estava em uma pousada, no litoral cearense. Ele foi capturado e já possuía uma prisão preventiva, decretada pela Vara de Inquéritos de Belém.

Líder da associação – O homem que encabeçava o esquema foi preso hoje. De acordo com as investigações, ele é acusado de ter cometido outras fraudes contra empresas e bancos públicos nacionais. Em um dos crimes, ele utilizou documentos falsos para obter empréstimo de 100 mil reais.

No Pará, de acordo com o levantamento feito pela PC, o criminoso embolsou cerca de meio milhão de reais. Com todos os envolvidos presos e à disposição da Justiça, a partir de agora uma nova etapa se inicia para tentar recuperar os valores pagos por cidadãos paraenses em duas lotéricas clandestinas, criadas pelo grupo. 

Todos os suspeitos irão responder pelos crimes de dano qualificado, apropriação indébita, estelionato, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. A ação conjunta contou com o apoio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa do Ceará (DHPP); Diretoria de Polícia Civil do Interior Sul do Ceará e a Delegacia Municipal de Beberibe – Ceará.

Operação Foco – As investigações sobre o caso começaram há cerca de 30 dias, após a Polícia Civil identificar que dois espaços comerciais foram abertos de forma irregular, nos municípios de Belém e Ananindeua.

Os locais, que se assemelhavam a casas lotéricas, recebiam pagamento de boletos, mas os valores não eram compensados nos destinatários. Os espaços onde os golpes eram aplicados fecharam poucos dias após o início do funcionamento. Cerca de 50 pessoas foram vítimas da associação criminosa.

Um total de 40 policiais civis participaram do cumprimento dos mandados de prisão, busca e apreensão. Houve busca e apreensão em dois locais ligados aos envolvidos nos municípios cearenses de Fortaleza e Horizonte. (Evaldo Júnior) 

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze