Connect with us

Pará

MARABÁ: Uepa forma os primeiros 17 médicos

Publicado

em

Os primeiros 17 médicos formados pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) no campus Marabá, na região de Carajás, participaram na quarta-feira (19), no Carajás Centro de Convenções, da solenidade de colação de grau. Esse momento importante para a área de saúde na região contou com as presenças do governador Helder Barbalho, também chanceler da Uepa, e do vice-governador, Lúcio Vale.

Os diplomas foram entregues, individualmente, pelo chefe do Executivo, que esteve ao lado do reitor da instituição, Rubens Cardoso, durante toda a cerimônia. O governador afirmou, em seu pronunciamento, que os novos médicos formam uma mão de obra qualificada, pronta para servir à sociedade paraense e a todo o Brasil. “Eu quero dar os parabéns a todos aqueles que se doaram para estar aqui hoje, e que passaram os últimos seis anos estudando para estar na primeira turma de medicina de Marabá, que hoje está entrando na história. Que essa mão de obra fantástica, e necessária, possa servir à população local mais e melhor, e possa contribuir com o desenvolvimento da região”, destacou.

Para o reitor Rubens Cardoso, a formatura é um grande passo para o Estado, para a universidade e para toda a sociedade. “Sabemos da dimensão continental do Estado e, na medida em que a Uepa forma em Belém, Santarém e Marabá, ajuda a trazer a área da saúde, sobretudo a medicina, para mais perto da realidade local. Então, é fundamental que este profissional esteja cada vez mais ligado ao território, à localidade que conhece, às especificidades sociais e econômicas da região. É um trabalho muito importante que o Estado faz, por meio da Uepa, ampliando a possibilidade de se interiorizar a saúde cada vez mais no Pará”, pontuou o reitor.

Vínculo – Adriana Silva, natural de Parauapebas (outro município do sudeste paraense), foi a oradora da turma, e disse estar muito feliz de participar do evento, considerado por ela importante para graduados e seus familiares. “Por muito tempo foi desacreditada essa possibilidade de formarmos aqui, e hoje mostramos que é possível formar bons médicos no interior do Estado. Acredito que profissionais do interior veem de perto o que se necessita, sabem do que a população está precisando, principalmente pelo vínculo que têm com seu município e a região”, reiterou.

Atualmente, a Uepa em Marabá mantém sete turmas de medicina, e mais duas turmas serão iniciadas ainda este ano, informou o reitor.

Primeira turma – A primeira turma de medicina da Uepa em Marabá foi aberta em 2013, com período integral e duração de 12 semestres, na modalidade bacharelado. A oferta de curso na área da saúde foi uma demanda da sociedade, para atender com êxito as necessidades da população referentes aos problemas do sudeste do Pará. “Nossa região é carente de vários profissionais, e essa demanda não é diferente com relação aos profissionais da saúde. Sem dúvida, estamos contribuindo para a oferta de médicos na região. Nossa instituição sempre esteve atenta à oferta de cursos que atendam a comunidade onde está inserida, e em Marabá foram realizadas audiências públicas para verificar a demanda de cursos para a região. Como resultado dessas reuniões e da participação da gestão superior, sociedade civil, governantes, setor público e privado, iniciamos em 2012 a oferta de novos cursos, como biomedicina e medicina, e hoje, no ano de 2019, estamos entregando à sociedade médicos capacitados para atender as necessidades da população”, afirmou a coordenadora do Campus da Uepa em Marabá, professora Danielle Monteiro. Segundo ela, vários órgãos privados e públicos se mobilizaram para colaborar com a oferta do curso à comunidade.

O curso proporcionou melhorias e aperfeiçoamentos na Uepa, e deixa um legado formado pela criação de entidades, organizações desportivas, Centro Acadêmico de Medicina, ligas acadêmicas e a construção do prédio próprio no campus, oferecendo um espaço para estimular e beneficiar a comunidade acadêmica. “Uma faculdade de medicina agrega profissionais que não darão somente aula para os discentes do curso, mas também serão feitas pesquisas que desenvolverão diversas áreas, dependendo da atuação do professor. Isso fomenta a extensão, a pesquisa e o serviço, além de proporcionar a evolução do conhecimento na área da saúde. Portanto, esperamos ter condições de perpetuar o curso e a produção científica”, disse o coordenador do curso de medicina do campus de Marabá da Uepa, professor David Tozetto.

Novidade – O curso de medicina em Marabá foi uma das grandes novidades do Processo Seletivo 2013 da Uepa com a oferta de 20 vagas, divididas entre o Processo Seletivo (Prosel) e o Programa de Ingresso Seriado (Prise), com início das aulas no 2º semestre e carga horária de 8.060 horas.

O curso chegou ao sudeste do Pará para fortalecer a formação de mão de obra qualificada na área da saúde, capaz de desenvolver ações de promoção, prevenção e reabilitação da saúde individual e coletiva, e realizando uma prática de forma integrada e continuada com o sistema de saúde.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

MARABÁ: Tião Miranda peita Helder e vai manter bares abertos

Publicado

em

A prefeitura de Marabá informou que os bares da cidade continuarão abertos apesar do decreto estadual, publicado nesta quinta-feira (21), que volta a proibir o funcionamento desse tipo de estabelecimento em todo o Pará para frear a disseminação da Covid-19. Em Marabá, os bares funcionam com 50% da capacidade e fecham à 00h, como rege o último decreto municipal, do dia 14 de janeiro.

Ainda segundo a Prefeitura de Marabá, os casos da doença na cidade estão sendo monitorados e os espaço fiscalizados. Uma reunião com representantes de bares e restaurantes dos municípios reforçou as medidas de segurança, como distanciamento entre as mesas, uso de máscara e álcool em gel.

O novo decreto estadual alterou o banderamento de algumas regiões do Pará e impôs medidas mais rígidas. Segundo o governador Helder Barbalho, as novas medidas estão sendo tomadas devido à pressão no sistema de saúde e aumento na incidência viral nos municípios que fazem fronteira com o estado do Amazonas.

A Procuradoria-Geral do Pará (PGE) informou em nota que o Governo tem sinalizado as taxas de ocupação de leitos e de contaminação pela Covid-19, em todas as regiões do Estado e que a partir daí cabe às prefeituras a determinação sobre a abertura ou não de serviços. A autonomia das prefeituras é uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que permite que cada gestor municipal defina atividades e serviços que não serão interrompidos em seus territórios.

Continue lendo

Pará

Governador do Pará adota novas medidas contra Covid-19 e proíbe bares e festas em todo o Estado

Publicado

em

A partir desta quinta-feira (21), as regiões Metropolitana de Belém, do Marajó Oriental e do Baixo Tocantins saem da bandeira verde e retornam à coloração amarela, de risco intermediário, segundo informou o governador Helder Barbalho, nesta quarta-feira (20), por meio de suas redes sociais. De acordo com o chefe do Executivo Estadual, a determinação tem o objetivo de evitar que ocorra, nos municípios do Pará, situação semelhante a que está acontecendo em cidades do Amazonas.

“Estamos muito preocupados com o que está acontecendo no Estado do Amazonas e começamos a perceber uma pressão no sistema de saúde e um aumento na incidência viral nos municípios que fazem fronteira com o estado vizinho. Por isso, estamos decretando, a partir do dia de amanhã, uma mudança de bandeiramento”, disse Helder Barbalho.

Ainda segundo o governador do Pará, estarão proibidos, também a partir de quinta-feira, festas, shows e o funcionamento de bares. Desta forma, serão permitidos apenas restaurantes, respeitando o espaçamento e a quantidade de pessoas permitida por ambiente, com horário de funcionamento autorizado até a meia-noite.

“Peço a você, por favor, consciência. Estamos chegando no momento da vacina e logo todo mundo estará imunizado. Enquanto isso não acontece, use máscara, tem muita gente que parou de usar máscara. O vírus continua e temos que ter solidariedade com o próximo”, reforçou o governador.

Decreto – As determinações anunciadas por Helder Barbalho serão atualizadas no Decreto Estadual 800/2020, com publicação prevista para esta quinta-feira (20). A última alteração na legislação ocorreu no dia 15 de janeiro, quando o Governo do Estado determinou mudança no bandeiramento da região do Baixo Amazonas,  que saiu da laranja para a bandeira vermelha, mais restritiva.

“Peço aos prefeitos que ajudem nessa conscientização, fazendo decretos municipais. E os órgãos de segurança estarão aumentando a fiscalização para que a proteção da população possa acontecer”, finalizou.

Continue lendo

Pará

Marabá recebe 1.609 doses da CoronaVac e Parauapebas 2.296

Publicado

em

Foi iniciada nesta terça-feira (19), no Hospital Municipal de Marabá (HMM) a vacinação contra Covid-19 no município. A agente de serviços gerais, Rosinalva Nunes de Castro, 50 anos, recebeu a primeira das 1.609 doses de vacina disponibilizadas pela Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa) para 1º fase de vacinação em Marabá.

Segundo o assessor de Vigilância em Saúde da Sespa, Marcos Moura, a quantidade de vacinas estimada pelo Ministério da Saúde para serem entregues ao estado do Pará era de 340 mil, tendo sido reduzido para 173.240 doses, o que restringiu a quantidade de vacinas que foi disponibilizada aos municípios.

A Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS), através do Departamento de Atenção Básica (DAB), Departamento de Alta e Média Complexidade e Vigilância em Saúde determinou a relação dos profissionais que estão dentro das UTI’S e trabalhando diretamente com o diagnóstico dos pacientes da Covid, para receberem essa primeira leva de vacina.

“É importante para todo país e para Marabá que esse trabalho comece a ser realizado. É uma gota de esperança que começou a fluir. A proporção de vacinas ainda é muito pequena, por isso temos que executar um trabalho criterioso. Mas estamos trabalhando e na iminência e espera de chegar um novo lote para levar essa vacina à população e aos demais profissionais”, acrescenta Valmir Moura.

A coordenadora do DAB, Monica Borchat, ressalta que a vacinação buscará atender não só os profissionais da rede pública, como da rede privada de saúde. Nesse primeiro momento a expectativa é que se vacine em torno de 40% dos profissionais de saúde. “A vacina será distribuída para toda rede pública e privada, abarcando o HMM, atenção básica, e hospitais de uma forma geral. Só selecionamos quem realmente está na linha de frente. Os demais recebem nas próximas etapas”, frisa.

Nota técnica

A vacina que está sendo aplicada em Marabá é a Coronavac, da empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instintuto Butantan. A vacinação é aplicada segundo nota técnica da Sespa. Por ser uma central regional, o município de Marabá recebeu 9.299 de vacinas, mas as outras 7.690 serão distribuídas para os demais municípios da região através da Central da Sespa localizada na cidade.

Segundo recomendação, a 2º fase da campanha abarcará os profissionais de segurança pública na ativa, idosos de 60 a 79 anos de idade, idosos a partir dos 80 anos e povos quilombolas. Na 3º fase serão priorizados indivíduos que possuam comorbidades, como diabetes, hipertensão e obesidade.

A 4º fase será para profissionais da educação, Forças Armadas, funcionários do sistema penitenciário, população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa. Ainda não há previsão de distribuição das vacinas para as demais fases da campanha.

Parauapebas

Parauapebas recebeu 2.296 doses do Ministério da Saúde, das quais 1.051 serão aplicadas nos indígenas e o restante em 40% dos profissionais de saúde que atuam na ala da Covid, UTIs, UPA e Pronto Socorro Municipal. 

A vacinação foi iniciada já nesta terça-feira logo após a solenidade. Os profissionais da ala da Covid foram os primeiros imunizados. Uma equipe da coordenação de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) fará a vacinação nesses profissionais em seus respectivos ambientes de trabalho.

O município aguarda as orientações do Ministério da Saúde e o envio de mais doses para seguir com o programa de imunização. 

Continue lendo
publicidade Bronze