Connect with us

Maranhão

MARANHÃO: Descarga recorde de fertilizante no Porto do Itaqui

Publicado

em

Mais um recorde de produtividade foi contabilizado no Porto do Itaqui. A movimentação do granel sólido fertilizante superou a média praticada no porto maranhense até então, subindo de 4,1 mil toneladas por dia para 8,1 mil t por dia.

O produto foi descarregado do navio Gloriosa, de bandeira panamenha, que atracou dia 2 de maio no berço 102. O recorde foi registrado pela Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) no último relatório de Movimentação de Cargas e Navios. O documento, elaborado pela Diretoria de Operações (DOP) da empresa portuária, destaca os números, apesar do período chuvoso.

“O fertilizante é uma carga que não pode ser operada na chuva. Mesmo com 20% de mau tempo no total de horas de atracação do navio, conseguimos realizar uma operação eficiente. O comprometimento dos clientes e operadores portuários foi fundamental para concluir o descarregamento com sucesso”, explicou Rafael Souza de Vasconcelos, responsável na Emap pelo gerenciamento operacional na área primária.

Para o gestor, esse tipo de recorde só é possível quando existe congruência entre cliente, operador portuário, espaço disponível para a carga e condições de transporte.

O descarregamento foi realizado pelos operadores portuários Brazil Marítima, Costa Norte e Companhia Operadora Portuária do Itaqui (Copi), com a utilização de guindastes, grabs, funis, balanças da Emap e caminhões para o transporte do produto.

“Não é a primeira vez que alcançamos bons números com fertilizante. O trabalho dos agentes que atuam na área operacional do Porto do Itaqui de otimização da logística portuária para potencializar a produtividade dos berços é diário”, frisou Rafael Vasconcelos.

De janeiro a abril deste ano, 192,58 mil toneladas de fertilizantes foram movimentadas no Itaqui. Se comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram descarregadas 82,83 mil toneladas, o crescimento das operações com esse tipo de granel sólido cresceu 132%, 109 mil t a mais que no primeiro quadrimestre de 2010. No total das operações, 669,13 mil toneladas foram movimentadas nos berços do Porto do Itaqui no ano passado. (Ascom/Emap)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

Dino se filia no PSB e fala em frente ampla para derrotar Bolsonaro

Publicado

em

A cerimônia de filiação de novos nomes ao PSB , nesta terça-feira (22), virou uma ato de críticas e protestos contra o governo. Foram vários os discursos em defesa de uma unidade não só da esquerda mas também entre outros segmentos da política para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) seja derrotado na eleição de 2022.

O governador do Maranhão, Flávio Dino , que deixou o PCdoB e ingressa no PSB, afirmou que a eleição do ano que vem precisará juntar de um lado comunistas, socialistas, petistas, liberais, progressistas, católicos e evangélicos para que Bolsonaro seja derrotado.

“A eleição de 22 não será mais uma. Não será uma qualquer. Será uma batalha. Será um plebiscito entre os que querem a continuidade da democracia contra o extermínio de um projeto popular. Não podemos cometer erros e minimizar o mal. Derrotá-lo (Bolsonaro) não é tarefa de poucos, nem de muitos. É de todos. Temos que nos unir. A conjuntura não comporta posturas narcisistas nem celebração de nossas virtudes. A conjuntura exige que nos juntemos”, disse Flávio Dino.

Continue lendo

Maranhão

Esquema estava desviando recursos do combate a pandemia em Bom Jesus das Selvas e Bacurituba

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou nesta terça, 22, a Operação Inter Pares, com a finalidade de desarticular grupo criminoso estruturado para promover fraudes licitatórias e irregularidades contratuais, no âmbito dos Municípios de Bacurituba e Bom Jesus das Selvas. Os contratos envolvem verbas federais que seriam utilizadas no combate à pandemia COVID-19.

Inicialmente, foi constatada a falta de capacidade econômica da empresa investigada, restando demonstrado que o custo dos produtos vendidos era incompatível com a receita auferida nos 12 meses anteriores ao período de monitoramento. Conforme foi aferido, enquanto adquiriu apenas R$ 33 mil dos itens de contratos públicos no período investigado, vendeu mais de meio milhão de reais para os Municípios de Bom Jesus das Selvas e Bacurituba.

Além disso, revelou-se que o principal investigado utilizava “laranjas” para figurarem como proprietários da empresa que supostamente fornecia os produtos, sendo que, simultaneamente, concorria nessas licitações assinando propostas em nome de outra empresa.

Diante desses fatos, a Polícia Federal cumpriu 6  Mandados de Busca e Apreensão e 5 Mandados de Constrição Patrimonial. Ao todo 30 policiais federais cumpriram as determinações judiciais expedidas pela 1ª Vara Federal de São Luís/MA, que decorreram de uma representação elaborada pela Polícia Federal.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por fraude à licitação (Art. 90, Lei 8.666/93), simulação de compra e venda (Art. 96, V, Lei 8.666/93), lavagem de capitais (Art. 1º, caput, Lei 9.613/84) e associação criminosa (Art. 288, Código Penal). Somadas, as penas podem chegar a 23 anos de prisão.

Continue lendo

Maranhão

Deputado do Maranhão Júnior Lourenço e mais 24 pessoas são denunciadas por fraudes em licitações

Publicado

em

O Ministério Público do Maranhão ofereceu, na última sexta-feira, 18, denúncia contra o deputado federal José Lourenço Bomfim Júnior, conhecido como Júnior Lourenço, um dos alvos da Operação Laços de Família, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) no dia 15 de abril. Na ocasião, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Miranda do Norte e Bom Jardim.

Com base nos elementos e provas coletados, o Ministério Público do Maranhão requer que seja autuada a denúncia e proferida sentença condenatória pelos crimes de fraude em procedimento licitatório, peculato e organização criminosa, com perda de cargo ou mandado eletivo dos denunciados, além de pagamento do valor de R$ 22.061.477,53 como forma de reparação dos danos ao erário.

Além de Júnior Lourenço, também foram denunciados Carlos Eduardo Fonseca Belfort, conhecido como Negão, ex-prefeito de Miranda do Norte; os empresários Tiago Val Quintan Pinto Frazão, Bruno Val Quintan de Menezes, Paulo Ricardo Nogueira Ayres Val Quintan e mais 20 pessoas, inclusive pessoas que ocupavam cargos na prefeitura até o período atual e que foram afastadas do exercício de suas funções por deferimento de medida cautelar. 

Segundo as investigações, iniciadas a partir de denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU), foram identificados desvios de recursos na Prefeitura de Miranda do Norte, no período de 2017 a 2020, durante a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Fonseca Belfort. O mesmo esquema teria sido usado pelo também ex-prefeito e atual deputado federal Júnior Lourenço, que esteve à frente da gestão do município no período de 2009 a 2016, apontando para a existência de uma organização criminosa.

A denúncia foi assinada pelos promotores de justiça Luís Samarone Batalha Carvalho, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Itapecuru-Mirim; Ana Carolina Cordeiro de Mendonça Leite e Fernando Antonio Berniz Aragão, integrantes do Gaeco; e Marco Aurélio Ramos Fonseca, que responde atualmente pelas 1ª e 2ª Promotorias Criminais do Termo Judiciário de São Luís.

De acordo com o documento, encaminhado ao titular da 1ª Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís, as investigações apontam a existência de três núcleos de agentes classificados com base na atuação de cada um: político, composto pelos ex-gestores Carlos Eduardo Fonseca Belfort e Júnior Lourenço; empresarial, comandado por Tiago Val Quintan Pinto Frazão, que está presente no município de Miranda do Norte desde a gestão de Júnior Lourenço; e administrativo, formado pelos secretários municipais Antônio da Conceição Sanches, Alysson Rogério Mesquita de Oliveira – atualmente vice-prefeito do município – e Adson Mendonça Mendes, além de outros servidores da prefeitura de Miranda do Norte, inclusive membros da Comissão Permanente de Licitação (CPL).

Ainda segundo a denúncia, desde 2009, primeiro ano do mandato do ex-prefeito Júnior Lourenço, foi constituída, de modo permanente e ordenado, uma organização criminosa com ramificações dentro do município de Miranda do Norte com o objetivo de obter, direta e indiretamente, vantagens indevidas por meio das práticas de crimes licitatórios e crimes contra a Administração Pública.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze